quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

PAPA PROPÕE SANTA TERESA DE JESUS COMO “MESTRA ESPIRITUAL” HOJE


ZP11020210 - 02-02-2011
Permalink: http://www.zenit.org/article-27158?l=portuguese


Começa uma breve série sobre os Doutores da Igreja

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011 (ZENIT.org) - O Papa Bento XVI quis propor hoje a santa espanhola Teresa de Ávila como exemplo de vida "fascinante" e como "mestra espiritual" para os cristãos de hoje.
Começou assim um percurso - como ele mesmo anunciou aos peregrinos reunidos na Sala Paulo VI para a audiência das quartas-feiras - pela vida dos Doutores da Igreja, sobre alguns dos quais já falou durante seu ciclo de teólogos medievais.
Teresa de Ávila, afirmou o Papa, "representa um dos cumes da espiritualidade cristã de todos os tempos".
Citando a autobiografia da santa espanhola - "O livro da vida" -, Bento XVI percorreu sua vida desde os desejos de martírio em sua infância, sua adolescência e juventude cheias de distrações, seu conflito interior em meio às doenças e, finalmente, sua conversão e suas experiências místicas.
"Paralelamente ao amadurecimento da sua própria interioridade, a santa começa a desenvolver, de forma concreta, o ideal de reforma da Ordem Carmelita", explicou o Papa, aludindo à importante reforma do Carmelo, levada a cabo por Teresa.
A existência de Teresa de Ávila, ainda que tenha transcorrido na Espanha, sublinhou, esteve "empenhada por toda a Igreja", fato pelo qual foi proclamada Doutora da Igreja por Paulo VI, em 1970.
"Teresa de Jesus não tinha formação acadêmica, mas sempre entesourou ensinamentos de teólogos, literatos e mestres espirituais. Como escritora, sempre se ateve ao que tinha experimentado pessoalmente ou visto na experiência de outros", explicou o Papa.
Da mesma forma, aludiu à sua "amizade espiritual com muitos santos, especialmente com São João da Cruz", assim como sua estima pelos "Padres da Igreja, São Jerônimo, São Gregório Magno, Santo Agostinho".
Além da autobiografia, o Santo Padre destacou o "Caminho de perfeição", no qual a santa "propõe um intenso programa de vida contemplativa ao serviço da Igreja, em cuja base estão as virtudes evangélicas e a oração", e sua obra mística mais conhecida, "Castelo interior".
Nesta última, Teresa "refere-se à estrutura de um castelo com sete ‘moradas', como imagens da interioridade do homem", inspirando-se "na Sagrada Escritura, especialmente no ‘Cântico dos Cânticos'".
Entre os ensinamentos da santa, o Papa destaca "o desapego dos bens ou a pobreza evangélica (e isso diz respeito a todos nós); o amor de uns aos outros como elemento essencial da vida comunitária e social; a humildade e o amor à verdade; a determinação como resultado da audácia cristã; a esperança teologal, que descreve como sede de água viva".
Nos ensinamentos de Teresa estão também "as virtudes humanas: afabilidade, veracidade, modéstia, cortesia, alegria, cultura".
"Em segundo lugar, Santa Teresa propõe uma profunda sintonia com os grandes personagens bíblicos e a escuta viva da Palavra de Deus", assim como a oração como algo "essencial": para a santa, rezar significa "tratar de amizade com Deus, estando muitas vezes tratando a sós com quem sabemos que nos ama".
"Outro tema caro à santa é a centralidade da humanidade de Cristo. Para Teresa, na verdade, a vida cristã é uma relação pessoal com Jesus que culmina na união com Ele pela graça, por amor e por imitação", assim como "a perfeição, como aspiração de toda vida cristã e sua meta final".
Por isso, afirmou o Papa aos presentes, "Santa Teresa de Jesus é uma verdadeira mestra de vida cristã para os fiéis de todos os tempos. Em nossa sociedade, muitas vezes desprovida de valores espirituais, Santa Teresa nos ensina a ser incansáveis testemunhas de Deus, da sua presença e da sua ação".

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...