sábado, 30 de março de 2013

JESUS RESSUSCITOU!!! ALELUIA!!! ESTÁ VIVO!!!


CELEBRAR A PÁSCOA É FESTEJAR A AÇÃO LIBERTADORA DE DEUS NA VIDA,PAIXÃO,MORTE E RESSURREIÇÃO DE JESUS E CONTEMPLAR ESTA FORÇA DO AMOR MATERNAL DE DEUS ATUANDO EM NÓS E EM TODO UNIVERSO ,RECRIANDO-O COM UMA NOVA CRIAÇÃO,RENOVADA PELA RESSURREIÇÃO DE JESUS .


RELEMBREMOS A EXPERIÊNCIA DAS MULHERES QUE FORAM DE MADRUGADA AO SEPULCRO E ENCONTRARAM O TÚMULO VAZIO E OS ANJOS DIZENDO :
"ELE NÃO ESTÁ MAIS AQUI.RESSUSCITOU !"


UMA DAS EXPRESSÕES MAIS FORTES NESTES DIAS É O "ALELUIA",PALAVRA HEBRAICA QUE SIGNIFICA SIMPLESMENTE "LOUVOR A DEUS".


A CARACTERÍSTICA MAIS DESTACADA DO TEMPO PASCAL É A ALEGRIA.
A COR BRANCA,AS FLORES,TUDO É ORIENTADO PARA EXPRESSAR O SENTIMENTO DE FESTA.


PEÇAMOS AO SENHOR

FELIZ PÁSCOA ,IRMÃOS E IRMÃS

ALEGREMO-NOS PORQUE :


PODEMOS TER UMA NOVA VIDA!!!

ELE VEM ATÉ NÓS ,ATRAVÉS DA COMUNIDADE,VENCE OS NOSSOS MEDOS ,NOS DÁ A SUA PAZ E SOPRA SOBRE NÓS O SEU ESPÍRITO.

QUERIDOS E QUERIDAS
 DESEJAMOS A TODOS
QUE O DEUS DA VIDA ,PELA FESTA DA PÁSCOA RENOVE AS FORÇAS DOS NOSSOS CORAÇÕES.
RENOVE EM NÓS A ALEGRIA DE QUEM JÁ DESCOBRIU O SEU AMOR .
DÁ-NOS A GRAÇA DE VIVER E TRABALHAR POR TEU REINO,NA ALEGRIA DA PÁSCOA DE JESUS.

COM MEU CARINHO

MARIA EDUARDA





sexta-feira, 29 de março de 2013

FELIZ PÁSCOA!!!!


QUERIDOS IRMÃOS E IRMÃS 
MEU VOTOS DE UMA SANTA PAZ!!!!


QUE JESUS RESSUSCITADO POSSA RESSUSCITAR A SUA VIDA!!!!


COM MEU CARINHO E AMIZADE
BEIJOS NO SEU CORAÇÃO
MARIA EDUARDA

sábado, 23 de março de 2013

SEMANA SANTA ,TEMPO DE CONVERSÃO

INICIAMOS NESTE DOMINGO DE RAMOS A SEMANA SANTA,RECORDANDO  A ENTRADA DE JESUS PARA CELEBRAR SUA PÁSCOA.


SIGAMOS OS PASSOS DE NOSSO SALVADOR PARA PARTICIPARMOS PLENAMENTE DE SUA PÁSCOA.


CELEBRAR O SAGRADO TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DO SENHOR É CELEBRAR A OBRA DA REDENÇÃO HUMANA E DA PERFEITA GLORIFICAÇÃO DE DEUS QUE JESUS REALIZOU QUANDO MORRENDO DESTRUIU A NOSSA MORTE E ,RESSUSCITANDO RENOVOU A VIDA.


CELEBRAR A CEIA DO SENHOR NA NOITE DE QUINTA FEIRA SANTA É PROCLAMAR O MISTÉRIO DA CRUZ DE CRISTO NO QUAL RESIDE A  "NOSSA GLÓRIA" .É PARTICIPAR DA PÁSCOA DA CEIA.




CELEBRAR A SEXTA-FEIRA DA PÁSCOA DO SENHOR É LEMBRAR "O DIA EM QUE O ESPOSO FOI TIRADO".



É CANTAR A AÇÃO DE GRAÇAS PELA DOAÇÃO DA SUA VIDA A NÓS E PELA VITÓRIA DA RESSURREIÇÃO QUE O PAI LHE DEU.



