sábado, 25 de fevereiro de 2017

2º Congresso de Casais OCDS - 2017

A Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares convida a todos os casais da OCDS a participarem do 2º Congresso de Casais OCDS.

Tema: "Jamais chegamos a nos conhecer totalmente se não procurarmos conhecer a Deus". 
(St. Teresa de Jesus)
Lema: "Assim já não são dois, mas uma só carne. (Mc 10, 8)

Data: 21 a 23 de julho de 2017
Local: Centro Teresiano de Espiritualidade - São Roque/SP.
Inscrição: R$ 500,00 por casal.
Maiores informações: comissaodecasaisocds@gmail.com - (14) 98151 - 4456


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Aniversário de nosso Presidente Provincial: Luciano Dídimo - 22/02

Hoje rendemos graças a Deus pelo dom da vida de nosso presidente provincial Luciano Dídimo!!!


Querido irmão Luciano, toda a Ordem do Carmelo Descalço Secular da Província São José parabeniza-lhe pelo seu aniversário... Que o Nosso Bom Deus te conceda todas as graças necessárias e que Nossa Senhora, Rainha e Formosura do Carmelo, interceda por sua caminhada...

Agradecemos a Deus por sua vocação, pelo compromisso e dedicação ao Carmelo. Que a sua vida seja sempre uma doação ao Amado e assim possa até o final "Viver de amor".


Viver de Amor é dar, dar sem medida,
Sem reclamar na vida recompensa.
Eu dou sem calcular, por estar convencida
De que quem ama nunca em pagamento pensa!…
Ao Coração Divino, que é só ternura em jorro,
Eu tudo já entreguei! Leve e ligeira eu corro,
Só tendo esta riqueza tão apetecida:
Viver de Amor! (Santa Teresinha)



Nós somos Carmelo (Luciano Dídimo)

Na intimidade
Ou na noite escura
Sempre em subida
Não temos chinelo

Buscamos Aquele
Que sempre nos cura
Em cada morada
Do nosso Castelo

Leigos, frades, monjas
Mundo ou clausura
No amor ao irmão
Nós somos Carmelo.


 Passo a Passo (Luciano Dídimo)

A cada dia um passo
Um passo
A cada ano
Um pedaço

O que se passou
É graça
Hoje eu ergo
A taça

O amanhã
É incerto
Mas Deus está
Por perto

E vou seguindo
O meu caminho
Passo a passo
Devagarinho


Felicidades, saúde e muita paz na caminhada. 
Feliz Aniversário! Parabéns!!!

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Comunidades e Grupos OCDS compartilham suas atividades nas redes socias

Grupo São José - Petrópolis/RJ
Reunião apresentada pela formadora Estela, com o
 tema: "A importância da formação".
Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus - Caratinga/MG
A reunião da Comunidade iniciou com um momento Mariano
fazendo memoria aos 100 anos de Fátima e 300 anos de Aparecida,
que a Igreja celebra esse ano.  Após se dividiram em grupos
e fizeram pequenas atividades e depois partilharam
..
Comissão de Casais OCDS
Em preparação para o II Encontro de Casais
Casais: João e Izabel - São Paulo;
 Erasmo e Nádia - Fortaleza; Fábio e Juliana Bauru.
Comunidade São  José - Sete Lagoas/MG
A Pastoral de Rua distribuiu janta para os irmãos 

moradores de rua e também para os acompanhantes dos 
enfermos do Hospital Municipal e da  UPA.
Grupo Vinha do Senhor - Ribeirão Preto/SP
IV Encontro de Espiritualidade em Franca (SP).
Comunidade Santa Teresinha - Passos/MG
Formação com a Ir.Gildete sobre o a Introdução a
 Liturgia das Horas do Livro 3.
Grupo Vinha do Senhor - Ribeirão Preto/SP
Visita da Conselheira Provincial Elisa.
Grupo Vinha do Senhor - Ribeirão Preto/SP
 Se apresentou ao Arcebispo Metropolitano de Ribeirão
 Preto Dom Moacir Silva e apresenta o "Aceite" da Província
 e sua ata de fundação.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Comunidades e Grupos OCDS compartilham suas atividades nas redes socias


