quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Mensagem da Comunidade Santa Teresa, do Rio de Janeiro

Mês de Outubro, festa no Carmelo, duas Teresas Mestras e Doutoras.
A Comunidade Santa Teresa de Jesus (Rio de Janeiro) deseja a todos da Ordem de Nossa Senhora do Monte Carmelo que Santa Teresinha e nossa Santa Madre Teresa, juntas derramem uma chuva de rosas cheias de muitas bênçãos e graças sobre todos nós.
Salve o Carmelo!

Frei Fabiano Alcides que irá para Roma se despede da paróquia em Caratinga-MG

O vigário paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, frei Fabiano Alcides Pereira, despediu-se nesta segunda-feira, 27, da comunidade paroquial em que residia desde o ano passado, no bairro Esplanada, em Caratinga.

A missa de despedida foi presidida por ele próprio na igreja Matriz às 19 horas e concelebrada pelos demais frades da comunidade, inclusive o pároco, frei Marcos Matsubara, e o irmão de frei Fabiano, frei Leandro Alcides, que reside no noviciado da Ordem Carmelita, em Piedade de Caratinga.

Frei Fabiano, que há dias vem se preparando para a transferência, contou que foi interrogado pelo provincial, frei Alzinir, sobre seu interesse em novamente morar em Roma, assumindo juntamente os frades Edinaldo da Silva e Luís Fernando uma paróquia dentro da província romana, que a partir de agora deverá ficar sobre a responsabilidade da província brasileira.

O frade demonstrou durante sua homilia sensibilidade e gratidão ao povo de Caratinga, mas enfatizou que por necessidades pastorais a Igreja em Roma precisa de ajuda. Relembrando os frades italianos que marcaram a história do Carmelo em Caratinga por mais de três décadas, como frei Arcanjo, Samuel, Francisco e Patrício Sciadinni, afirmou que “cabe ajudá-los, pois estão morrendo, acabando, os freis na Europa”. Contudo, deixou claro que aceitou a transferência em vista do bem da Igreja e do Carmelo. Pediu ainda aos fiéis que rezassem por ele e pelos outros dois frades que vão, para que, como Santa Teresa, façam o nome de Jesus mais amado e conhecido.

O religioso, que tem 29 anos e é natural de Manhuaçu, teve parte de sua história relembrada por Maria Aparecida de Aquino, da pastoral litúrgica da paróquia, durante a homenagem que fez em nome de todos os paroquianos e amigos do frade. Também o pároco, na despedida, fez profundo agradecimento a frei Fabiano, valorizando seu zelo com a promoção vocacional, sua dinamicidade e amizade com os jovens e principalmente sua dedicação às capelas.

Após a celebração a comunidade preparou uma bonita confraternização no pátio do convento carmelita. Todas as pessoas que estiveram na missa foram convidadas e puderam dar um abraço de despedida no frade.

Frei Fabiano deixa Caratinga nesta terça-feira, 28 de setembro. Para Roma, embarca na segunda-feira, 04 de outubro, em companhia do superior geral da ordem que visita o Brasil.



Fonte: Diocese de Caratingahttp://www.diocesecaratinga.org.br/site/noticias/noticias/785-frade-carmelita-que-vai-para-roma-se-despede-da-paroquia

Carta do Definitório nº 6

CASA GENERAL DE LOS CARMELITAS DESCALZOS
Corso d’Italia, 38
00198 Roma – Italia

CARTA DEL DEFINITORIO (6)


+ Roma, 14 de septiembre de 2010

Muy queridos hermanos y hermanas en el Carmelo:

PAZ.