ACOMPANHEMOS O SENHOR EM SUA PAIXÃO E CAMINHADA ATÉ A CRUZ.
CELEBREMOS A PÁSCOA DE JESUS QUE SE MANIFESTA ATRAVÉS DA CRUZ E DE TODOS OS CRUCIFICADOS DA HISTÓRIA.

DEUS OS ABENÇOE NESTES DIAS SANTOS!!!
MARIA EDUARDA

MENSAGEM DO FREI ALZINIR


CARÍSSIMOS(AS)
ALELUIA!!!

NA PÁSCOA DE JESUS A CERTEZA DA VITÓRIA DO BEM,DA VIDA ,DO AMOR SOBRE A MORTE  E O MAL,A DOR..
QUE O ESPÍRITO DO  RESSUSCITADO O (A) ENCHE DE ALEGRIA E PAZ!!!
ABRAÇO FRATERNO

FREI ALZINIR DEBASTIANI

sexta-feira, 22 de março de 2013

VOCÊ JÁ FEZ SUA INSCRIÇÃO PARA NOSSO XXX CONGRESSO PROVINCIAL EM APARECIDA?


NOSSO CONGRESSO SE APROXIMA!!
AS INSCRIÇÕES ESTÃO SENDO FEITAS E VOCÊ PODE PERDER SUA VAGA!!!
AINDA HÁ TEMPO ,CORRA!!!
SERÁ UM MOMENTO DE GRAÇA !!!
AGUARDAMOS SUA PRESENÇA IMPORTANTE!!!
"ACERCAR-SE DO CÉU"SERÁ NOSSO TEMA !!!
ABRAÇOS FRATERNOS
MARIA EDUARDA
ATÉ LÁ!!!

quarta-feira, 20 de março de 2013

OCDS - PROVÍNCIA SÃO JOSÉ: OCDS organiza Peregrinação à Espanha em 2015

OCDS - PROVÍNCIA SÃO JOSÉ: NOSSA PEREGRINAÇÃO PARA COMEMORAR OS 500 ANOS DO NASCIMENTO DE SANTA TERESA DE JESUS

OCDS - PROVÍNCIA SÃO JOSÉ: NOSSA PEREGRINAÇÃO PARA COMEMORAR OS 500 ANOS DO NASCIMENTO DE SANTA TERESA DE JESUS

VISITA A POUSO ALEGRE

COM ALEGRIA A COMUNIDADE SANTA TERESA DE LOS ANDES ,SE REUNIU NO CARMELO SAGRADA FAMÍLIA PARA UMA REUNIÃO E PARTILHA AMOROSA.



APÓS TÃO ÓTIMO ENCONTRO, TIVEMOS UM MOMENTO DE CONFRATERNIZAÇÃO, COM UM SABOROSO LANCHE ORGANIZADO POR NOSSAS QUERIDAS  MONJAS QUE COMO SEMPRE NOS ACOLHEM COM TANTO AMOR.OBRIGADA QUERIDAS IRMÃS!!!




DEUS SEJA LOUVADO POR ESTES ENCONTROS QUE MUITO NOS FAZEM CRESCER NA FRATERNIDADE E CONHECIMENTO!!
OBRIGADA SENHOR!!!
MEU CARINHO 
MARIA EDUARDA



São José O santo por excelência


                              
Por Isabel Orellana Vilches

MADRI, 19 de Março de 2013 (Zenit.org) - São Pedro Crisólogo afirmou: “José foi um homem perfeito, possuidor de todo gênero de virtudes”. Desnecessário, portanto, na data de hoje, procurar qualquer outro modelo mais sublime para a vida espiritual do que o do Santo Patriarca. Contamos apenas com os dados sumários que o Evangelho nos oferece a respeito da sua gloriosa vida envolta em silêncio, mas, ao longo da tradição, foram ressaltados matizes dele que nos chamam de modo especial à atenção.
Acham-se, em qualquer santoral, referências proporcionadas por santos e santas cujas meditações nos foram sendo transmitidas ao passarem os séculos. É o caso de Tomás de Aquino, Gertrude, Vicente Ferrer, Bernardo, Brígida da Suécia, Francisco de Sales e Bernardino de Sena. Em numerosas ocasiões, eles, e tantos outros, transportaram para os seus escritos os frutos de sua reflexão e pregaram em seus sermões as excelsas virtudes que o adornaram. São Bernardino de Sena proclamou num de eles: “A norma geral que regula a concessão das graças singulares a uma criatura racional determinada é que, quando a graça divina escolhe alguém para lhe doar uma graça singular ou para colocá-lo em preferente situação, a esse lhe concede todos aqueles carismas que são necessários para o ministério que houver de desempenhar. Esta norma se verifica de modo excelente em São José, pai adotivo de nosso Senhor Jesus Cristo e verdadeiro esposo da Rainha do universo e Senhora dos anjos. José foi escolhido pelo Pai eterno como protetor e fiel guardião dos seus principais tesouros, seu Filho e sua Esposa, e cumpriu seu encargo com insubornável fidelidade. Por isso, o Senhor lhe diz: ‘Servo bom e fiel, entra no regozijo do teu Senhor’”.

