terça-feira, 16 de março de 2021

7º DIA - NOVENA DE SÃO JOSÉ - 2021



“A grandeza de São José consiste no fato de ter sido o esposo de Maria e o pai de Jesus”. (Patris Corde) “Para os Carmelitas o interesse pela figura de São José

foi um desenvolvimento natural da inspiração mariana da Ordem”.

(Carta à família Carmelitana)

 

ORAÇÃO INICIAL: (Todos os dias)

 

“É inegável que mais do que nenhum outro santo, Teresa de Jesus, fez do culto a São José um dos elementos característicos da piedade e da fisionomia espiritual do Carmelo”. Rezemos pedindo a São José que interceda ao seu Divino Filho, ao longo destes nove dias, por nossas intenções pessoais e familiares, carmelitas e eclesiais, pelos enfermos e pelas diversas necessidades do mundo inteiro, a fim de que possamos, crescer nas virtudes por ele praticadas.

 

Senhor Jesus Cristo, os Carmelitas como São José, conhecem o sonho e mantém a luz da esperança, que brilha e aponta para aquele mundo novo prometido àqueles que estão atentos à Palavra de Deus, crendo que Deus fará novas, todas as coisas. Senhor, com o Pai e o Espírito Santo, suplicamos que acolheis com bondade, as intenções que apresentamos nesta novena (..............), sob a intercessão deste castíssimo pai e patrono, unidos à Virgem Maria, vossa Mãe, e sob a intercessão de Santa Madre Teresa de Jesus.

 

Pai-Nosso. Ave-Maria. Glória ao Pai.

São José, Esposo da Virgem Maria,

Rogai por nós!

+++++++++++++++++++++++++++

7º DIA – 16/03/2021.

Tema: A fé de José encontra-se com a fé de Maria.

Ora ao iniciar-se esta peregrinação, a fé de Maria encontra-se com a fé de José. Se Isabel disse da Mãe do Redentor: “Feliz daquela que acreditou”, esta bem-aventurança pode, em certo sentido, ser referida também a José, porque, de modo análogo, ele respondeu afirmativamente à Palavra de Deus, quando esta lhe foi transmitida naquele momento decisivo. A bem da verdade, José não respondeu ao «anúncio» do anjo como Maria; mas «fez como lhe ordenara o anjo do Senhor e recebeu a sua esposa». Isto que ele fez é puríssima “obediência da fé” (cf. Rom 1, 5; 16, 26; 2 Cor 10, 5-6). Pode dizer-se que aquilo que José fez o uniu, de uma maneira absolutamente especial, à fé de Maria: ele aceitou como verdade proveniente de Deus o que ela já tinha aceitado na Anunciação. O CV II ensina: “A Deus que revela é devida a ‘obediência da fé’ (...); pela fé, o homem entrega-se total e livremente a Deus, prestando-lhe "o obséquio pleno da inteligência e da vontade" e dando voluntário assentimento à sua revelação”. A vida espiritual que José nos mostra, não é um caminho que explica, mas um caminho que acolhe. Só a partir deste acolhimento, desta reconciliação, é possível intuir também uma história mais excelsa, um significado mais profundo. José não é um homem resignado passivamente. O seu protagonismo é corajoso e forte. O acolhimento é um modo pelo qual se manifesta, na nossa vida, o dom da fortaleza que nos vem do Espírito Santo. Só o Senhor nos pode dar força para acolher a vida como ela é, aceitando até mesmo as suas contradições, imprevistos e desilusões.

História: São José no Carmelo.

De fato, São José se mostrará tal para com Teresa o resto de sua vida. Não existirá necessidade da qual ele não a libertará, exercitando para com ela e sua obra a função de custódio e protetor. Da sua experiência a devoção a São José tornar-se-á um traço distintivo da reforma teresiana, centrada na amizade com Jesus Cristo. Como José vigiou sobre Maria e Jesus, defendendo-os dos perigos externos e cuidando da casa, igualmente ele se compromete a vigiar sobre os Carmelos, que como a Família de Nazaré querem ser um lugar onde se acolhe a humanidade de Jesus e vive-se somente para ela e com ela. Por isso José não é somente o patrono, mas também o mestre daqueles que praticam a oração (Vida 6, 8).

 

"Em especial, as pessoas de oração sempre lhe haviam de ser afeiçoadas. É que não sei como se pode pensar na Rainha dos Anjos - no tempo em que tanto passou com o Menino Jesus - sem que se dê graças a São José pelo muito que então Os ajudou". (Santa Teresa de Jesus - Vida 6,8)

Encomendar a São José: A prática da FÉ.

Propósito do dia: A virtude da CORAGEM.

ORAÇÃO FINAL: (Todos os dias)

Os Santos ajudam todos os fiéis «a tender à santidade e perfeição do próprio estado». A sua vida é uma prova concreta de que é possível viver o Evangelho. À semelhança de Jesus que disse: «Aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração» (Mt 11, 29), também os Santos são exemplos de vida que havemos de imitar. A isto nos exorta explicitamente São Paulo: «Rogo-vos, pois, que sejais meus imitadores» (1 Cor 4, 16). O mesmo nos diz São José através do seu silêncio eloquente. (Patris Corde 7)

 

Dirijamos-lhe a nossa oração:

 

Salve, guardião do Redentor

e esposo da Virgem Maria!

A vós, Deus confiou o seu Filho;

em vós, Maria depositou a sua confiança;

convosco, Cristo tornou-Se homem.

Ó Bem-aventurado José, mostrai-vos pai também para nós

e guiai-nos no caminho da vida.

Alcançai-nos graça, misericórdia e coragem,

e defendei-nos de todo o mal. Amém.

(Patris Corde – 8/12/2020. PP. Francisco)

 

Estela da Paz.

Estela Maria Teresa de Jesus, OCDS.

Comissão de Espiritualidade.

Comissão de História.


 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...