quarta-feira, 5 de agosto de 2015

RETIRO GRUPO SÃO JOSE- SETE LAGOAS/MG

Nos dias 25 e 26 de julho, o Grupo São Jose, de Sete Lagoas, realizou seu segundo retiro anual na Fazenda Solar dos Medeiros, orientado pelo Frei Pierino, cujo tema foi o “Pai Nosso” e “o Pão nosso de cada dia” baseado nos escritos da Santa Madre Teresa, com reflexão sobre a importância de saber dirigir-nos a Deus como Pai e sobre a importância da Eucaristia em nossa vida.
Tudo concorreu para que o retiro tivesse um bom êxito: O local silencioso e rico em “natureza”, com flores, água e pássaros; o tema em si mesmo, versando sobre o Abbá- Pai e o Pão-Eucaristia; as palavras simples, concretas, questionadoras – pertencentes à nossa vida diária como Carmelitas -  do Frei Pierino, tanto nas colocações, como nas Celebrações. Vivenciamos ali momentos fortes de formação, oração, adoração e encontro pessoal e comunitário com Aquele que sabemos que nos ama.
 Nosso retiro começou com a Santa Missa. Na homilia, frei Pierino lembrou-nos que a Palavra é sempre luz; e quando nos abrimos docilmente a essa Palavra, ela vai iluminando todos os atos de nossa existência. Disse ainda, que carregamos tudo em vasos de barro – os dons de Deus-, embora exista dentro de nós o principio que nos eleva e nos fortalece: a graça de Deus. Nossa vocação de peregrinos nos leva à procura de nossa meta definitiva, isto é, nossa comunhão com Deus, que agora experimentamos numa dimensão de fé. A Santa Madre Teresa não nos deixa esquecer “que possuímos a capacidade de dialogar com o próprio Deus, somos capazes de acolher o próprio Deus em nosso ser: essa é nossa dignidade. Quando nos tornamos terreno aberto, fértil, adubado e preparado, a Palavra de Deus vai produzindo em nós os frutos que Deus quer e que, simplesmente, são os frutos do Espírito. Compartilho com vocês  alguns pontos da formação:
I-                     O mestre está aqui e te chama (Jo, 11,28)
O chamado de Deus é contínuo para nós. É preciso responder a este chamado de Jesus e instaurar um colóquio com Ele na oração, sobretudo na meditação da Palavra.
II-                   Eis que estou à porta e bato... (Apocalipse 3:20)
Jesus bate constantemente, insistentemente, docemente; não invade nossa casa; quem abre a porta somos nós. A porta é o símbolo da entrada Dele em nossa vida, embora saibamos que Ele é a Porta. Quando nos entramos por essa porta, Jesus entra em nossa vida. A chave da porta não está fora, está dentro. Só posso abrir a porta se me decido a entregar-me a Ele, sem condições. Deus sabe esperar; é infinitamente paciente.
III-                  Pai Nosso ( Caminho de Perfeição, c. 24-26)
A oração nunca é um monólogo, mas um diálogo, uma relação de pessoa a Pessoa; no caso da oração do Pai Nosso ainda mais, pois é oração dos filhos ao Pai, ensinada a nós pelo próprio Filho Jesus.
Pai Nosso: estas duas palavras bastariam para entrar em oração perfeita, à contemplação, à união.
Nas breves palavras do Pai Nosso temos uma completa pedagogia a oração, assim como encontramos nela os vários tipos de oração, que brotam todos do nome “Pai”: adoração, louvor, ação de graças, pedido de ajuda, contemplação, intercessão, diálogo de amor, grito de arrependimento, confiante abandono à vontade de Deus, silencio, colóquio espontâneo.
O nome de Deus revelado a nós por Jesus é Abbá “Pai”. Se Jesus autorizou a usar o nome “Pai”, isto quer dizer que Deus não mantém distâncias, mas se torna próximo.
Não basta ousar dizer “Abbá”... é necessário ousar ser “filhos”, com abundancia de coragem e de criatividade.
IV-                 O Pão nosso de cada dia
O Pão nosso de cada dia é o próprio Jesus. A Eucaristia é o dom do Pai e o dom do seu próprio Filho para nós. É muito mais que o maná do deserto, alimento do povo rumo à terra prometida. A Eucaristia é alimento dos filhos de Deus rumo à Casa do Pai. É presença escondida, mas real, que nos fortalece na caminhada. É o Mistério da Encarnação do Filho de Deus, que continua a se fazer presente em nossa história.
A Eucaristia é mistério de comunhão e germe de união. A união é a essência da santidade. A Eucaristia é o centro da santidade do cristão. Comunhão com Deus é santidade. A eucaristia é a manifestação máxima de Cristo e do seu amor.
V-                    Alguns verbos característicos da Eucaristia: 
Ter fome (desejar fortemente, sentir
necessidade);  condividir a mesa(todos são chamados a comer o Pão dos filhos à mesa do Pai);  lembrar (o que realmente aconteceu, fazer memória, a última ceia);  abençoar (agradecer, Eucaristia-agradecimento); entregar-se; antecipar; assimilar-digerir; expor-se, dando ênfase, sobretudo a estes últimos quatro verbos, importantíssimos para nossa vida espiritual.
E, para coroar esses dias abençoados, na Missa de encerramento, nossa irmã Rejane Maria de Jesus Misericordioso fez Promessas Temporárias e Maria de Lourdes do Coração Eucarístico e Misericordioso de Jesus fez suas Promessas Definitivas.
Agradecemos imensamente a Deus por nos proporcionar esses momentos de graça que nos renovam, para seguirmos adiante no projeto que Ele tem para cada um de nós; ao frei Pierino, pela disponibilidade para com a OCDS e pelos ensinamentos; à Izabel (Comunidade São João da Cruz-BH/MG) e Nazira (Comunidade Santa Teresinha-SL/MG), pela presença e partilha.














Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...