quarta-feira, 9 de junho de 2010

QUARTA FEIRA DA X SEMANA COMUM = 09/06/2010.

II Quarta Feira do Saltério (Vésperas– II Salmo).

Ant 2 Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção, e sua face resplandeça sobre nós!

Salmo 66 (67): Todos os povos celebrem o Senhor.

Israel implorava a chuva, como no Salmo 84; agora, depois de uma boa colheita, chega o tempo de dar graças a Deus pelos frutos da terra. Uma festa de ação de graças pelas primícias está prevista no Deuteronômio 26, 1-11. O Salmo 66 parece um comentário poético à bênção sacerdotal de Números 6, 24-27, usada no Ano Novo e que era, sem dúvida, recitada por ocasião da festa que encerrava o tempo das colheitas (cf. Ex 23, 14+).
A Bíblia de Jerusalém dá a este Salmo o título de “Prece coletiva após a colheita anual”, recitado, provavelmente, durante a festa com que se dava por terminada a colheita. O salmista sabe elevar-se das bênçãos temporais para a bênção universal, outorgada a Israel. Por conseguinte, a composição reflete uma perspectiva universal e missionária, na linha da promessa divina feita a Abraão; “Em ti serão abençoadas todas as nações da terra” (Gn 12,3; cf. 18,18; 28,14). Todos os povos devem alegrar-se e felicitar-se pelo governo justo de Deus sobre o universo, unindo-se às aclamações que agora Israel eleva a Deus. A graça e a bênção de Yahweh inundam de luz a vida de Seus filhos, que testificam Sua presença ante todos os povos, até os confins de toda terra.
Este Salmo é um comentário sobre a bênção sacerdotal de Números; nele o salmista expressa uma manifestação tão grande de ação de graças pelos favores Divinos ao povo escolhido, afim de que todas as outras nações reconheçam que só no Deus de Israel está a salvação. Em seu refrão, reflete o universalismo ensinado na segunda parte do Livro de Isaias: as nações pagãs, pelo exemplo do Povo Eleito e pelo ensinamento de sua história, também são chamadas a servir o Deus único.
“A terra produziu sua colheita”, exclama o Salmo 66. Este elemento natural está intimamente vinculado ao histórico: os frutos da natureza constituem uma ocasião para pedir repetidamente a Deus que abençoe seu povo (cf. vv. 2,7 e 8), de forma que todas as nações se dirijam a Israel, com a intenção de chegar ao Deus Salvador através dele.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...