Al comenzar esta sexta reunión del Definitorio General, hemos recordado a nuestro hermano Anthony Pinheiro, fallecido inesperadamente justo cuando terminábamos la anterior. Hemos ofrecido por su eterno descanso la misa del Espíritu Santo celebrada por la comunidad antes de comenzar el encuentro y le hemos tenido muy presente en nuestra memoria a lo largo de estos días. Recordábamos las palabras que el P. General nos dijo aquí, en la misa de cuerpo presente que celebramos en la Casa General: Anthony, que siempre nos decía una palabra en la homilía cuando presidía la misa, nos daba con su vida y con su muerte un último testimonio, un testimonio de entrega radical en obediencia, amor y disponibilidad a la voluntad de Dios y de los superiores; lo dejó todo para venir a Roma y, aquí, dejó la vida. Descanse en paz.
Nuestro encuentro, que comenzó el día 10 de septiembre, sirvió en primer lugar para el P. General y los Definidores pudiésemos compartir lo que había sido nuestra actividad durante el verano. En estos meses ha habido tiempo para que el P. General, en España, y el P. Albert, en Irlanda, pudieran perfeccionar el español y el inglés respectivamente y también ha habido espacios para el descanso.
Pero hemos aprovechado también para realizar algunas tareas. Así, por ejemplo, el P. Augustine –que estuvo presente en el funeral del P. Anthony en India-, ha terminado de visitar todas las Provincias y otras circunscripciones, así como casi todos los monasterios de la India. El P. Robert hizo una visita al Líbano y el P. Marcos visitó el Caribe, Méjico, las presencias de América Latina en Europa y Egipto. El P. Peter visitó a los hermanos y hermanas de Taiwan-Singapur, Hong-Kong, Malasia e Indonesia, incluyendo una visita a las carmelitas descalzas de Timor Oriental. El P. George, por su parte, estuvo en Nigeria, Tanzania y Kenya y el P. John, después de asistir al funeral del P. Finiano en nombre del General y el Definitorio, estuvo en Malta, Irlanda, Inglaterra y Escocia. Por su parte, el P. Emilio nos informó de las actividades de la comisión para el Centenario teresiano y del Congreso celebrado en CITeS a finales de agosto sobre el Libro de la Vida.
Tras este primer intercambio, hemos afrontado el primer gran tema del Definitorio, el de la reorganización de las circunscripciones de América Latina, que hemos estudiado largamente. Durante las visitas realizadas por el P. Marcos, él ha podido conocer el parecer de los religiosos de estas regiones y también el de los provinciales españoles que tenían alguna responsabilidad jurídica en las áreas afectadas. Finalmente, hemos tomado las siguientes decisiones: crear, a partir de tres vicariatos ya existentes, los comisariatos del Caribe, Chile y Perú; unir en un solo vicariato dependiente de la Provincia de Burgos nuestras presencias en Bolivia, Paraguay y Uruguay, en espera de que puedan constituir en el futuro un comisariato; pasar nuestras presencias en Ecuador, como vicariato, a la Provincia de Colombia; animar a la Provincia de Centroamérica y a la Delegación General de Venezuela para que elaboren un acuerdo de colaboración.
Dentro del proceso de crecimiento y extensión de la Orden, patente en las realidades americanas, en este Definitorio hemos tomado la gozosa decisión de erigir una nueva Provincia, la de Delhi en la India, hasta ahora comisariato.
Hemos hablado también sobre nuestras presencias en Europa y sus problemáticas, fundamentalmente el envejecimiento de los religiosos y la falta de vocaciones y trataremos de hacer propuestas a las diversas circunscripciones con el fin de ayudarlas a encontrar soluciones. En este sentido, el P. Emilio se reunirá próximamente con algunos provinciales italianos y tanto él como los PP. Albert y Robert acompañarán a los provinciales europeos en la reunión de su Conferencia, que tendrá lugar a finales de octubre.
En el encuentro de jóvenes carmelitas europeos celebrado entre finales de agosto y principios de septiembre, surgió la idea de preparar una “escuela” o “casa de evangelización” para Europa, al estilo de los tradicionales “Seminarios de Misiones”, en los que los carmelitas descalzos que vienen de otras latitudes para ayudar a la Orden en este continente puedan prepararse adecuadamente. Podría servir también para que los propios religiosos europeos siguieran cursos de actualización sobre la misión en Europa. Aunque en este Definitorio hemos dado unos primeros pasos, tendremos que madurar y concretar aún más esta idea. Estamos abiertos a cualquier colaboración en la elaboración del proyecto.