Comunidade Flor do Carmelo de Santa Teresinha - Fortaleza/CE
Salmodiai com o espírito e salmodiai com a mente,
 isto é: glorificai a Deus com a alma e com o corpo
 (Hesíquio).
Tarde formativa I -Dogmas marianos "Virgindade de Maria "
Formação II -Os Salmos 
Comunidade de Santa Teresa e
 Santa Myriam Jesus Crucifixado - Franca /SP
Formação sobre a regra de vida com a entrada solene
 da Sagrada Escritura e da regra de vida. 
Comunidade Nossa Senhora do Carmo - Tijuca/RJ e
 Comunidade Santa Teresinha Doutora da Igreja - 
Niterói /RJ
Caminhada Carmelitana Mariana -
 Carmelo São José/Petrópolis
Na reflexão,  lembraram de Santa Teresa que gostava de caminhar. 
Mulher andarilha por todos os caminhos. Nunca vai só. 
Na infância o companheiro foi seu irmão Rodrigo,
 em adulta, serão seus irmãos e irmãs que lhe 
segue seus passos.
Comunidade Nossa Senhora do Carmo - Tijuca/RJ e
 Comunidade Santa Teresinha Doutora da Igreja - 
Niterói /RJ
Caminhada Carmelitana Mariana -
 Carmelo São José/Petrópolis
Na reflexão,  lembraram de Santa Teresa que gostava de caminhar. 
Mulher andarilha por todos os caminhos. Nunca vai só. 
Na infância o companheiro foi seu irmão Rodrigo,
 em adulta, serão seus irmãos e irmãs que lhe 
segue seus passos.

Grupo São José - Petrópolis/RJ
Retorno das atividades com formação sobre vocação, 

dinâmica sobre virtudes com base na espiritualidade
 do ano Mariano. 
Comunidade Santa Teresa de Jesus - Campinho/RJ
Retorno das atividades da comunidade com
 a Santa Missa no Carmelo.
Comunidade de São José - Sete Lagoas/MG
Ação concreta, reforma da Capela São José
Entrega da rifa de São José dormindo
 ao ganhador Gustavo Pires.
Grupo Nossa Senhora do Sorriso - Natal/RN
Formação do grupo e logo após celebraram o
aniversario da formadora Vanda.
Comunidade Santa Teresinha - Mococa/SP
Visita ao Carmelo São João da Boa Vista.
Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus e
 Santo Eliseu -  Brasilia/DF
Retorno das atividades.
Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus -
Campinas/SP
Retorno das atividades da comunidade, com um
 momento de Oração e formação sobre o ano Mariano.


