quarta-feira, 21 de agosto de 2013

O QUE SE APRENDE NA GUERRA?

Frei Patricio Sciadini

Hoje estava meditando e rezando, tive uma pergunta dentro de mim que me angustiou por um pouco e depois senti no coração uma grande paz interior. Aquela paz que vem do Alto, que é dom de Deus, que é a grande promessa de Jesus. Todos os dias antes da comunhão, na missa, dizemos a oração: “Senhor Jesus dai nos a tua paz”, aquela paz que ele prometeu que é fruto do amor. Pensei que na escola da guerra se aprende e se somos bons discípulos podemos mudar o mundo.

1. A primeira lição é o DIALOGO. A porta do dialogo nunca pode ser fechada mas sempre deve estar aberta; dialogar e escutar o outro e suas razões, encontrar juntos caminhos novos. Dialogar não é capacidade dialética e filosófica para manipular o pensamento do outro e puxar, como se diz “a brasa para a própria sardinha”. O dialogo é feito de verdade, de autenticidade e de amor. A guerra nos diz muitas vezes que o dialogo foi interrompido. Não é possível nunca dialogar com as armas nas mãos e nem com tanques de guerra, não é possível dialogar escutando o barulho de armas e os gritos de morte, o dialogo se ouvir a voz da vida.

2. Na escola da vida se aprende a AMAR A VIDA, a apreciar a vida. A vida grita sempre mais forte, somos chamados a escutar o grito das crianças que clamam pela vida e que diante da morte tem medo e ficam caladas para sempre. E o grito de milhares de mães que vêem seus filhos partir e não voltar, de esposas, de pais. É o momento de pensar que a vida é um dom tão belo e grande que sempre deve ser defendido e que nada autoriza a destrui-la. Se aprende que vida nasce da fé, do amor. A religião é sempre um caminho de unidade e de pacificação. O Papa Francisco tem dito varias vezes nestes dias em que ele reza para o Egito: fé e a violência são inconciliáveis. Precisamos amar a vida, doar a vida para que a vida possa florescer.

3. Na escola da guerra se aprende a sublime é as vezes difícil lição do PERDÃO . É somente através do perdão que podemos nos dar as mãos e caminhar juntos, construindo juntos, abraçando nos e sentindo que somos irmãos e não inimigos no caminho. Fazendo amizade é que o mundo de hoje será uma pequena aldeia mas na pequena aldeia da família humana deve sempre existir o amor e união. Somos um com coração e com a alma, para o bem de todos.

HAVERÁ SEMPRE GUERRAS? Haverá,mas serão todas vencidas se dialogarmos, se amarmos a vida e se nos perdoarmos.
Que Santa Teresinha nos envie do céu uma chuva de rosas e bençãos.




Sinal de esperança, a Profissão de tres irmãos carmellitas descalços, no Cairo,
em meio aos horrores da guerra no Egito.


Nosso amado frei Patrício Sciadini OCD, em meio aos horrores da guerra no Egito,
 recebe os votos de um frade carmelita descalço em seu convento.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...