domingo, 8 de julho de 2012

Carmelo Santa Teresa e Beata Myriam Uma vida de amor e oração pela Igreja


A Igreja de Franca está em festa pelos 25 anos de fundação do Carmelo Santa Teresa e Beata Myriam, situado na Rodovia Nestor Ferreira Km 4. Atualmente o mosteiro abriga 15 irmãs que vivem em clausura, numa vida dedicada à oração, no silêncio e recolhimento, mesclados com uma vida fraterna, trabalho e alegria marcantes.
Olhando para elas, perguntamo-nos qual a história deste Carmelo, as motivações de cada irmã, o que faz com que jovens escolham esta vida de austeridade, de renúncia, numa opção radical como esta. Como conciliar uma vida “atrás das grades” com a alegria, enfim, como é estar no Carmelo e o seu dia a dia.
 Foto atual da comunidade do Carmelo Santa Teresa e Beata Myriam  
Como nasceu o Carmelo de Franca?
Nosso Carmelo nasceu primeiramente no coração de nosso querido Bispo Dom Diógenes Silva Matthes, primeiro bispo de Franca. Ele desejava trazer o Carmelo para o coração da diocese, para que fosse o “para raios” da Igreja de Franca, um oásis de oração, uma ajuda orante para os sacerdotes e todo o povo de Deus. Dom Diógenes fez o pedido da fundação para os superiores da Ordem e foi aceito. Foi pedido ao Carmelo de Cotia- SP  para estar à frente da organização da nova fundação, juntamente com o Provincial  do Carmelo naquele ano, Frei Patrício Schiadini OCD. Feita a escolha das irmãs fundadoras,que também vieram de outros Carmelos e feitos os devidos preparativos, nossas irmãs foram solenemente acolhidas na cidade de Franca  no dia 16 de agosto de 1987, festa da Assunção de Maria,numa belíssima celebração no salão junto à Catedral que estava em reforma naquele ano e dirigindo-se após, em procissão com o povo para a casa na rua Virgínio Pereira onde seria o Carmelo provisório, tão bem organizado e preparado pelos nossos queridos benfeitores. Ali viveram as irmãs até a construção do mosteiro definitivo. O Terreno para a construção do novo Carmelo foi doado pelo querido Dr. Fábio Meireles e sua esposa Ivele. Devagar foi erguido o novo mosteiro com a ajuda generosa do povo francano e outros colaboradores de outras localidades e instituições de caridade.
                  
                             Foto das irmãs fundadoras do Carmelo de Franca.

Da esquerda para a direita, em baixo: Madre Maria Raimunda dos Anjos( Carmelo de Cotia), Irmã Maria do Carmo de Cristo Rei ( Carmelo de Aparecida), Irmã Denise de Jesus( Carmelo de Passos). Em cima: Irmã Maria Eunice do Coração de Jesus ( Carmelo de Passos), Irmã Maria Verônica da Santa Face( Carmelo de Montes Claros), Irmã Maria Stella( Carmelo de Cotia) e Irmã Eliana Teresa do Coração de Maria(Carmelo de Cotia).

 Como é a vida no Carmelo?
                      
Nossa vida é muito simples, feita de pequenas coisas como uma colcha de retalhos. Vivemos a oração e o trabalho em um clima de silêncio e recolhimento. Como um coração que bombeia o sangue para todo o corpo, assim somos nós, bombeamos para todos os filhos de Deus a Vida que é o Próprio Deus. Espalhamos o amor, a luz, a vida, a alegria através da oração. Experimentamos a força deste apostolado a cada dia, pois a oração atinge todos os tempos e lugares. Vemos que mais do que palavras, as pessoas precisam de Deus, do seu amor.
 Cada Irmã possui sua própria cela, pequena, sóbria e pobre, onde deve permanecer a maior parte do tempo, cumprindo o que ensina a Regra: “Meditar dia e noite na Lei do Senhor, a não ser que esteja legitimamente ocupada em outros afazeres”.
Vivemos na clausura, onde existe uma separação radical do exterior, para conseguir o desprendimento interior, e encontrar no Senhor a água viva da contemplação em uma feliz experiência de fraternidade em Cristo: Estar a sós com Deus. A clausura tem a finalidade de salvaguardar a liberdade e a harmonia da vida comunitária. Se Santa Teresa, nossa fundadora, insiste tanto na importância da solidão, é porque a considera como um elemento indispensável para a vida de oração e “só com nossa oração e a nossa entrega total a Deus podemos ser úteis à Igreja”.  Durante grande parte do dia  guardamos  silêncio e quando é necessário nos comunicarmos, deve ser com poucas palavras ou através de bilhetes ou sinais.
O trabalho é de grande importância na vida de uma Irmã Carmelita, é um testemunho de pobreza a exemplo de Jesus que trabalhou com suas mãos. Nossos trabalhos ajudam no sustento da comunidade.Vivemos também de doações que são sempre tão generosas.
O convento, de aparência austera e simples, é cercado por muros e em seu interior, abriga um grande jardim, que deve convidar ao silêncio e à contemplação.
               