sábado, 11 de fevereiro de 2017

PRIMEIRO RETIRO ESPIRITUAL 2017
COMUNIDADE SÃO JOSÉ DE SETE LAGOAS


Nos dia 27 e 28 de Janeiro de 2017, a Comunidade São José de Sete Lagoas reuniu para o primeiro retiro espiritual 2017 com o tema “Meu julgo é suave e o meu fardo é leve (Mt 11,30) pregado pelo Padre Wantuil dos Santos Oliveira. O local de realização nos proporcionou tranqüilidade, silencio e uma natureza que nos convida a oração, a contemplação, reflexão, estudos e momentos de partilha.
Foram momentos fortes vivenciados na fé, amor, emoção, silêncio/deserto, orações, partilha, aprendizado, contemplação, como:
Após a abertura pelo Pe. Wantuil houve a introdução e acolhimento de Jesus crucificado, nos mostrando o fardo e o sofrimento passado por “Ele” em uma nova e derradeira aliança de amor, quando cheio de emoção e fé cada participante se dirigia a cruz e tocando-a e dizendo “uma palavra” que significasse a sua adesão á cruz e a missão de discípulos/missionários:
-“Entrego a minha dor na sua dor, em Ti eu me abandono, Senhor daí a vossa paz, aceitação, Sim eu aceito, eu estou aqui, uno o meu sacrifício ao seu sacrifício, renuncio a mim mesmo, Fica comigo Senhor, Amor, Paz.”
Leitura da palavra Mt 11,25-30.
Reflexição/partilha:
-Trazer-mos para a vida pessoal que “Jesus morreu por mim.”
-“Ele” nos chama (Mt 11,28), (Mc 3,13), não nos obriga, Nos convida a aprender com “Ele” (Mt 11,29), e (Apocalipse 3,20), com esperança e um coração novo, Para receber/aceitar/compreender (Mt 11,28-30), (Fl 4, 13), (Jô 16,33), (1 Cor 11,1), Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará. (Sl 37,5), Conhecer a verdade (Jesus) e “Ele” a nós, (Jo 8,32), (Jo 13,6), Quando estamos com “Ele” nos sentimos fortalecidos, renovados e que precisamos também descansar. (Mc 6,31), Mas não será fácil, (Mc 6,48) e às vezes nos encostar no peito de Jesus, (Jo 13,25).
Reflexão, deserto/silencio:
- Paciência (Hb 10,36), alegria, esperança, perseverança na oração (Rm 12,12), Amor (Cor 13), (lc 7,34), Não Julgar (Jo 8, 1,11), Fé (At 16,30-32), (Jo 16,31), Retiro (6,15)
- Perseverar na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações,
(At 2,42), Vivemos como discípulos? (At 14,22), (Jo 16,22) e (Gl 2,20).
Orações e a Santa Missa: Liturgias das horas (Vésperas), logo após a Santa Missa.
Partilha e jantar.
Momento de perdão e “Vinde a mim” adoração silenciosa, (Lc 23, 34,40-42), vigília e descanso.
Domingo, 28/01, Orações, liturgia das horas – Laudes, partilha no café da manhã e reflexão/reflexão (Mt 23,1-12) e (Sl 100,2), deserto/silencio.
Chamando-nos a atenção aos nossos comportamentos de cristão, sobre as nossas obras.
A Santa Missa de encerramento com partilha e confraternização com um delicioso almoço.


Wilson Teixeira da Silva





a

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

REUNIÃO EM 04/02/2017

 Retomamos nossas atividades do ano de 2017,  com muita saudade de nossos encontros e iniciamos com a Oração Jubilar à Nossa Senhora Aparecida. Nesse ano Mariano, entregamos tudo a ELA, Nossa Mãe e Rainha do Carmelo!
 Recebemos a visita de Suzane, consagrada da Comunidade Shalom (IESh - Instituto Eneagrama Shalom), que veio nos explicar sobre essa ferramenta da psicologia, o ENEAGRAMA, muito útil para facilitar o autoconhecimento e a harmonia na convivência com o próximo.
 Recebemos nosso quadrante, que nos ajuda a organizar nosso tempo, pois consta todos os dias de nossos encontros, retiro, congressos e eventos da OCDS, como também os contatos de todos os nossos irmãos da Comunidade e também da OCD.

 Recreio. Mônica e Israelly
 Gerardo e Romário
 Branca, Nilce e Maria Luiza
 Meire, Juliana e Jacqueline
 Catarina
  Conversamos sobre o TEMA I, do livro de formação, onde aprendemos mais sobre a Liturgia das Horas


Rezamos as Vésperas e Salve Regina.
"É preciso orar sempre, sem desfalecimento." (Lc 18,1) Imitando Nosso Amado Jesus, nosso modelo!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

A mensagem quaresmal 2017 do Papa Francisco, texto completo




A Palavra é um dom. O outro é um dom.


Amados irmãos e irmãs!
A Quaresma é um novo começo, uma estrada que leva a um destino seguro: a Páscoa de Ressurreição, a vitória de Cristo sobre a morte. E este tempo não cessa de nos dirigir um forte convite à conversão: o cristão é chamado a voltar para Deus «de todo o coração» (Jl 2, 12), não se contentando com uma vida medíocre, mas crescendo na amizade do Senhor. Jesus é o amigo fiel que nunca nos abandona, pois, mesmo quando pecamos, espera pacientemente pelo nosso regresso a Ele e, com esta espera, manifesta a sua vontade de perdão (cf. Homilia na Santa Missa, 8 de janeiro de 2016).