Como en la reunión pasada, también en ésta hemos seguido dialogando sobre nuestros Desiertos. En Europa, por ejemplo, los Desiertos sufren las problemáticas generales de un modo, si cabe, más acusado. Nosotros creemos que esta forma de vida, amparada por nuestras Constituciones y que goza de nuestro mayor aprecio, ha de ser cuidada y protegida. En diálogo con los superiores mayores trataremos de elaborar alguna propuesta operativa y válida para sostener la vida de nuestros Desiertos.
Al respecto de la economía, la situación en estos momentos es más estable, en gran medida gracias a las ayudas y préstamos que hemos recibido últimamente. Agradecemos de corazón la colaboración de los hermanos y hermanas que nos han ayudado en este momento. Por otra parte, hemos comenzado a madurar la posibilidad de organizar encuentros de ecónomos provinciales con el ecónomo general en las distintas áreas geográficas en las que se crea oportuno.
Con respecto a nuestra vida como comunidad, hemos reflexionado sobre la vida de los que formamos ésta que vive en la Casa General. Junto a los hermanos que nos acompañan y que nos prestan un servicio impagable, queremos vivir, más allá de nuestros trabajos, nuestra vida de oración y comunidad como carmelitas teresianos. Por ello hemos prestado atención a los elementos positivos de nuestra vida, a fin de reforzarlos, y también a los negativos, para ir superándolos. Como se ha venido haciendo en los últimos sexenios, el P. Vicario General cursará una visita pastoral a la comunidad de la Casa General, los días 18 a 25 de noviembre de este año.
Un monasterio de carmelitas descalzas italianas, el de Piacenza, ha tenido la gentileza de enviarnos una carta para entablar un diálogo en torno a las reflexiones recogidas en la carta pasada. Agradecemos mucho este detalle, que nos estimula en nuestro trabajo.
A la hora de mostrarnos de manera nueva al mundo de hoy, de visibilizar nuestra presencia, podemos sentir una sensación de vértigo, a la vista del panorama de la realidad actual, tan compleja y plural que nos supera ampliamente. Es difícil determinar concretamente acciones que nos permitan dicha visibilización y seguramente cada comunidad debe encontrar esas maneras concretas, conocedora de su propia realidad y de la del mundo que la rodea.
Pero es cierto también que existen elementos esenciales que nos son comunes y que nos permiten encarnar nuestro carisma en la realidad. Como decía el P. General a los estudiantes europeos reunidos en Malta: “no se trata de cambiar el carisma teresiano, como no se trata de cambiar el evangelio: se trata de vivirlo en el modo más adecuado a los tiempos. Porque el carisma no ha cambiado, pero ha cambiado el mundo, han cambiado los hombres y las mujeres llamados a vivir ese carisma o recibir su testimonio. Negar la necesidad de una renovación incesante equivale en el fondo a negar la historicidad imborrable de la vida de la Iglesia, que siempre está inserta en el mundo a ella contemporáneo”.
En esa tarea de vivir más adecuadamente a los tiempos nuestro carisma, son importantes y decisivos los procesos de discernimiento comunitario, pero, ante todo, resalta como un elemento fundamental el compromiso personal. Cada uno de nosotros ha de hacer una elección casi moral para encarnar la vida religiosa carmelitana en nuestros tiempos.
La opción comunitaria no nos permite escapar de la opción personal. La comunidad resulta de la suma de todas las opciones individuales, que deciden elegir una vida pobre, pequeña, construida de fraternidad en un mundo a veces dividido, de oración y silencio en un mundo lleno de ruidos, de servicio desinteresado en un mundo obsesionado con el tener y con el poder, de cultivo de la sabiduría en un mundo tantas veces banal, vacío.
Nuestra vocación no es ante todo un proceso de autorrealización, sino un camino de entrega a los otros, de salida de nosotros mismos para darnos a los demás mediante la oración, la vida común y el trabajo apostólico (oculto en la contemplación o visible en la acción), tratando de establecer el Reino de Dios de forma quizás a veces paradójica o incomprendida, pero fuertemente adherida a la persona de Jesús, que vivió absolutamente fuera de sí mismo, tratando de ser tales como nos quiere la Santa Madre Teresa.
Salir de nosotros mismos significa, en primer lugar, aparcar nuestras opciones personales y nuestros deseos de realización por el bien de la Orden, a la que amamos, por el bien de nuestra comunidad, que es nuestra familia, por el bien de nuestros conventos y monasterios, que son nuestras casas. A esto sólo se llega mediante una opción personal, fundada en el convencimiento de que lo que estamos haciendo es por amor a Dios y a los otros, de los que queremos hacernos, siguiendo el ejemplo de Cristo, servidores.
Con todo afecto, vuestros hermanos:

