sábado, 23 de julho de 2016

I MÓDULO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO EDITH STEIN- SEGUNDO CICLO DIMENSÃO HUMANA,

"O propósito da formação é a preparação de indivíduos inspirados pelo Espírito Santo a viver uma vida espiritual de acordo os princípios da espiritualidade dos Carmelitas Descalços".
(Ratio Institutionis da Ordem Secular, art. 06)

Está acontecendo em São Roque nestes dias 21 a 24 de julho o I MÓDULO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO EDITH STEIN- SEGUNDO CICLO DIMENSÃO HUMANA
Neste módulo abordamos  os assuntos:

Aula magna, Formar segundo o Coração de Deus - Frei Francisco Sales Oliveira, ocd

1 - Fundamentos Antropológicos- Facilitador: Frei Wilson de São Paulo, OCD- 

2 - Fundamentos Psicológicos- Prof. Ms. Moisés Rocha Farias, OCDS

3 - Fundamentos Metodológicos -Prof.ª Esp. Luciana Patrícia de Jesus Macêdo, OCDS
  
4 - Fundamentos sociológicos- Prof.ª Esp. Luciana Patrícia de Jesus Macêdo, OCDS



1o. dia: 
Apresentação de todos os alunos da Escola e meio a muito Frio, nosso coracção se aqueceu com o calor da partilha e da espiritualidade Teresiana que permeava todos os momentos. 
Lili e Moises


frei Wilson
Edith Stein – Estrutura da Pessoa Humana
um pouquinho do que estudamos juntos....
A pessoa humana à luz da fé.
Na angústia manifesta-se ao homem o que é sua existência. Tão logo se coloca a pergunta, lhe é oferecida a resposta, pois o ser resulta patente para quem se decide a querer vê-lo. O fato ao qual o homem trata de furtar-se é que está “jogado” na existência para viver sua vida. À sua existência pertencem possibilidades que tem que aceitar livremente, entre as quais tem que decidir. O ponto mais extremo ao qual se encaminha, e que pertence irremissivelmente à existência humana, é a morte: sua vida está assinalada com a morte. O homem vem do nada e a ele se dirige, sem poder deter-se. Quem quer viver na verdade, deve suportar olhar cara a cara o nada, sem fugir dele para o autoesquecimento ou outras formas de segurança enganadoras. A vida profunda é para Heidegger uma vida segundo o espírito. O homem é livre, no sentido de que pode e deve decidir-se por um verdadeiro ser. Porém, não lhe foi assinalado nenhum outro fim que ser ele mesmo e perseverar no nada de seu ser.




cafezinho pra esquentar

Moises, Rose e Padre André, novo aluno da escola

2o. dia
Moises no Segundo dia de aula
Maturidade humana, pressuposto para maturidade espiritual.
* Etapas do amadurecimento humano.

* Crescimento humano e cristão (idades).

A formação há de ser permanente. É como o respirar, nunca podemos deixar! É algo inseparável da comunidade em que a vocação ao Carmelo nos insere. “A caridade aumenta ao ser transmitida”. Teresa quis formar comunidades orantes. O amor de umas para com as outras, por exemplo, será a primeira condição para poder começar um caminho de oração.

Formar segundo o Coração de Deus é ter plena consciência de nossa vida leiga, sem querer formar nossas comunidades para que sejamos frades ou monjas. Precisamos nos inteirar do que a Igreja quer de nós. Pois há muitos seculares que não tem plena consciência de quem eles realmente são; não buscam saber, não leem e não se formam, e nem aceitam a formação proposta pela igreja e /ou pela Ordem Secular. Para isso temos os nossos documentos nos orientando:  As constituições, a Ratio, Estatutos, Doc. Da Igreja e tantos outros. É preciso que nós carmelitas seculares  nos eduquemos  nesta dimensão para tomarmos consciência de que formamos parte de um povo que tem a mesma dignidade de filhos e filhas. Conforme nos diz nossas constituições , no proêmio: “A grande família do Carmelo Teresiano está presente no mundo sob muitas formas. Seu núcleo é a Ordem dos Carmelitas Descalços, formada pelos frades, as monjas de clausura e os Seculares. É uma só Ordem com o mesmo carisma”. Somos responsáveis e co- responsáveis da organização e missão carmelita na igreja.
aulas no claustro pra esquentar









3o. dia 
Professora Luciana 

A metodologia na formação.
*Metodologia de Jesus.
* O formador precisa de formação.
ü  A linguagem na formação.
ü  Encontros e não aulas.
ü  Preparar-se para os encontros.
ü  Acolhida.
ü  Levantamento das experiências do grupo.
ü  Aprofundamento das experiências do grupo com o conteúdo proposto.
ü  Conclusões
ü  Celebrar
ü   
              - Importância dos Recursos didáticos-pedagógicos:
                 Cartazes, Teatro, Textos, Poemas, Filmes, Músicas, Dinâmicas de grupo (meio e não fim), Estórias,
Ambientação.

                 Homem – Ser social.
ü  Relacionamentos: humano e cristão.
ü  Formar comunidade – dons do líder amoroso.
ü  Virtudes sociais, culturais e políticas.
ü  Valores humanos.
ü  Diálogo
ü  Como formar e trabalhar em grupo.

dinamica -intimidade do olhar







Provinciais unidos frei Cleber e Luciano



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...