A Quaresma é o momento favorável para intensificarmos a vida espiritual através dos meios santos que a Igreja nos propõe: o jejum, a oração e a esmola. Na base de tudo isto, porém, está a Palavra de Deus, que somos convidados a ouvir e meditar com maior assiduidade neste tempo. Aqui queria deter-me, em particular, na parábola do homem rico e do pobre Lázaro (cf. Lc 16, 19-31). Deixemo-nos inspirar por esta página tão significativa, que nos dá a chave para compreender como temos de agir para alcançarmos a verdadeira felicidade e a vida eterna, incitando-nos a uma sincera conversão.

1. O outro é um dom
A parábola inicia com a apresentação dos dois personagens principais, mas quem aparece descrito de forma mais detalhada é o pobre: encontra-se numa condição desesperada e sem forças para se solevar, jaz à porta do rico na esperança de comer as migalhas que caem da mesa dele, tem o corpo coberto de chagas, que os cães vêm lamber (cf. vv. 20-21). Enfim, o quadro é sombrio, com o homem degradado e humilhado.

A cena revela-se ainda mais dramática, quando se considera que o pobre se chama Lázaro, um nome muito promissor pois significa, literalmente, «Deus ajuda». Não se trata duma pessoa anónima; antes, tem traços muito concretos e aparece como um indivíduo a quem podemos atribuir uma história pessoal. Enquanto Lázaro é como que invisível para o rico, a nossos olhos aparece como um ser conhecido e quase de família, torna-se um rosto; e, como tal, é um dom, uma riqueza inestimável, um ser querido, amado, recordado por Deus, apesar da sua condição concreta ser a duma escória humana (cf. Homilia na Santa Missa, 8 de janeiro de 2016).

Lázaro ensina-nos que o outro é um dom. A justa relação com as pessoas consiste em reconhecer, com gratidão, o seu valor. O próprio pobre à porta do rico não é um empecilho fastidioso, mas um apelo a converter-se e mudar de vida. O primeiro convite que nos faz esta parábola é o de abrir a porta do nosso coração ao outro, porque cada pessoa é um dom, seja ela o nosso vizinho ou o pobre desconhecido. A Quaresma é um tempo propício para abrir a porta a cada necessitado e nele reconhecer o rosto de Cristo. Cada um de nós encontra-o no próprio caminho. Cada vida que se cruza connosco é um dom e merece aceitação, respeito, amor. A Palavra de Deus ajuda-nos a abrir os olhos para acolher a vida e amá-la, sobretudo quando é frágil. Mas, para se poder fazer isto, é necessário tomar a sério também aquilo que o Evangelho nos revela a propósito do homem rico.


2. O pecado cega-nos
A parábola põe em evidência, sem piedade, as contradições em que vive o rico (cf. v. 19). Este personagem, ao contrário do pobre Lázaro, não tem um nome, é qualificado apenas como «rico». A sua opulência manifesta-se nas roupas, de um luxo exagerado, que usa. De facto, a púrpura era muito apreciada, mais do que a prata e o ouro, e por isso se reservava para os deuses (cf. Jr 10, 9) e os reis (cf. Jz 8, 26). O linho fino era um linho especial que ajudava a conferir à posição da pessoa um caráter quase sagrado. Assim, a riqueza deste homem é excessiva, inclusive porque exibida habitualmente: «Fazia todos os dias esplêndidos banquetes» (v. 19). Entrevê-se nele, dramaticamente, a corrupção do pecado, que se realiza em três momentos sucessivos: o amor ao dinheiro, a vaidade e a soberba (cf. Homilia na Santa Missa, 20 de setembro de 2013).

O apóstolo Paulo diz que «a raiz de todos os males é a ganância do dinheiro» (1 Tm 6, 10). Esta é o motivo principal da corrupção e uma fonte de invejas, contendas e suspeitas. O dinheiro pode chegar a dominar-nos até ao ponto de se tornar um ídolo tirânico (cf. Exort. ap. Evangelii gaudium, 55). Em vez de instrumento ao nosso dispor para fazer o bem e exercer a solidariedade com os outros, o dinheiro pode-nos subjugar, a nós e ao mundo inteiro, numa lógica egoísta que não deixa espaço ao amor e dificulta a paz.

