quarta-feira, 1 de julho de 2015

A Nova Província das Filipinas.




Roma-Itália, 30 de junho 2015 (Communicationes). - As ilhas Filipinas, como muitos sabem, devem o seu nome ao monarca espanhol Felipe II. Até finais do século XIX (1898) foi uma colônia que pertenceu à Espanha. De fato a sua cultura, gastronomia, arte… e religião católica deve-se, em grande medida, à influência de Espanha. Hoje em dia o idioma oficial já não é o espanhol, mas o inglês, acompanhado do autóctone: o tagalo. Mas se nos fixamos um pouco, muitos dos nomes e sobrenomes atuais dos filipinos têm uma clara origem hispânica.
As Carmelitas Descalças, que como quase sempre chegaram antes que os padres, fundam o primeiro mosteiro em Jaro (Ilo-Ilo) em 1929. Os PP. Carmelitas Descalços chegam às Filipinas em 1947. São os PP. da Província de Washington os que se encarregam do cuidado pastoral da Prelatura de Infanta. A prelatura foi erigida canonicamente em 1950 e o Prefeito foi ordenado bispo em 1953.
O primeiro Prefeito será o norte-americano P. Patrício de Santa Cecília (Shanley) ao qual seguirão dois Carmelitas Filipinos: Júlio Javier Lavayen e Rolando Tria Tirona. Em 1951 serão nove os religiosos carmelitas encarregados da ação pastoral em Infanta (Luzón); cinco deles serão da Província de Washington, dois de Irlanda, e dois de Itália (um da província de Veneza e o outro da Toscana). Além da paróquia de Infanta atendiam nestes tempos a de Baler, Bordeos (ilha Polilho) e Casiguran.
Posteriormente serão duas as Delegações de Carmelitas Descalços que vivem nas Filipinas, a Delegação de Washington e a Delegação de Irlanda. A 26 de outubro de 1977 unem-se ambas as Delegações criando o Comissariado dos Carmelitas Descalços nas Ilhas Filipinas. Em 1995 o Comissariado que tem como Padroeira a Virgem de Filipinas estará composto por 38 membros, entre eles 2 bispos e 17 sacerdotes.

No recente Capítulo celebrado em Ávila em maio de 2015 o Comissariado de Filipinas foi elevado ao estado jurídico de Província. São cinco as casas que atualmente tem a Província: Bacalod, Davao-Tugkob, Jaro-Iloilo e duas em Quezon City, contando com 51 frades, segundo a contagem de 2013. Que estas linhas sirvam para conhecer brevemente a nossa história carmelitana na nação filipina.




Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...