P. Saverio Cannistrà, General
P. Emilio J. Martínez
P. Albert Wach
P. Augustine Mulloor
P. Robert Paul
P. Marcos Juchem
P. Peter Chung
P. George Tambala
P. John Grennan

Comentário ao Evangelho do dia feito por São João da Cruz




(1542-1591), carmelita, Doutor da Igreja
Conselhos e máximas (a partir dos n.° 220-226 in trad. Seuil 1945, p. 1212 rev.)

«Os seus anjos, no Céu, vêem constantemente a face de Meu Pai que está no Céu» (Mt 18,10)

Os anjos são os nossos pastores; não só levam a Deus as nossas mensagens,
como também trazem até nós as que Deus nos envia. Apascentam-nos a alma com
doces inspirações e comunicações divinas; sendo bons pastores, protegem-nos
e defendem-nos dos lobos, isto é, dos demónios.


Com as suas secretas inspirações, os anjos possibilitam à alma um
conhecimento mais elevado de Deus; inflamam-na assim de uma chama mais viva
de amor para com Ele; chegam até a deixá-la ferida de amor [...].


A luz de Deus ilumina o anjo, penetrando-o com o seu esplendor e
inflamando-o com o seu amor, porque o anjo é um espírito puro completamente
disposto a essa participação divina, mas, ao homem, ilumina-o habitualmente
de uma maneira obscura, dolorosa e penosa, porque o homem é impuro e fraco
[...].


Quando o homem se torna verdadeiramente espiritual e fica transformado pelo
amor divino que o purifica, recebe a união e a amorosa iluminação de Deus
com uma suavidade semelhante à dos anjos [...].


Lembrai-vos de como é vão, perigoso e funesto exultarmos com tudo o que não
seja serviço de Deus, e considerai a tamanha infelicidade dos anjos que
exultaram e se comprazeram com a sua própria beleza e seus próprios dons
naturais; pois foi esse o motivo por que alguns deles caíram, privados de
toda a beleza, no fundo dos abismos.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Deus não precisa de multidões.

Ele ama a cada um individualmente. O Santo Místico João da Cruz falava da "centelha de divindade" existente em cada pessoa e até mesmo da divinização daquele que ama a Deus.


Agora, um desses foi ordenado sacerdote. é o carmelita descalço de nome religioso Joan da Cruz. Na Bulgária, essa foi a primeira ordenação sacerdotal em absoluto de um carmelita nativo - uma grande festa. Muitos queriam estar presentes quando "a centelha de divindade" assumiu forma não só na Eucaristia, mas também na consagração dessa vocação. Quiçá alguns dos fiéis mais idosos tenha experimentado esse acontecimento como uma ressurreição tardia. O tempo do comunismo ainda não está esquecido, em todo lugar seus sinais ainda são visíveis. E assim, para a minoria de cerca de 73 mil católicos no país, essa primeira ordenação sacerdotal de um carmelita búlgaro é como uma arrancada para os novos tempos.
Os novos tempos não serão fáceis. Ainda é muito o que falta. Também o novo padre, que acaba de completar 26 anos, terá de arregaçar as mangas. Oito anos atrás ele batia à porta do Carmelo na Polônia, porque não havia uma casa de carmelitas descalços na Bulgária. Terminados seus estudos na Polônia, na Croácia e em Roma, ele voltou a Sofia e ajudou na reforma de uma casa para os carmelitas - e na reconstrução das almas. É dessa casa - o Centro Roncalli - que deve partir a renovação espiritual. Aqui tinha vivido o futuro papa João XXIII durante nove anos como diplomata. Aqui se realizam hoje retiros espirituais. Aqui funciona, no sótão, a Editora da Ordem. E nos demais ambientes os carmelitas, junto com outros sacerdotes, formam leigos de todas as idades, num Instituto de Cultura Teológica e Espiritual. Um ponto chave deve ser a convivência com outras confissões religiosas: mais de oitenta por cento da população são ortodoxos, cerca de doze por cento são muçulmanos. A pequena planta da Igreja Católica na Bulgária acorda de sua existência letárgica.
Nos últimos anos foi possível restaurar a casa da Rua Roncalli em Sofia desde a sua base - com a ajuda de vocês. Quanto mais itensamente se desdobra a atividade pastoral, tanto mais urgente se torna a necessidade de adequar as instalaçôes da casa. Falta uma cozinha, faltam cadeiras no auditório, falta uma mesa no refeitório. Nos quartos dos monges faltam, além disso, simples armários. Os "Carmelitas Descalços de São José" estão acostumados com privações. O mesmo vale para as religiosas que sobreviveram ao tempo das ditaduras, e assim também para os leigos. A falta mais dolorosamente sentida foi a dos padres. Sem padres não há sacramentos. Agora, Deus lhes deu um jovem sacerdote. Para nós é, de certo modo, um desafio doar aos corajosos irmãos e irmãs na Bulgária, junto com uma centelha de generosidade, um pouco de futuro esperançoso de alegria.