Deste homem justo por excelência, esposo virginal da Virgem Maria, custódio da Sagrada Família, enalteceram-se à saciedade as incontáveis virtudes. Junto às teologais, listam-se ainda, alçadas em sua santa vida, a fidelidade, a inocência evangélica, a fortaleza, a docilidade, a prontidão, a pureza, a generosidade, a prudência, a disponibilidade, a singeleza, a temperança, a obediência, a pobreza, a humildade, a discrição, a justiça, a honestidade, a diligência, a paciência, etc. Ele esteve adornado por todas, impossíveis, portanto, de se condensarem. E hoje, como então, continuam mostrando a grandeza deste pai e guardião da Igreja, advogado da boa morte, que viveu cada instante do existir com inquebrantável adequação da sua vontade à divina, indicando-nos o caminho que havemos de trilhar. Santo Afonso Maria de Ligório cantou o trato familiar que ele teve com Jesus, ressaltando o que pôde significar aquele eminentíssimo vínculo entre ambos para a santidade do pai, que, durante um tempo, o acompanhou na terra: “José, durante aqueles trinta anos, foi o melhor amigo, o companheiro de trabalho com quem Jesus conversava e orava. José escutava as palavras de vida eterna de Jesus, observava o seu exemplo de perfeita humildade, de paciência e de obediência, aceitava sempre a ajuda serviçal de Jesus nos afazeres e nos deveres do cotidiano. Por tudo isto, não podemos duvidar que, enquanto José viveu na companhia de Jesus, cresceu tanto em méritos e santificação que sobrepujou todos os santos”.
Os pontífices também se comoveram com o exemplo do Santo Patriarca. João XXIII iniciava e culminava a sua jornada pondo-se sempre ao seu amparo.Ele o proclamou padroeiro do concílio Vaticano II.Paulo VI, em 19 de março de 1969, afirmou: “São José é a prova de que, para sermos bons e autênticos seguidores de Cristo, não necessitamos de ‘grandes coisas’, mas somente das virtudes comuns, humanas, simples, que, porém, são verdadeiras e autênticas”. João Paulo II dedicou a ele a exortação apostólica Redemptoris custos, de 15 de agosto de 1989. Nela, qualificava a “fé, sustentada pela oração”, como “o tesouro mais valioso que São José nos transmite”. Por sua vez, Bento XVI reparou em especial no seu silêncio. E assim, voltou-se aos fiéis em um dos seus ângelus de 2005 dizendo:“Deixemo-nos invadir pelo silêncio de São José!”. Sisto IV incluiu a festa de São José no calendário romano em torno de 1479. Pio IX o proclamou padroeiro da Igreja universal em 1870. Leão XIII precisou os fundamentos deste patrocínio em 15 de agosto de 1889, e Pio XII, em 1955, determinou o dia 1º de maio como a festa de São José Operário.

Os carmelitas sempre deram grande impulso à devoção a São José. Talvez por isso, impregnada deste carisma que abraçara, a grande santa castelhana Teresa de Jesus foi uma das suas maiores propagadoras. Agraciada por ele em grave situação de doença, ela desde então o tomou por protetor e lhe pôs sob a tutela as numerosas fundações que instituiu. Dizia Teresa: “Outros santos parece que têm especial poder para solucionar certos problemas. Mas, a São José, Deus concedeu um grande poder para ajudar em tudo”. “Parece que Jesus Cristo quer demonstrar que, assim como São José o tratou tão sumamente bem sobre esta terra, Ele agora lhe concede no céu tudo quanto pede para nós. Peço a todos que façam a prova e hão de perceber quão vantajoso é ser devotos deste santo Patriarca”. Durante quatro décadas, todos os anos, recorria a ele pontualmente lhe solicitando “alguma graça ou favor especial”, e ele sempre lhe atendia. Por isso, insistia: “Digo aos que me escutam que façam o ensaio de rezar com fé a este grande santo, e verão que grandes frutos conseguirão”.