Depois, a parábola mostra-nos que a ganância do rico fá-lo vaidoso. A sua personalidade vive de aparências, fazendo ver aos outros aquilo que se pode permitir. Mas a aparência serve de máscara para o seu vazio interior. A sua vida está prisioneira da exterioridade, da dimensão mais superficial e efémera da existência (cf. ibid., 62).

O degrau mais baixo desta deterioração moral é a soberba. O homem veste-se como se fosse um rei, simula a posição dum deus, esquecendo-se que é um simples mortal. Para o homem corrompido pelo amor das riquezas, nada mais existe além do próprio eu e, por isso, as pessoas que o rodeiam não caiem sob a alçada do seu olhar. Assim o fruto do apego ao dinheiro é uma espécie de cegueira: o rico não vê o pobre esfomeado, chagado e prostrado na sua humilhação.

Olhando para esta figura, compreende-se por que motivo o Evangelho é tão claro ao condenar o amor ao dinheiro: «Ninguém pode servir a dois senhores: ou não gostará de um deles e estimará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e ao dinheiro» (Mt 6, 24).


3. A Palavra é um dom
O Evangelho do homem rico e do pobre Lázaro ajuda a prepararmo-nos bem para a Páscoa que se aproxima. A liturgia de Quarta-Feira de Cinzas convida-nos a viver uma experiência semelhante à que faz de forma tão dramática o rico. Quando impõe as cinzas sobre a cabeça, o sacerdote repete estas palavras: «Lembra-te, homem, que és pó da terra e à terra hás de voltar». De facto, tanto o rico como o pobre morrem, e a parte principal da parábola desenrola-se no Além. Dum momento para o outro, os dois personagens descobrem que nós «nada trouxemos ao mundo e nada podemos levar dele» (1 Tm 6, 7).

Também o nosso olhar se abre para o Além, onde o rico tece um longo diálogo com Abraão, a quem trata por «pai» (Lc 16, 24.27), dando mostras de fazer parte do povo de Deus. Este detalhe torna ainda mais contraditória a sua vida, porque até agora nada se disse da sua relação com Deus. Com efeito, na sua vida, não havia lugar para Deus, sendo ele mesmo o seu único deus.

Só no meio dos tormentos do Além é que o rico reconhece Lázaro e queria que o pobre aliviasse os seus sofrimentos com um pouco de água. Os gestos solicitados a Lázaro são semelhantes aos que o rico poderia ter feito, mas nunca fez. Abraão, porém, explica-lhe: «Recebeste os teus bens na vida, enquanto Lázaro recebeu somente males. Agora, ele é consolado, enquanto tu és atormentado» (v. 25). No Além, restabelece-se uma certa equidade, e os males da vida são contrabalançados pelo bem.

Mas a parábola continua, apresentando uma mensagem para todos os cristãos. De facto o rico, que ainda tem irmãos vivos, pede a Abraão que mande Lázaro avisá-los; mas Abraão respondeu: «Têm Moisés e os Profetas; que os oiçam» (v. 29). E, à sucessiva objeção do rico, acrescenta: «Se não dão ouvidos a Moisés e aos Profetas, tão-pouco se deixarão convencer, se alguém ressuscitar dentre os mortos» (v. 31).

Deste modo se patenteia o verdadeiro problema do rico: a raiz dos seus males é não dar ouvidos à Palavra de Deus; isto levou-o a deixar de amar a Deus e, consequentemente, a desprezar o próximo. A Palavra de Deus é uma força viva, capaz de suscitar a conversão no coração dos homens e orientar de novo a pessoa para Deus. Fechar o coração ao dom de Deus que fala, tem como consequência fechar o coração ao dom do irmão.