Fonte: site da "Ajuda à Igreja que sofre"


quinta-feira, 23 de setembro de 2010

CONVITE


O conselho da Comunidade Beata Tereza Maria da Cruz, aprovou o nome dos membros abaixo relacionados para realizarem promessas no próximo dia 26.09.2010, em cerimônia a ser presidida pelo Frei Wilson Gomes, Assistente Espiritual das Comunidades e Grupos OCDS, Norte/Nordeste.
PROMESSAS DEFINITIVAS
- Gisele Martins de Oliveira dos Ramos.
- Maria Irene Pantoja Pacheco.
PROMESSAS TEMPORÁRIAS
- Cleunira Ilhantina Souza Macedo.
- Fortunato Macedo da Trindade.
- Maria da Costa da Silva.
- Maria Lúcia Rocha Lima.
Raimunda Nonato Silva Souza.
Presidenta

Mini-Definitório tem início em Londrina



Iniciou-se hoje pela manhã com a celebração da Eucaristia o Mini definitório dos frades OCD para a América Latina e Caribe.
Participam os provinciais e representantes das 13 circunscrições do Carmelo Descalço Latinoamericano e caribenho e os Provinciais das províncias espanholas de Navarra, Burgos e Castela, que tinham responsabilidades com as Delegações ou vicariatos.
Dando as boas vindas, falou-nos alguns instantes o Bispo emérito de Londrina, D. Albano, destacando a necessidade de não viver apenas das rendas dos nossos santos, mas de dar testemunho de santidade.
Em seguida foram entregues pelo P. Geral, fr. Savério Cannistrà às novas delegações e vicariatos , as decisões do Definitório sobre a re-estruturação das presenças das Províncias.
Fr. Marcos Juchen apresentou a sua reflexão, fruto de sua visita fraterna a casa cisrcunscrição, que se intitulou "Radiografia da América Latina e Caribe", onde destacou de modo prático as necessidades mais urgentes para o Carmelo Teresiano em nosso Continente. A seguir houve o trabalho em grupos, que será apresentada pela tarde, mantendo um diálogo com o p. Geral.
As 17:00, fr. Milton, provincial de Colombia fará mais uma colocação.
Hoje pela tarde inicia-se também o Encontro das Presidentes e Delegadas das Associações das Carmelitas Descalças na AL e Caribe.
Nos dias 28 de setembro a 1 de outubro haverá o Encontro do P. Geral com as Prioras dos Mosteiros do Brasil.

fr. Alzinir
.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

DE 22/09 A 30/09 - NOVENA DE SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS



Durante nove dias reza-se a coroa das 24 Glórias à Santíssima Trindade, em ação de graças pelos dons concedidos a Santa Teresinha durante os 24 anos da sua vida e pela glória que lhe concedeu no Céu, depois da morte. Oração:

"Santíssima Trindade, Pai, Filho, Espírito Santo, eu Vos agradeço todos os favores e graças com que enriquecestes a alma de vossa Serva Santa Teresinha do Menino Jesus, durante os 24 anos que passou na terra, e pelos méritos de tão querida Santa, concedei-me a graça que ardentemente vos peço, se for conforme a vossa santíssima vontade e para a salvação de minha alma. Amém".

Glória ao Pai...

V. Santa Teresinha do Menino Jesus!
R. Rogai por nós.

(no fim das 24 glórias)

Ave Maria... Pai Nosso...

“Farei cair uma chuva de rosas"



RECREIO DO CONGRESSO 2010

QUERIDOS IRMÃOS,
NÃO SE ESQUEÇAM DE QUE DURANTE O CONGRESSO TEREMOS NOSSO MOMENTO DE RECREIO, E CADA UM DEVE LEVAR UMA ROUPA TÍPICA DE SUA REGIÃO,
PARA PARTICIPAR COM ALEGRIA .






