segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Como o carmelita secular deve viver o Advento





Luciano Dídimo


O tempo do Advento é o período litúrgico das quatro semanas que precedem o Natal.  É um tempo de expectativa, de espera, onde pela oração e penitência somos convidados a nos preparar para a vinda de Jesus Cristo.
O Catecismo da Igreja Católica, em seu parágrafo 524 nos explica que “ao celebrar cada ano a liturgia do Advento, a Igreja atualiza esta espera do Messias: comungando com a longa preparação da primeira vinda do Salvador, os fiéis renovam o ardente desejo de sua Segunda Vinda. Pela celebração da natividade e do martírio do Precursor, a Igreja se une a seu desejo: ‘É preciso que Ele cresça e que eu diminua’ (Jo 3,30)”.
Apesar de ser um tempo de vigilância e de espera, não podemos esquecer que Deus está sempre conosco, e por isso, devemos estar sempre abandonados em suas mãos, confiantes em sua proteção, em sua providência e em sua misericórdia, conforme reflexão do Papa Francisco de 27/11/2016, onde ele nos lembra que “o Senhor nos visita continuamente, todo dia, caminha ao nosso lado, é uma presença de consolação”. E continua: “Neste tempo de Advento, somos chamados a ampliar o horizonte de nosso coração, a deixarmo-nos surpreender pela vida que apresenta a cada dia suas novidades. Para isso, é preciso aprender a não depender de nossas seguranças, de nossos esquemas demarcados, porque o Senhor vem na hora que não imaginamos. Vem para nos conduzir a uma dimensão mais bonita e maior”. 
As nossas Constituições da OCDS, em seu artigo 10, afirmam que “Cristo é o centro da vida e da experiência cristãs. Os membros da Ordem Secular são chamados a viver as exigências de seu seguimento em comunhão com ele, aceitando seus ensinamentos e entregando-se a sua pessoa. Seguir Jesus é participar em sua missão salvífica de proclamar a Boa Nova e de instaurar o Reino de Deus (Mt 4,18-19)”. Portanto, se Ele é centro de nossas vidas e se somos chamados a segui-Lo incondicionalmente, devemos ser anunciadores de seu primeiro advento, que foi sua encarnação, a qual trouxe para nós a salvação, e do advento no final dos tempos, quando virá com todo o poder e glória.
Assim, para nos prepararmos para a vinda de Cristo, necessária uma contínua conversão. Para tanto o Estatuto Particular da Província São José da Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares, em seu art. 4º , X, “b” indica para o carmelita secular a prática “de algum exercício de penitência, segundo a tradição da Ordem, especialmente nas sextas-feiras do Advento e Quaresma, e em preparação às festas da Ordem.”
Dessa forma, vivamos esse tempo de espera na alegria e na certeza de que “Aquele que vem” virá para habitar em nossas almas, em nossos corações, entre nós e em nós!

Bom advento!


Quando os dias se tornam mais curtos, quando no inverno caem os primeiros flocos de neve, então, docemente, renasce a lembrança do Natal. Desta palavra emana um encanto misterioso ao qual dificilmente o coração pode resistir. Até aqueles para quem a evocação do Menino de Belém nada significa, crentes de outra Fé ou descrentes, preparam a festa e tentam acender aqui e além um raio de alegria. Durante semanas e meses, um rio de amor espalha-se pela terra.”.

(Edith Stein, O Mistério do Natal)

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...