sexta-feira, 12 de março de 2021

3º DIA - NOVENA DE SÃO JOSÉ - 2021




“A grandeza de São José consiste no fato de ter sido o esposo de Maria e o pai de Jesus”. (Patris Corde) “Para os Carmelitas o interesse pela figura de São José foi um desenvolvimento natural da inspiração mariana da Ordem”.

(Carta à família Carmelitana)

 

ORAÇÃO INICIAL: (Todos os dias)

 

“É inegável que mais do que nenhum outro santo, Teresa de Jesus, fez do culto a São José um dos elementos característicos da piedade e da fisionomia espiritual do Carmelo”. Rezemos pedindo a São José que interceda ao seu Divino Filho, ao longo destes nove dias, por nossas intenções pessoais e familiares, carmelitas e eclesiais, pelos enfermos e pelas diversas necessidades do mundo inteiro, a fim de que possamos, crescer nas virtudes por ele praticadas.

 

Senhor Jesus Cristo, os Carmelitas como São José, conhecem o sonho e mantém a luz da esperança, que brilha e aponta para aquele mundo novo prometido àqueles que estão atentos à Palavra de Deus, crendo que Deus fará novas, todas as coisas. Senhor, com o Pai e o Espírito Santo, suplicamos que acolheis com bondade, as intenções que apresentamos nesta novena (..............), sob a intercessão deste castíssimo pai e patrono, unidos à Virgem Maria, vossa Mãe, e sob a intercessão de Santa Madre Teresa de Jesus.

 

Pai-Nosso. Ave-Maria. Glória ao Pai.

São José, Esposo da Virgem Maria,

Rogai por nós!

+++++++++++++++++++++++++++

3º DIA – 12/03/2021.

Tema: São José, comunhão de vida com Jesus.

A comunhão de vida entre José e Jesus leva-nos a considerar ainda o mistério da Encarnação precisamente sob o aspecto da humanidade de Cristo, instrumento eficaz da divindade para a santificação dos homens: Por força da divindade, as ações humanas de Cristo foram salutares para nós, produzindo em nós a graça, quer em razão do mérito, quer por certa eficácia. Entre estas ações os Evangelistas privilegiam aquelas que dizem respeito ao mistério pascal; mas não deixam de frisar bem a importância do contato físico com Jesus em ordem às curas de enfermidades (cf., por exemplo, Mc 1, 41). A narração do nascimento de Jesus, da circuncisão, da apresentação no templo, da fuga para o Egito e da vida oculta em Nazaré, por motivo do «mistério» de graça contido em tais «gestos», todos eles salvíficos, porque todos participavam da mesma fonte de amor: a divindade de Cristo. A vontade de Deus, a sua história e o seu projeto, passam também através da angústia de José. Assim ele ensina-nos que ter fé em Deus inclui também acreditar que Ele pode intervir inclusive através dos nossos medos, das nossas fragilidades, da nossa fraqueza. E ensina-nos que, no meio das tempestades da vida, não devemos ter medo de deixar a Deus o timão da nossa barca. Por vezes queremos controlar tudo, mas o olhar d’Ele vê sempre mais longe. Desde o momento da Anunciação, José, juntamente com Maria, encontrou-se, em certo sentido, no íntimo do mistério escondido desde todos os séculos em Deus e que se tinha revestido de carne: O Verbo fez-se carne e habitou entre nós (Jo 1, 14). Sim, Ele habitou entre os homens e o âmbito da sua morada foi a Sagrada Família de Nazaré, uma das tantas famílias desta pequena cidade de Galileia, uma das tantas famílias da terra de Israel. Aí, Jesus crescia e «robustecia-se , cheio de sabedoria, e a graça de Deus estava com ele (Lc 2, 40). Os Evangelhos resumem em poucas palavras o longo período da vida «oculta», durante o qual Jesus se preparou para a sua missão messiânica. Há um só momento que é subtraído a este escondimento e é descrito pelo Evangelho de São Lucas: a Páscoa de Jerusalém, quando Jesus tinha doze anos de idade.

 

História: São José no Carmelo.

A liturgia celebrava também a união nupcial de José com a Virgem e o contemplava como protetor de sua virgindade e da vida do Filho de Deus encarnado. Com a sensibilidade típica do carisma contemplativo do Carmelo, a liturgia daquele tempo celebrava a pureza da Virgem e de São José em termos de disponibilidade a Deus, que torna possível a acolhida do mistério da Encarnação.

 

"Quisera eu persuadir a todos a serem devotos deste glorioso Santo, pela grande experiência que tenho dos bens que alcança de Deus. Não tenho conhecido pessoa que deveras lhe seja devota e lhe presta particulares obséquios, que a não veja mais aproveitada na virtude; porque aproveita de grande modo às almas que a ele se encomendam". (Santa Teresa de Jesus - Vida 6,7)

Encomendar a São José: As angústias e fraquezas.

Propósito do dia: A virtude da FORTALEZA.

ORAÇÃO FINAL: (Todos os dias)

Os Santos ajudam todos os fiéis «a tender à santidade e perfeição do próprio estado». A sua vida é uma prova concreta de que é possível viver o Evangelho. À semelhança de Jesus que disse: «Aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração» (Mt 11, 29), também os Santos são exemplos de vida que havemos de imitar. A isto nos exorta explicitamente São Paulo: «Rogo-vos, pois, que sejais meus imitadores» (1 Cor 4, 16). O mesmo nos diz São José através do seu silêncio eloquente. (Patris Corde 7)

 

Dirijamos-lhe a nossa oração:

 

Salve, guardião do Redentor

e esposo da Virgem Maria!

A vós, Deus confiou o seu Filho;

em vós, Maria depositou a sua confiança;

convosco, Cristo tornou-Se homem.

Ó Bem-aventurado José, mostrai-vos pai também para nós

e guiai-nos no caminho da vida.

Alcançai-nos graça, misericórdia e coragem,

e defendei-nos de todo o mal. Amém.

(Patris Corde – 8/12/2020. PP. Francisco)

 

Estela da Paz.

Estela Maria Teresa de Jesus, OCDS.

Comissão de Espiritualidade.

Comissão de História.




 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...