Ensinamentos de Santa Teresa de Jesus

domingo, 19 de setembro de 2010

XXVII CONGRESSO PROVINCIAL OCDS



LANÇAMENTO DE LIVRO NO
XXVII CONGRESSO PROVINCIAL OCDS -2010







A MÍSTICA DO CORAÇÃO

AUTOR: CARLOS FREDERICO BARBOSA DE SOUZA OCDS

"SEMPRE FUI AMIGA DE BONS LIVROS" Santa Teresa de Jesus



sexta-feira, 17 de setembro de 2010

SANTO ALBERTO DE JERUSALÉM - 17/09/2010


Bispo e legislador de nossa Ordem

Santo Alberto nasceu em Itália, por volta do ano 1149. Entrou para os cónegos regulares de Santa Cruz, vindo a ser Prior Geral da Congregação. Foi depois bispo de Bobbio e Vercelli.
A sua fama de santo tornava-o querido aos olhos dos papas, imperadores, reis, bispos e de todo o povo, que o venerava como santo que tinha o dom de estabelecer a paz entre os desavindos.
Por morte do Patriarca de Jerusalém, foram unânimes os bispos, príncipes e o povo, em escolher para bispo de Jerusalém S. Alberto. O Papa teve que insistir muito para que aceitasse este cargo, que mais do que honra, era carga pesada, devido às dificuldades de toda a espécie, em que se encontrava o reino de Jerusalém.
Embarcou para a Terra Santa no ano 1205, sendo o seu Patriarca de 1206 a 1214. Chegado à Terra Santa, fixou residência na vertente do Monte Carmelo.
Brocardo, então prior dos carmelitas, pediu ao Patriarca Alberto que lhes desse uma norma de vida. De bom grado S. Alberto a escreveu, tornando-se assim no Legislador da nossa Ordem. Por isso, e apesar de não ter sido carmelita, a Ordem do Carmo o representa nas suas imagens vestido de carmelita e com a Regra na mão.
Nas suas dificuldades encontrou consolação e coragem junto dos carmelitas, seus amigos, de que foi sempre admirador e protector.
A Regra começa assim: «Aos amados filhos que moram perto da fonte de Elias, no Monte do Carmo…»
Quando, no dia 14 de Setembro de 1214, presidia em S. João de Acre, aos pés do Carmelo, à procissão da Exaltação da Santa Cruz, foi barbaramente assassinado, morrendo vítima do ódio este santo homem que passou a vida amando e fazendo a paz.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Carmelo da Imaculada Conceição-Sete Lagoas/MG

Há momentos especiais e importantes na vida de cada pessoa, cada família ou Comunidade. São “marcos” que deixam marcas e requerem ser celebrados e rezados. "Celebrar o Jubileu da Fundação do Carmelo é poder dizer, depois de 25 anos, como o Senhor é bom!" Fostes consagradas a Deus - porque é Deus que consagra e consagra para o seu serviço -, para dar testemunho de sua bondade, de seu amor, e assim ser sinal para os irmãos e irmãs. O jardim que vocês plantaram, ficou bem enraizado aqui, em nosso coração, em nossa mente e em nossa Diocese. E não é possível esquecer!

Agradeço a Deus pelo testemunho, presença e amizade. “São 25 anos sendo esse sinal de testemunho e fidelidade”

Que Maria, Virgem peregrina na fé e nossa Mãe celeste, vos acompanhem e vos auxiliem a pronunciar como Ela o sim à vontade de Deus, cantando juntamente com Ela o Magnificat, na confiança e na alegria perene do coração. Abraços e orações, Andréia - OCDS

É monge (a)quem está separado de todos, mas unido a todos!"(João Paulo II)


Realidade, o que podemos fazer?