Fernando Rielo também infundiu nos filhos da sua congregação o amor por São José: “Tende muita devoção a São José. Qualquer problema, qualquer coisa: bens materiais e bens espirituais, especialmente a santidade […]. Pedi-lhe a conversão da humanidade, suplicai-lhe a santidade da Igreja, rogai-lhe a comunhão de todos os cristãos”.

terça-feira, 19 de março de 2013

Homilia de Papa Francisco:Missa de início do Ministério Petrino


Homilia de Papa Francisco:


"Queridos irmãos e irmãs!


Agradeço ao Senhor por poder celebrar esta Santa Missa de início do ministério petrino na solenidade de São José, esposo da Virgem Maria e patrono da Igreja universal: é uma coincidência densa de significado e é também o onomástico do meu venerado Predecessor: acompanhamo-lo com a oração, cheia de estima e gratidão.


Saúdo, com afeto, os Irmãos Cardeais e Bispos, os sacerdotes, os diáconos, os religiosos e as religiosas e todos os fiéis leigos. Agradeço, pela sua presença, aos Representantes das outras Igrejas e Comunidades eclesiais, bem como aos representantes da comunidade judaica e de outras comunidades religiosas. Dirijo a minha cordial saudação aos Chefes de Estado e de Governo, às Delegações oficiais de tantos países do mundo e ao Corpo Diplomático.


Ouvimos ler, no Evangelho, que «José fez como lhe ordenou o anjo do Senhor e recebeu sua esposa» (Mt 1, 24). Nestas palavras, encerra-se já a missão que Deus confia a José: ser custos, guardião. Guardião de quem? De Maria e de Jesus, mas é uma guarda que depois se alarga à Igreja, como sublinhou o Beato João Paulo II: «São José, assim como cuidou com amor de Maria e se dedicou com empenho jubiloso à educação de Jesus Cristo, assim também guarda e protege o seu Corpo místico, a Igreja, da qual a Virgem Santíssima é figura e modelo» (Exort. ap. Redemptoris Custos, 1).


Como realiza José esta guarda? Com discrição, com humildade, no silêncio, mas com uma presença constante e uma fidelidade total, mesmo quando não consegue entender. Desde o casamento com Maria até ao episódio de Jesus, aos doze anos, no templo de Jerusalém, acompanha com solicitude e amor cada momento. Permanece ao lado de Maria, sua esposa, tanto nos momentos serenos como nos momentos difíceis da vida, na ida a Belém para o recenseamento e nas horas ansiosas e felizes do parto; no momento dramático da fuga para o Egito e na busca preocupada do filho no templo; e depois na vida quotidiana da casa de Nazaré, na carpintaria onde ensinou o ofício a Jesus.


Como vive José a sua vocação de guardião de Maria, de Jesus, da Igreja? Numa constante atenção a Deus, aberto aos seus sinais, disponível mais ao projecto d’Ele que ao seu. E isto mesmo é o que Deus pede a David, como ouvimos na primeira Leitura: Deus não deseja uma casa construída pelo homem, mas quer a fidelidade à sua Palavra, ao seu desígnio; e é o próprio Deus que constrói a casa, mas de pedras vivas marcadas pelo seu Espírito. E José é «guardião», porque sabe ouvir a Deus, deixa-se guiar pela sua vontade e, por isso mesmo, se mostra ainda mais sensível com as pessoas que lhe estão confiadas, sabe ler com realismo os acontecimentos, está atento àquilo que o rodeia, e toma as decisões mais sensatas. Nele, queridos amigos, vemos como se responde à vocação de Deus: com disponibilidade e prontidão; mas vemos também qual é o centro da vocação cristã: Cristo.


Guardemos Cristo na nossa vida, para guardar os outros, para guardar a criação! Entretanto a vocação de guardião não diz respeito apenas a nós, cristãos, mas tem uma dimensão antecedente, que é simplesmente humana e diz respeito a todos: é a de guardar a criação inteira, a beleza da criação, como se diz no livro de Génesis e nos mostrou São Francisco de Assis: é ter respeito por toda a criatura de Deus e pelo ambiente onde vivemos. É guardar as pessoas, cuidar carinhosamente de todas elas e cada uma, especialmente das crianças, dos idosos, daqueles que são mais frágeis e que muitas vezes estão na periferia do nosso coração. É cuidar uns dos outros na família: os esposos guardam-se reciprocamente, depois, como pais, cuidam dos filhos, e, com o passar do tempo, os próprios filhos tornam-se guardiões dos pais. É viver com sinceridade as amizades, que são um mútuo guardar-se na intimidade, no respeito e no bem.


