domingo, 20 de fevereiro de 2011

ENTREVISTA COM FREI FABIANO ALCIDES PEREIRA - NOVO DELEGADO PROVINCIAL PARA A OCDS (Regiões Sudeste e Centro-Oeste)


1. Fale um pouco sobre você, para que possamos conhecê-lo melhor.
- Sou natural da cidade de Manhuaçu - MG e o segundo entre 4 irmãos, inclusive meu irmão mais velho, Frei Leandro, também é carmelita descalço. Entrei na Ordem dos Carmelitas em 2000; fiz o postulantado em Caratinga; em 2001 fiz o noviciado em Piedade de Caratinga; de 2002 a 2004 estudei Filosofia em Belo Horizonte; de 2005 a 2008 fiz Teologia no Teresianum, em Roma, onde também fiz a profissão solene e a ordenação diaconal. Fui ordenado sacerdote em nossa Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, em Belo Horizonte, por Dom Joaquim Mol, bispo auxiliar da Arquidiocese. Trabalhei durante quatro anos como promotor vocacional da Província. Fui ecônomo na comunidade de Travessão de Campos - RJ; conventual e vigário na comunidade do aspirantado em Caratinga. Provisoriamente estou residindo em São Roque.

2. Você foi pego de surpresa para este trabalho ou já esperava essa designação?
- Realmente não esperava ser designado pelo provincial para trabalhar com a OCDS, pois estava em Roma, em nome da Província. Logo após o capítulo quando falei com Frei Rubens ele me disse que eu tinha sido delegado para trabalhar com a Ordem secular. Ele me perguntou se eu aceitava o ofício e eu disse que sim, se fosse para o bem do Carmelo e da Igreja, aceitaria. Naquela noite fiquei muito preocupado e dormi pouco, pois diante do novo, sempre nos assustamos um pouco. No outro dia pela manhã celebrei a missa e pedi ao Senhor que me iluminasse para que eu pudesse fazer um bom trabalho em favor do Carmelo Secular e consagrei estes três anos seguintes diante do túmulo do apóstolo Pedro na Basílica Vaticana. Pedi ao Senhor, pela intercessão do Apóstolo, que todo esse trabalho fosse para a construção do Reino de Deus.


3. O que você acha que essa posição de Delegado para a OCDS exige e o que é mais importante para você nessa missão?
- Depois de conversar um pouco com nosso amigo Frei Afonso, ex-delegado da Ocds, percebi que ser delegado para a Ocds exige muita dedicação, empenho, integração com as comunidades para conhecê-las separadamente, pois cada uma, acredito eu, tem sua particularidade, seus valores, suas peculiaridades. Mas percebo também que exige interesse, por parte do delegado, de fazer com que o Carmelo Secular, de modo geral, esteja extremamente vinculado aos frades e às monjas, pois todos bebemos de uma mesma fonte e somos uma só família que vive de modo diferenciado o mesmo carisma. Além disso, percebo também, que é necessário uma orientação para fazer com que cada ramo do Carmelo tenha clareza na sua vocação específica e viva segundo esta vocação.
O mais importante para mim nesta missão é ser um a presença fraterna e orante no meio de vocês, para que, por meio do diálogo, da oração, dos encontros, dos congressos, possamos nos empenhar, cada vez mais, para fazer crescer em nós o desejo de sermos de Deus, de colocarmos tudo aquilo que temos e somos nas mãos de Deus, através do vínculo do nosso carisma e podermos beber da fonte da nossa espiritualidade.

4. Qual a sua opinião sobre a OCDS no Brasil?
- Ao ler as Constituições de vocês que diz: “Por meio da promessa de tender à perfeição evangélica o carmelita secular reforça seu compromisso batismal no mundo a serviço do projeto de Deus. Ela é um penhor de santidade pessoal, que necessariamente leva a um empenho de serviço à Igreja na fidelidade ao carisma carmelitano-teresiano” (11), reforça mais uma vez minha opinião sobre a OCDS. A vocação específica a qual é chamado o carmelita secular tem esta missão, ou seja, viver com empenho o compromisso batismal em meio ao mundo e de modo particular no Brasil, onde estamos inseridos e somos chamados a testemunhar uma fé viva, um amor ardente pela Igreja, para colaborar com o projeto de salvação do Senhor. E assim crescer na santidade, na fraternidade, na comunhão com o Senhor, inserindo-nos cada vez mais na realidade onde estamos presentes para viver uma espiritualidade encarnada em nossa realidade eclesial.
Vejo a OCDS como um grande potencial para realizar este projeto constitucional, fazendo chegar a todos a riqueza, a beleza e a profundidade da espiritualidade carmelitana.

5. Aos seculares, você poderia fazer - uma recomendação (conselho):
- A todos recomendo que não deixem apagar esta chama viva do amor de Deus que foi acendida em vossos corações para que possam viver com fidelidade, dedicação e alegria a vocação de cada um. Que o diálogo de amizade de todos seja fecundo e faça gerar frutos de santidade e vida nova no coração da Igreja, conforme nos exortou Frei Rubens em sua mensagem final ao Capítulo, incentivando a todos a alegria, a fidelidade, a criatividade e o empenho pessoal e comunitário, a fim de promover nosso Carisma onde quer que estejamos.
Recomendo também a leitura e o estudo do Caminho de Perfeição para expressar a comunhão da OCDS com toda a família do Carmelo, que se prepara para celebrar o V centenário do nascimento de nossa mãe, Teresa de Jesus. Que a Virgem do Carmo vos ilumine e vos oriente para que em tudo vocês possam fazer a vontade de Deus.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...