Fico impressionado de como nossos jovens estão alienados! Acabo de ler uma notícia que me deixou ainda mais preocupado, pois tenho uma filha adolescente, veja na íntegra a notícia:

“Teria chegado ao Brasil uma nova e perigosa mania importada dos Estados Unidos e da Inglaterra. Em festas com amigos, jovens pingariam vodca nos olhos "para aumentar a sensação de embriaguez". Para especialistas, a idéia do efeito alucinógeno é mito, mas pode causar inflamações graves, queimação da córnea e até cegueira. Por causa dessa mania, um universitário de Campinas, interior de São Paulo, perdeu 95% da visão e terá que receber uma nova córnea. O rapaz disse que foi influenciado por vídeos do YouTube. Em um deles, o cantor Tico Santa Cruz, do grupo Detonautas, aparece pingando vodca nos olhos. Ontem, Tico, de 32 anos, tirou o vídeo do YouTube. No seu blog, o músico repudiou as afirmações de que teria estimulado outros jovens. "Foi uma brincadeira que não acrescentou nada na minha vida. Mas cada um tem que assumir as consequências do que faz. Não sou responsável se alguém pingou vodca nos olhos e teve problemas", desabafou Tico Santa Cruz.”
http://www.montesclaros.com/noticias.asp?codigo=50572

Como que nossos jovens estão hoje facilmente sugestionados por tudo e qualquer coisa, besteiras, que são nocivas, que eles usam e experimentam de forma alienada. Lembro-me que também sou jovem e nunca fui alienado assim, no muito experimentei algumas bebidas diferentes, mas com muito medo e cuidado. O que está acontecendo? Como podemos ajudar a mudar esse cenário? Um vídeo de um músico, no mínimo inconseqüente, postado num meio de comunicação como a internet. Outro alienado, universitário, assiste ao vídeo e repete a façanha, e o pior, está quase cego por isso.
Diante de uma situação dessa, o que, como carmelita secular, posso fazer?
O que, como pai e como cidadão, posso fazer?
Creio que esse é um tema pertinente para discutirmos e levantar pistas para uma ação efetiva e transformadora, posto que, somos e devemos ser luz no mundo, fermento na massa. Quem se interessar vamos conversar sobre o assunto, envie um email.
Paz e bem.
Marcelo Vilela
OCDS - Comunidade Beata Elisabete da Trindade, Montes Claros-MG

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

ORAÇÃO E AÇÃO !!!





CAROS IRMÃOS EM CRISTO E NO CARMELO, É COM ALEGRIA QUE CONVIDO PARA MAIS REUNIÃO DE ORAÇÃO NAS FAMÍLIAS QUE SERÁ NESTA QUINTA-FEIRA 16/08/2010, NA CASA DA IRMÃ CELINA, NA RUA DR. JOSÉ MARREY JÚNIOR, 38C, BAIRRO SANTA RITA, MONTES CLAROS-MG. QUEM NÃO PUDER ESTAR PRESENTE PODE ENVIAR SUAS INTENÇÕES PARA ESTE EMAIL. ESTEJAMOS UNIDOS EM ORAÇÃO PELAS FAMÍLIAS NESTE DIA E SEMPRE. PAZ E BEM A TODOS.

domingo, 12 de setembro de 2010

BEATA MARIA DE JESUS - 12/09/2010


Virgem
Nasceu em Tartanedo, Espanha, em 1560. Entrou para o Mosteiro das Carmelitas Descalças de Toledo, em 1577, e fez sua primeira profissão religiosa, em 1578. Aí passou a sua vida consagrada ao louvor divino, com exceção do tempo que dedicou à fundação do Mosteiro de Cuerva, em 1585.

Morreu em Toledo, no dia 13 de setembro de 1640. Santa Teresa de Jesus, nossa mãe, apreciou-a muito. Foi insigne pela contemplação dos mistérios de Cristo, vividos, intimamente, na Sagrada Liturgia e numa plena experiência pessoal.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

XXVII CONGRESSO PROVINCIAL OCDS




XXVII CONGRESSO PROVINCIAL OCDS - 2010



Teresa ensinou a lição, e todos aprenderam direitinho, junto com a formação não pode faltar recreação.

O Tião mandou avisar que na mala para o congresso, não pode faltar trajes típicos de sua região, dando ênfase ao chapéu, botina,lenço e bombacha...Sebo para passar nas canelas,para dá firmeza nas colchas e dançar a até o amanhecer, na falta do sebo traga muita animação. Sendo o recado do nosso irmão Tião o trem vai ser danado de bom!









sexta-feira, 3 de setembro de 2010

FELIZ ANIVERSARIO MARILENE!

