                                                     Jardim do claustro
  Participamos da Santa Missa todos os dias em nosso próprio Mosteiro. A Eucaristia é sinal e vínculo de caridade, une a comunidade em um só corpo e em um só espírito. Outra característica importante de nossa vida contemplativa é “a participação na oração de Cristo que tem sua expressão mais alta na SAGRADA LITURGIA e prolonga-se durante o dia enriquecendo a oração pessoal. Na Eucaristia a carmelita passa a ser a “voz da Igreja” que na Liturgia das Horas, sete vezes ao dia, proclama os louvores do Senhor,elevando o mundo para Deus e intercedendo por ele.
 No Carmelo, a Virgem Santíssima, Mãe de Deus, é considerada particularmente como Mãe e Padroeira. Sinal de consagração a ela é o escapulário que trazemos sobre o hábito.
Sem contradizer o espírito eremítico do Carmelo, Santa Teresa não deixou de implantar e fomentar uma SÓLIDA VIDA COMUNITÁRIA. Para ela, o amor e a intimidade com Deus através da oração e da contemplação, deveriam concretizar-se em frutos de caridade que se manifestam na vida comum. Por isso há um paralelo no nosso dia a dia, duas horas de oração pessoal silenciosa e duas horas de recreação.
Após as duas grandes refeições do dia é a hora do recreio, onde as Irmãs podem partilhar suas alegrias e num clima de grande descontração, receiam conversando. Nos dias de semana costuma-se realizar trabalhos manuais e nos Domingos e festas, podem-se recitar poesias, cantar e tocar instrumentos musicais e fazer encenações teatrais.


Qual é a rotina das irmãs? Como é organizado o dia a dia do mosteiro?

Despertamos às 4 h: 40min ao soar da matraca  uma irmã canta esta sentença: “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo e sua Mãe a Virgem Maria, Senhora nossa! À  oração irmãs para louvar o Senhor!”  Dirigimo-nos, então,ao coro e rezamos as Laudes (louvores da manhã) e depois permanecemos por uma hora rezando em silêncio e as 6h:30min vamos tomar café, sempre em silêncio.
Às 07h30min temos a Santa Missa e após, permanecemos no coro para a oração da hora Terça e vamos cada uma para os seus respectivos ofícios. Cada irmã faz um trabalho, seja serviços da casa como: cozinha, sacristia, portaria, etc. ou trabalhos manuais, como: velas, pinturas, bordados, etc. que serão vendidos no mosteiro. Procuramos também guardar o silêncio nestas horas de trabalho, falando o estrito necessário. Ao soar o sino, nos reunimos às 11:00 h para a oração de sexta, fazemos um pequeno exame de consciência e vamos em procissão para o refeitório. Durante a refeição, uma irmã é designada para a leitura espiritual. Enquanto alimentamos o corpo, alimentamos a alma com santas leituras. Após o almoço lavamos juntas as louças e vamos para o momento de recreação comunitária ao meio dia. Neste momento conversamos e nos alegramos mutuamente sempre tendo um trabalhinho manual. Como é maravilhoso este momento fraterno tão simples e alegre com nossas irmãs!Como é bom encontrá-las, estarmos reunidas para uma conversa fraterna!
Às 13 h temos uma hora de silêncio. Este momento é livre para que a s irmãs possam descansar. Ás 14 h reunimo-nos para a oração de Nôa e vamos para a cela (é como chamamos o quarto) para a leitura espiritual até as 15 h onde voltamos para o trabalho, nesta hora as noviças tem a formação.
Às 16h30min temos a oração de Vésperas e logo após mais uma hora de oração silenciosa até as 18h quando rezamos o terço e em seguida vamos para o jantar. Temos mais uma hora de recreação comunitária e às 20h15min nos dirigimos ao coro para as orações de completas e Oficio das leituras até as 21h.
               
                        Irmãs rezando o ofício divino no coro.  Foto-arquivo do mosteiro.