Fundamentalmente tudo está confiado à guarda do homem, e é uma responsabilidade que nos diz respeito a todos. Sede guardiões dos dons de Deus!
E quando o homem falha nesta responsabilidade, quando não cuidamos da criação e dos irmãos, então encontra lugar a destruição e o coração fica ressequido. Infelizmente, em cada época da história, existem «Herodes» que tramam desígnios de morte, destroem e deturpam o rosto do homem e da mulher.


Queria pedir, por favor, a quantos ocupam cargos de responsabilidade em âmbito económico, político ou social, a todos os homens e mulheres de boa vontade: sejamos «guardiões» da criação, do desígnio de Deus inscrito na natureza, guardiões do outro, do ambiente; não deixemos que sinais de destruição e morte acompanhem o caminho deste nosso mundo!

Mas, para «guardar», devemos também cuidar de nós mesmos. Lembremo-nos de que o ódio, a inveja, o orgulho sujam a vida; então guardar quer dizer vigiar sobre os nossos sentimentos, o nosso coração, porque é dele que saem as boas intenções e as más: aquelas que edificam e as que destroem. Não devemos ter medo de bondade, ou mesmo de ternura.


A propósito, deixai-me acrescentar mais uma observação: cuidar, guardar requer bondade, requer ser praticado com ternura. Nos Evangelhos, São José aparece como um homem forte, corajoso, trabalhador, mas, no seu íntimo, sobressai uma grande ternura, que não é a virtude dos fracos, antes pelo contrário denota fortaleza de ânimo e capacidade de solicitude, de compaixão, de verdadeira abertura ao outro, de amor. Não devemos ter medo da bondade, da ternura!


Hoje, juntamente com a festa de São José, celebramos o início do ministério do novo Bispo de Roma, Sucessor de Pedro, que inclui também um poder. É certo que Jesus Cristo deu um poder a Pedro, mas de que poder se trata? À tríplice pergunta de Jesus a Pedro sobre o amor, segue-se o tríplice convite: apascenta os meus cordeiros, apascenta as minhas ovelhas. Não esqueçamos jamais que o verdadeiro poder é o serviço, e que o próprio Papa, para exercer o poder, deve entrar sempre mais naquele serviço que tem o seu vértice luminoso na Cruz; deve olhar para o serviço humilde, concreto, rico de fé, de São José e, como ele, abrir os braços para guardar todo o Povo de Deus e acolher, com afecto e ternura, a humanidade inteira, especialmente os mais pobres, os mais fracos, os mais pequeninos, aqueles que Mateus descreve no Juízo final sobre a caridade: quem tem fome, sede, é estrangeiro, está nu, doente, na prisão (cf. Mt 25, 31-46). Apenas aqueles que servem com amor capaz de proteger.


Na segunda Leitura, São Paulo fala de Abraão, que acreditou «com uma esperança, para além do que se podia esperar» (Rm 4, 18). Com uma esperança, para além do que se podia esperar! Também hoje, perante tantos pedaços de céu cinzento, há necessidade de ver a luz da esperança e de darmos nós mesmos esperança. Guardar a criação, cada homem e cada mulher, com um olhar de ternura e amor, é abrir o horizonte da esperança, é abrir um rasgo de luz no meio de tantas nuvens, é levar o calor da esperança! E, para o crente, para nós cristãos, como Abraão, como São José, a esperança que levamos tem o horizonte de Deus que nos foi aberto em Cristo, está fundada sobre a rocha que é Deus.


Guardar Jesus com Maria, guardar a criação inteira, guardar toda a pessoa, especialmente a mais pobre, guardarmo-nos a nós mesmos: eis um serviço que o Bispo de Roma está chamado a cumprir, mas para o qual todos nós estamos chamados, fazendo resplandecer a estrela da esperança: Guardemos com amor aquilo que Deus nos deu!
Peço a intercessão da Virgem Maria, de São José, de São Pedro e São Paulo, de São Francisco, para que o Espírito Santo acompanhe o meu ministério, e, a todos vós, digo: rezai por mim! Amém.

