quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O Tempo Quaresmal na vida do carmelita secular








O tempo quaresmal é um tempo de reflexão, interioridade e reconciliação não só para nós Carmelitas Seculares, mas para todos nós cristãos Batizados.  Todos os homens são chamados a participar na caridade da única santidade de Deus.
Para nós carmelitas temos seguimentos práticos que nos ajudam a caminhar com segurança. Não só neste tempo de espera, mas em preparação permanente para a Páscoa definitiva.
Apenas lembrando vou citar aqui, os números 10 e 11, das Constituições ocds:
ORAÇÃO E MORTIFICAÇÃO
10. A vida de oração, cimento e exercício primordial do Carmelo, seja cultivada pelo Carmelita Secular com o uso dos meios que a Ordem para isto sugere:
a. participação cotidiana da Eucaristia;
b. leitura orante das Sagradas Escrituras;
c. acompanhamento espiritual;
d. meia hora por dia de oração mental;
e. celebração cotidiana da Liturgia das Horas: Laudes, Vésperas e Completas;
f. leitura espiritual, particularmente das obras de autores carmelitas;
g. retiro anual.

11. Porque a vida de oração e de união com Deus exige uma contínua conversão e purificação, o Carmelita Secular cultivará o espírito de penitência e de mortificação, segundo as indicações que se seguem:
a. receberá, preferencialmente uma vez por mês, o sacramento da Reconciliação;
b. praticará algum exercício de penitência, segundo a tradição da Ordem, especialmente nas sextas-feiras do Advento e Quaresma, e em preparação às festas da Ordem, especialmente o jejum e abstinência na Vigília da festa de N. Sª do Carmo.
c. exercitará a virtude do silêncio; visitará os enfermos, especialmente aqueles que são membros do Carmelo Secular, para os animar a viver no Amor de Deus e dos irmãos; receberá com paciência as contrariedades da vida...”

A quaresma é especificamente para nós Carmelitas Seculares  o grande exercício prático da nossa escolha e entrega de vida a Deus por meio das promessas e da vivência da espiritualidade Teresiana.  É  um tempo de graça e de verdade, para descobrir mais sobre si mesmo, para quebrar correntes e abrir nossos corações para Deus, na comunhão na solidariedade.
Cremos que se por nossa decisão somos carmelitas seculares, temos em nossa vida , não um privilegio e sim uma responsabilidade”. Nós fazemos um compromisso com a Ordem. Por este compromisso assumimos  a responsabilidade de corresponder às exigências de sermos Carmelitas. E assim, abrimo-nos a responsabilidade  de sermos na Igreja a parte oracional  silenciosa que  a ordem nos propõe.
É tempo de exercitar nossa Vida,exercitar o desapego da  vontade e colocá-la a serviço do reino e de Nosso Senhor Jesus, na oração, “no esforço de transformar a realidade segundo os valores evangélicos, unindo-as ao sacrifício de Cristo; oferecer o trabalho cotidiano como participação na Criação e na Redenção, bem como sacrifício grato a Deus no exercício do sacerdócio comum dos fiéis batizados”  (conf. Est. 11)

«Não consintamos, irmãs, que a nossa vontade seja escrava de alguém, mas só d’Aquele que a comprou com o Seu sangue» Sta. Teresa (CV 4, 8.)

Que tenhamos uma santa quaresma, e que a Páscoa plenifique nossos corações de vida nova.
Rose Lemos Piotto, ocds


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...