Amados irmãos e irmãs, a Quaresma é o tempo favorável para nos renovarmos, encontrando Cristo vivo na sua Palavra, nos Sacramentos e no próximo. O Senhor – que, nos quarenta dias passados no deserto, venceu as ciladas do Tentador – indica-nos o caminho a seguir. Que o Espírito Santo nos guie na realização dum verdadeiro caminho de conversão, para redescobrirmos o dom da Palavra de Deus, sermos purificados do pecado que nos cega e servirmos Cristo presente nos irmãos necessitados. Encorajo todos os fiéis a expressar esta renovação espiritual, inclusive participando nas Campanhas de Quaresma que muitos organismos eclesiais, em várias partes do mundo, promovem para fazer crescer a cultura do encontro na única família humana. Rezemos uns pelos outros para que, participando na vitória de Cristo, saibamos abrir as nossas portas ao frágil e ao pobre. Então poderemos viver e testemunhar em plenitude a alegria da Páscoa.

Vaticano, 18 de outubro de 2016,
Festa do Evangelista São Lucas

FRANCISCO


O Carmelo é todo de Maria!



Estimados irmãos é com imensa satisfação que convidamos á todos os membros das Comunidades e Grupos Ocds a PARTICIPAREM do nosso XIII Congresso Norte/Nordeste e na ocasião o I Congresso Mariano em união com a Igreja no Brasil que comemorará 300 anos de Nossa Senhora Aparecida e mundialmente os 100 anos da Aparição de  Nossa Senhora em Fátima. Ela que na Aparição de Outubro apareceu com o hábito da Ordem do Carmo.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O XIII CONGRESSO NORTE/NORDESTE


As inscrições e pagamento deverão ser feitos pelo Presidente da Comunidade participante. As inscrições deverão ser feitas por email com envio da lista de participantes (ver modelo) e o comprovante de pagamento total .
Dados Bancários: Banco Bradesco / Agência: 631 - 9 / Conta Corrente: 1007724 – 9


As inscrições para o evento poderão ser feitas considerando os seguintes pacotes e valores:
Pacote 1: R$ 360,00 
Inscrição do Congresso​ + Hospedagem tipo 1 (Apartamentos duplos ou triplos simples com ventilador)
Pacote 2: R$ 450,00
Inscrição do Congresso + Hospedagem tipo 2 (Suítes duplas ou triplas climatizadas)​

 Será um grande momento de oração, formação, partilha e  fraternidade. E principalmente um grande louvor á Maria Santíssima  pedindo a ela que derrame suas bênçãos e graças sobre nossa Igreja e nossa Ordem , que ela Rainha e Formosura do Carmelo ,primeira discípula de seu Filho Jesus nos ensine o caminho para sermos verdadeiros e autênticos filhos e filhas da Igreja.E como seus irmãos na Ordem do Carmo  aprendamos as lições: do silêncio , escuta e humildade.

Organização Comunidade Flor do Carmelo de Santa Teresinha/Fortaleza-Ce

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Comunidades e Grupos OCDS compartilham suas atividades nas redes socias

Comunidade Santa Teresinha - Passos/MG
Retorno das atividades com a entrega dos livros de formação
e logo após Recreio Carmelitano.
Grupo São João da Cruz - Ibiapina/CE
Retorno das atividades.
Grupo Santa Terezinha Alma Missionária - Quixadá/CE
Celebrando o 1° ano de existência dia 31/01
Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus - Caratinga/MG
Retorno das atividades com a Santa Missa presidida
 pelo Reverendíssimo Frei Wilson.
Após teve Recreio Carmelitano  e as diretrizes deste ano,
 com a presença do Frei Júnior.
Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus e
da Sagrada Face - Mococa/SP
Reunião e formação.
Comunidades Sagrada Face - Varginha/MG e 
Santa Edith Stein -Três Pontas/MG
Missa de encerramento do retiro celebrada pelo
 Reverendíssimo Frei Pierino.

Comunidade Sagrada Face - Varginha/MG
Missa de Admissão de membros e Promessas Temporárias.

Grupo Santa Teresa de Jesus - Taguatinga/DF
Retorno das atividades.
Grupo Maria, Mãe e Mestra do Carmelo -Parnaíba/PI
Celebrando o 6° ano de existência com a Santa Missa
 em ação de graças. 
 Grupo Madre Teresa Margarida - Campo Belo/MG
Santa Missa de Admissão e Promessas Temporárias,
 presidida pelo Reverendíssimo Frei Pierino.
Logo após tiveram um jantar.
 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...