DEUS ABENÇOE NOSSO PAPA FRANCISCO!!!


REZEMOS PELO NOSSO PAPA NESTE INÍCIO DE SEU PONTIFICADO!!!
COM ELE LUTEMOS PELOS NOSSOS IRMÃOS E IRMÃS SOFREDORES E ABANDONADOS!!!
COM MARIA SANTÍSSIMA E SÃO JOSÉ INTERCEDAMOS POR NOSSA IGREJA QUERIDA!!!


FLORES PARA NOSSA MÃE QUE CUIDA DE OLHA POR SEUS FILHOS E FILHAS!!


SEU PEDIDO: "ORAI POR MIM"!!!

                      MEU CARINHO NESTE DIA DA SOLENIDADE DE SÃO JOSÉ
                               MARIA EDUARDA

SÃO JOSÉ ,PROTEJA NOSSAS FAMÍLIAS!!!


"ASSIM ,TOMEI POR ADVOGADO E SENHOR O GLORIOSO SÃO JOSÉ ,ENCOMENDANDO ME MUITO A ELE.VI COM CLAREZA QUE ESSE PAI E SENHOR ME SALVOU ,FAZENDO MAIS DO QUE EU PODIA PEDIR,TANTO DESSA NECESSIDADE COMO DE OUTRAS MAIORES...NÃO ME LEMBRO ATÉ HOJE DE TER-LHE SUPLICADO ALGO QUE ELE NÃO TENHA FEITO"(SANTA TERESA DE JESUS V 6,6)


"MANDOU -ME SUA MAJESTADE QUE PROCURASSE FAZER O MOSTEIRO E DEVIA SER DEDICADO A SÃO JOSÉ ;ESSE SANTO GLORISO NOS GUARDARIA UMA PORTA E NOSSA SENHORA ,A OUTRA"(IDEM V 32,11)


"QUEM NÃO ENCONTRAR MESTRE QUE ENSINE A REZAR TOME POR MESTRE ESSE GLORIOSO SANTO E NÃO ERRARÁ O CAMINHO"(IDEM V 6,8)


"NUMA OCASIÃO, ESTANDO NUMA NECESSIDADE QUE NÃO SABIA RESOVER,NEM TENDO COM QUE PAGAR AOS OPERÁRIOS ,APARECEU-MA SÃO JOSÉ ...E DEU-ME A ENTENDER QUE RECURSO NÃO ME FALTARIAM E QUE EU DEVIA CONTRATÁ-LOS .EU O FIZ ,SEM DISPOR DE UM CENTAVO ,E O SENHOR ,QUE ,POR CAMINHOS QUE ESPANTAVAM AOS QUE VIAM ,ME FORNECEU OS RECURSOS"(IDEM V 33 12)

SÃO JOSÉ,PROTEJA NOSSO CARMELO!!!
PROTEJA A NÓS CARMELITAS !!!
FELIZ DIA DE SÃO JOSÉ!!!

MEUS ABRAÇOS
MARIA EDUARDA

                                                  

segunda-feira, 18 de março de 2013

VISITA A VARGINHA

TIVEMOS REUNIDAS PARA UM RETIRO NESTE FIM DE SEMANA ,AS COMUNIDADES SAGRADA FACE DE VARGINHA,COMUNIDADE EDITH STEIN DE TRÊS PONTAS ,COMUNIDADE SANTA TERESA DE LOS ANDES DE POUSO ALEGRE E TAMBÉM OS JOVENS DO  GOT DE CAMPO LIMPO.


NO SÍTIO PARAÍSO ,GENTILMENTE CEDIDO PARA NÓS,PUDEMOS REZAR E MEDITAR TRANQUILAMENTE.

NO MEIO DA NATUREZA ,DEUS PODIA NOS FALAR NO SILÊNCIO E NO RECOLHIMENTO.


MUITO VERDE ,FLORES,PÁSSAROS E DIAS LINDOS...



UMA GRAÇA FOI TERMOS NOSSA CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA PRESIDIDA POR PADRE JOSÉ ROBERTO.




ASSIM ABENÇOADOS AGRADECEMOS A DEUS POR ESTES DIAS EM SUA PRESENÇA!!!
DEUS SEJA LOUVADO POR ESTES MOMENTOS!!!

AGRADEÇO A ACOLHIDA E CARINHO DE TODOS!!!

MARIA EDUARDA


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...