Vocês podem ter contato com o povo? Como é o uso dos meios de comunicação?
 Podemos sim, ter contato com as pessoas. Estes encontros se dão em uma sala chamada locutório, um cômodo pequeno com a separação por grades. Estas grades são um sinal de que pertencemos somente a Deus e que nosso apostolado é pela oração numa vida de escondimento. É também uma ajuda para manter este recolhimento e silêncio próprios do Carmelo. Muitas pessoas nos procuram para um pedido de oração, buscando conselhos, para um desabafo ou uma partilha do coração. É impressionante o número de ligações para pedidos de oração. O contato com os familiares também é feito no locutório. Saímos da clausura para consultas médicas e exames clínicos necessários e para as eleições.
O uso dos meios de comunicação também é em casos necessários. Não vemos televisão a não ser muito raramente e como formação religiosa. Realmente, o dia é tão preenchido que não nos lembramos de televisão. As pessoas se surpreendem com isso, mas são tão bons os recreios, este contato com as irmãs, que não faz falta!
                 


Testemuho de algumas irmãs:

O que motivou a entrada no Carmelo?
Irmã Laura Teresa, 27 anos, Passos -MG – Meu desejo era ser médica, já bem novinha tinha este grande desejo de ajudar o próximo. Conheci o Carmelo atravéz dos escritos de Santa Teresinha. Um dia descobri que havia um Carmelo em minha cidade. Senti-me muito tocada pela alegria das Irmãs e me perguntava: “Como podem ser tão felizes?”. Cada vez que eu lia sobre a espiritualidade Carmelitana, meu coração sentia um chamado forte a abraçar esta vida de oração e intimidade com Deus, a também viver tudo isto que eu lia. Sentia que este apostolado de amor e oração em favor da Igreja era o que preenchia o meu coração tão sedento de infinito. A resposta ao amor que me chamava só podia também ser de amor. Sou completamente realizada e feliz em minha vocação. No Carmelo encontrei o que tanto desejava: Jesus - a Alegria Infinita!
Irmã Maria Isabel, 26 anos, José Raidan- MG - Penso que o nosso coração, mesmo sendo pequeno, sempre busca algo grande e belo. Infelizmente, nem sempre sabemos onde procurar. Com apenas dez anos, senti uma atração por Deus que me chama-va a segui-lo infundindo em minha alma um desejo de doação em favor dos irmãos. Esse chamado, foi uma certeza que Ele colocou em meu coração.Certeza que me levou a deixar meus pais, irmãos, projetos e sonhos. Entrei antes de vir para o Carmelo nas Irmãs Cistercienses de Claraval, foi um tempo de crescimento, mas o Carmelo veio somar e dar plena realização a todos os meus desejos de doação e serviço.
Irmã Lúcia, 44 anos, Pains –MG – Conheci o Carmelo primeiramente atravéz de uma pequena imagem de Santa Teresinha  em minha cidade de Pains- MG. Quando mudamos para Franca, minha casa ficava perto do Carmelo provisório. No ano de 1992 fui para a missa do jubileu de ouro de Irmã Maria do Carmo e falei com elas. Me encantei com a vida do Carmelo, mas achava muito alta para mim. Com o tempo fui apaixonando cada vez mais por esta vida entregue à oração, esta vida tão simples. O que me motivou a responder ao chamado, foi um grande amor por Jesus e o desejo de salvar as almas. Sou muito feliz em minha vocação!
 Irmã Maria Eunice,84 anos, Varginha-MG – O Carmelo representou para a minha vocação como um deserto onde eu pudesse amar somente a Deus e consequentemete levar este amor à humanidade inteira sedenta de Deus. A descoberta deste chamado para o Carmelo foi durante a leitura da autobiografia de Santa Teresinha enquanto atravessava a Praça da Sé em São Paulo



Um comentário:

Betty Gomes disse...

Caras Irmãs em Cristo, peço as vossas orações junto de Nossa Senhora e seu Divino Filho Jesus, pela cura e bem estar da minha tia Laura Vale da Costa Vicente (26.02.1932) residente em Lisboa, Portugal, que vai ser operada hoje à bacia, no Hospital da Luz em Lisboa, para que a cirurgia seja um sucesso e ela regresse bem a sua casa!
Por favor, intercedam a Deus Nosso Pai e Jesus Misericordioso e Nossa Divina Mãe Nossa Senhora pelo sucesso da sua cirurgia e pela sua cura total para que ela possa regressar a casa, recuperado da sua saúde e bem estar!
Muita Luz, Paz e Amor em Cristo e que Deus vos abençoe!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...