segunda-feira, 10 de maio de 2010

10/05/2010 -


Nasceu em 1º de março de 1389 em Florença, Itália.

Quando ele tentou pela primeira vez entrar para a Ordem dos dominicanos ele foi recusado pela sua saúde precária. Quando ele persistiu, o Prior disse que ele só entraria se recitasse toda a lei canônica de memória, e assim ele ficou a decorar o um livro considerado impossível de decorar durante um ano.Assim um ano depois ele voltou, recitou para o Prior o livro e foi admitido.

Mais tarde foi ordenado padre e indicado Prior.Membro do Conselho de Florença que procurava acabar a divisão entre as igrejas do leste e do oeste. Vigário Geral dos Dominicanos. Arcebispo de Florença .Grande teólogo e conseguia curar varias doenças apenas com sua benção e oração. Escreveu a biografia do Beato João Dominic.

Era um escritor de leis internacionais e teologia moral. É muito conhecido pelo seu notável trabalho “Summa moralis” o qual é geralmente considerado o alicerce da moderna teologia moral.

Ele estava sempre consciente dos problemas sociais e econômicos e ensinava que o Estado tinha o dever de intervir nos negócios comercias de bem comum, para ajudar os necessitados e desafortunados.

Ele foi um dos primeiros cristãos a ensinar que o dinheiro investido no comércio e indústria era um verdadeiro capital, assim era ilegal não usá-lo no interesse do país e seu povo, mas também era ilegal cobrar juros sobre ele e foi um forte oponente da usura.

Todos os seus livros tinham natureza prática e escreveu um guia para os confessores e uma crônica da história do mundo.

Sua primeira preocupação entretanto era sempre o povo de sua Diocese para os quais ele sempre deu um exemplo de vida simples, austero e inflexível integridade. Ele pregava regularmente , fazia uma visita anual a todos os paroquianos da diocese, acabou com os jogos, opunha a usura e a mágica , impediu os abusos de todas as espécies e serviu de exemplo da caridade cristã.

Cada dia ele dava a uma audiência a quem desejasse falar com ele. Ninguém apelava para a sua ajuda, material ou espiritual, em vão.

Antonino foi mais conhecido pela sua bondade para com os pobres, e havia muitos na cidade de Florença. Ele colocou no seu próprio jardim (retirando as flores) vegetais destinados aos pobres.

Ele dava o que estava em sua mesa, comida , roupa, e às vezes mobília. Ele não possuía nenhum objeto precioso como placas e jóias. No seu estábulo geralmente tinha apenas uma mula, que ele às vezes vendia para ajudar um pobre.

Quando isso acontecia algum rico cidadão comprava o anima e oferecia de presente ao Arcebispo. Em seu estabelecimento particular, às vezes havia mais de 600 famílias. Funcionava como a moderna Sociedade São Vicente de Paulo.

Quando a veio praga de 1448, era o santo arcebispo que liderada a coleta e ajudava a cuidar dos doentes e milagrosamente ele não contraiu a terrível doença. Muitos dominicanos morreram da praga, mas Antonino continuou a fazer o seu trabalho a pé ao redor de seu povo e nada sofreu. Durante o terremoto de 1453, ele, de forma similar ajudou a todos que podia.

A sua caridade fez com que muitos ricos seguissem seu exemplo e ajudassem os pobres e os aflitos.

Faleceu em 2 de maio de 1459em Florença, Itália.

Canonizado em 31 de maio de 1523 pelo Papa Adriano VI.

É invocado contra a febre.

É representado na arte litúrgica da Igreja:

1) com uma balança onde ele pesa as falsas mercadorias contra a palavra de Deus;
2) com o chapéu de Bispo;
3) segurando a cruz e dando a absolvição.

Seu corpo foi encontrado incorrupto em 1559, quando do traslado de suas relíquias.


Santo Antonino de Florença...rogai por nós!

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...