quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Como Deus me chamou ao Carmelo - Mari Elza (OCDS de Campinas-SP)

Lembro que desde o tempo dos primeiros anos de escola, no Colégio Puríssimo Coração de Maria, em minha cidade natal, sempre rezei com muita fé, na intercessão de Nossa Senhora. Sempre via minha mãe rezar o Terço todos os dias, de joelhos e antes de dormir me perguntava se já rezara. Em casa, eram esse poucos e profundos momentos de oração. Através da escola freqüentava Missas e momentos de reflexão.

Enquanto namorávamos, eu e meu hoje marido, participávamos de um Grupo de Jovens, comum nas Paróquias, até o nosso casamento. Fizemos o TLC, Treinamento de Liderança Cristã. Vieram os filhos e seguíamos a nossa vida de família cristã, quando uma tragédia se abateu na família, com a morte de uma cunhada, de forma violenta. A morte me fez refletir uma série de pontos “mornos” na minha vida e me levou a me aprofundar na Palavra, lendo com atenção e tomando cada vez mais gosto.

Certa vez, buscando um livro numa livraria católica me deparo com o Livro, Vida de Santa Teresa, fiquei surpresa ao ler que ela mesma escrevera o livro, que ignorância a minha, confesso, até então nunca tinha ouvido que uma Santa tivesse escrito um livro de próprio punho..., como as irmãs do colégio deixaram de falar ou como eu não as ouvi, que existiam livros escritos por Santos. Bebi, literalmente bebi, li e reli as suas palavras, com muita sede. Li depois, Caminho de Perfeição e Moradas.

No trabalho, meu marido, ouviu sobre um Convento de Irmãs Carmelitas na cidade onde moro e mais uma vez me surpreendi, pois até então, não imaginava que havia na cidade tal Convento. Buscamos saber onde e sobre horários de Missa, e lá estávamos num domingo pela manhã.

Eu estava feliz, filhas de Santa Teresa e tão pertinho de casa. Nessa Missa foi anunciado que no domingo seguinte, dia da solenidade de Nossa Senhora do Carmo, seria imposto o ES..., não recordava aquela nova palavra, que nome era aquele, perguntava eu ao meu marido. E de repente lembrei, veio claro na memória, ESCAPULÁRIO. Não sabia do que se tratava, mas lá estava eu, na fila para receber a imposição do Escapulário e logo depois o convite para ingressar na OCDS que se iniciava naquele Carmelo. Aí, entendi tudo. Foi ou não foi um chamados

Mari Elza de Santa Madre Teresa de Jesus, ocds
Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus - Campinas-SP

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...