Marilene,
que voce seja muito feliz e abençoada por Deus.
E que a luz que brilha em voce irradie a todos que te cercam
sendo Testemunha viva do Ressucitado.
conte com nossas orações!
seus irmãos OCDS

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

SANTA TERESA MARGARIDA REDI DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS - 01/09/2010


Virgem

Ana Maria Redi nasceu na Itália, na cidade de Arezzo, na Toscana, da nobre família Redi, no dia 15 de julho de 1747. Seus pais foram Inácio Fernando Maria Redi e Maria Camila Bal-Lati. Tiveram 13 filhos, Ana Maria foi a segunda. Teve três irmãs religiosas e dois irmãos sacerdotes. Desde muito pequenina, Ana Maria gostava de colher flores para as oferecer a Jesus.

Na adolescência, procurava exercitar cada dia uma virtude. Na juventude, adorava rezar diante do sacrário, onde dizia palpitar não só o Amor, mas o Coração do Amor. Tinha 17 anos quando pensou ouvir uma voz que lhe dizia: «Sou Teresa de Jesus e quero-te entre as minhas filhas». Foi o seu chamamento ao Carmelo, à «Casa dos Anjos», como gostava de chamar aos conventos de carmelitas.

Ana Maria Redi foi uma alma contemplativa desde menina. Freqüentemente enchia-se de entusiasmo e questionava: “diga-me, quem é esse Deus?”

Ana Maria, como lírio imaculado, procurava os vales sorridentes do Carmo, onde entrou com 17 anos, no dia 1º de Setembro. No período de Postulando quis Deus conceder-lhe uma doença provocada por um tumor maligno que a fez sofrer muito. Uma vez restabelecida, iniciou o Noviciado, tomando o hábito do Carmo e mudando o seu nome pelo de Teresa Margarida do Coração de Jesus.

Durante toda a sua vida viveu o lema: “Escondida com Cristo em Deus”. Mais que “Mestra” foi um contínuo e magnífico testemunho de vida espiritual. Foi Apóstola do Sagrado Coração e de Nossa Senhora do Carmo, a quem amou entranhadamente.
Outro lema que lhe era muito caro, com fiel herdeira do espírito do Carmelo era “padecer e calar”.

Teve uma particular experiência contemplativa, fundada na palavra do Apostolo São João: “Deus é Amor”. O mistério da Cruz e os espinhos que rodeavam o Coração de Cristo atraíam-na fazendo-a humilde, alegre e caridosa. No dizer das Irmãs, era um anjo do Céu no convento, em Florença.

Viveu no amor e na imolação de si mesma e atingiu, rapidamente, a perfeição, no serviço constante e heróico de suas Irmãs.

Conforme um de seus biógrafos, ela pertence a mais pura estirpe espiritual Sanjoanista. A chama obscura do amor infuso que abrasa, consume, ilumina e dirige toda a vida, fazendo-a tocar o centro da vida trinitária, de onde se abre o mais ardente apostolado contemplativo.

Também foi uma grande mística que para tanto usou dois meios: uma vida de dura ascese e intensa caridade fraterna.

Assimilou com perfeição os ensinamentos de Santa Margarida Maria Alacoque sobre o Sagrado Coração de Jesus e viveu-os de modo bem pessoal, até chegar à intimidade com a Santíssima Trindade.

Soube cobrir com as cinzas da santa humildade seus dons naturais: nobreza, cultura e inteligência. Conservou no mais profundo silêncio as graças que recebia de Deus, dissimulando continuamente todo ato de virtude. Teresa Margarida encontrou na meditação da Paixão de Cristo e no seu Coração o segredo da sua pureza, simplicidade, amor e caridade.

No dia 4 de Março de 1770, pediu ao confessor que a ouvisse em confissão geral, pois queria, no dia seguinte, comungar tão preparada como se fosse a última vez. Assim foi, de fato; nesse dia, 5 de Março, depois de comungar fervorosamente, caiu doente. A doença degenerou em gangrena que lhe provocava dores horríveis e insuportáveis. O Crucifixo, que sempre teve nas mãos foi a sua força. Morreu dois dias depois da doença se ter declarado. Faleceu aos 23 anos, em Florença, no dia 7 de março de 1770. Expirou com a cabeça inclinada e abraçada ao seu crucifixo.

O Papa Pio XI a beatificou no dia 9 de junho de 1929 e a canonizou no dia 12 de março de 1934.

A seu respeito, disse o Papa Pio XII: “Santa Margarida, ardente do amor divino, mais se assemelhou a um anjo que uma criatura humana, podendo assim ajudar muitas almas a alcançar a virtude”.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...