domingo, 30 de novembro de 2008

Jovens da OCDS

“ Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele Comigo. “
(Ap 3-20)

Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
Salve Maria!

Meus amados irmãos, no Carmelo a paz!
Eis que Ele está à porta e bate!
Qual é essa porta?
A porta das nossas casas?
Ou simplesmente a porta do nosso coração?
É preciso deixar que Ele entre, para que se faça morada. Ele deseja cear conosco, mas para isso é necessário ouvir primeiro a sua voz. Abrir a porta, estar com a casa arrumada para recebê-lo. Estar com a ceia pronta, para que possamos cear com Ele e Ele conosco.
É nessa “determinada determinação” que estamos nos preparando para o VI Encontro de Jovens da OCDS.
Alguém me falava que não é mais jovens e eu dizia que os jovens da OCDS, somos nós, com os nossos 20, 30, 40 e poucos ou tantos anos.
Algumas Comunidades pediram à Província, que se fizesse o Encontro de Jovens em suas Comunidades. Pensando em Encontros Regionais, assumimos a idéia e já temos o próximo Encontro programado em Itapetininga - SP, na Comunidade Alegria da Sagrada Face .
Este encontro está previsto para 25 e 26 de julho de 2.009 na Associação Nossa Senhora da Paz.
Por ser um Encontro Regional, estaremos trabalhando com a realidade da Comunidade e com seus Jovens, dando maior oportunidade para as Comunidades mais próximas. Isso não impede que outros possam participar, assim como os Iniciantes.
Em breve estaremos mandando mais notícias no Blog, jornal, carta às comunidades, ficha de inscrição com todas as informações necessárias.

É preciso parar, ouvir... Pois ele esta batendo... Estar com tudo pronto e... Abrir a porta! Não apenas cear, mas deixar que Ele faça morada.

Comissão de Jovens da OCDS

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Festa de Reconhecimento Juridico Canônico da Comunidade Santa Teresinha de Passos


A Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus, da Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares da cidade de Passos, em Minas Gerais, celebrou dia 22 de novembro missa em ação de graças pelo seu Reconhecimento Jurídico Canônico-(Ereção Canônica) por parte do Superior Geral da Ordem dos Carmelitas Descalços.

A missa foi celebrada por Frei Geraldo Afonso, na Capela do Carmelo São José, e estiveram presentes representantes da Família Carmelitana: as Monjas Carmelitas deste mosteiro, A comunidade Carmelita Secular “Beata Mirian”da Cidade de Franca-SP.

Representando a Família Religiosa das Concepcionistas do ensino: Madre Natividade Lemos.

A missa solene teve momentos emocionantes como no da Leitura da ata De Reconhecimento Jurídico Canônico, logo após o canto solene do gloria com a entrada da bandeira do CARMELO levada por nossa presidente Sandra Regina.

Durante a celebração tivemos admissão de novos membros na Comunidade que receberam o Escapulário de Nossa Senhora do Carmo. Uma pessoa fez suas promessas temporárias, e duas pessoas fizeram as promessas definitivas na Ordem Secular Carmelitas Descalça.

Frei Afonso nos lembrou das responsabilidades que esse reconhecimento nos traz, e de todas as graças que acompanham esse momento.

Logo apos a missa tivemos uma pequena recepção para partilhar aí também tantas alegrias.

Rogamos a nossa Santa Madre Teresa de Jesus, que nos dê a santa Determinação para caminhar sempre; a São João da Cruz que nos ensine a encontrar a luz nas noites escuras da vida e a Santa Teresinha do Menino Jesus que nos conduza pelo pequena-via encontrando nas pequenas coisas a alegria se servir a Deus e aos irmãos .

Agradecemos a todos que rezaram por nós, e continuem rezando para que sejamos na fidelidade discípulos Missionários do reino de Jesus Cristo.


Rose Lemos Piotto,OCDS -Passos,MG

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

COMO DEUS ME CHAMOU AO CARMELO - Maria das Graças


Ah, como Deus me chamou ao Carmelo....
Não foi um chamado onde o testemunho emocione corações, mas Deus sempre esteve com seus olhos sobre mim, sua mão a segurar-me, porque Ele sabe de que matéria sou feita, barro que precisa ser modelado a cada dia, tirado suas arestas, trabalhado em suas imperfeições.
Desde cedo participei de movimentos da Santa Igreja, mas alguma coisa me faltava, buscava algo que preenchesse meu coração por inteiro e participando de um desses movimentos, conheci duas pessoas que me falaram de Carmelo, o que nem sabia direito o que era. Em janeiro de 1999, fui conhecê-lo, e pronto, foi paixão à primeira vista, tive certeza que era isso que buscava. Encantei-me com a alegria e receptividade das monjas, o jeito de serem, e sobretudo, apaixonei-me pela espiritualidade carmelitana.
Achei admirável a forma como nossos santos acolheram e viveram esse amor grande que habitava neles e que também habita em nós, só que eles como escolhidos foram além. Quantos escritos maravilhosos ficaram para nos formar e educar na fé. Sou encantada pela maneira como a Beata Elisabete da Trindade mergulhou no mistério da Santíssima Trindade. Santa Teresinha na mesma linha de São João da Cruz, austeridade, cruzes. Santa Teresa, então, mestra e mãe. Muitos ensinamentos deixados, não só aos carmelitas, mas ao mundo.
Mesmo sem saber, sem conhecer o carisma do Carmelo, procurava, embora timidamente, ter essa vida de intimidade com Deus pela oração, o silêncio e a meditação já faziam parte de mim.
Onde quer que esteja, quando alguém fala em Carmelo, vibra o meu coração, minha alma se alegra em fazer parte dessa bendita família carmelitana, filhos da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo, por quem tenho grande amor.
Em setembro do mesmo ano ingressei na OCDS. Recebi o Escapulário em abril do ano seguinte, fiz promessa simples em 2003 e definitivas em 2007.
Vejam que nada de extraordinário, como o chamado dos grandes, tudo em minha vida tem ocorrido na simplicidade, as vezes insegura, as vezes na confiança cega, nas provações, cruzes, abandonos, alegrias, mas acreditando nesse amor grande e forte e no grande milagre de um dia estar, face a face, com Aquele que é o Amado de minha alma e que se faz tão presente nesse belo jardim que se chama Carmelo, onde minha alma se deleita, fica em paz e que costumo chama-lo de “meu Monte Tabor”, lugar da transfiguração.
Aos meus queridos(as) irmãos(as) em Cristo, abraço grande e fraterno!

-
Maria das Graças da SS. Trindade e do Coração Imaculado – OCDS
Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus – Teresina-PI
-

domingo, 23 de novembro de 2008

Cântico Espiritual - São João da Cruz

Dia Nacional dos Cristãos Leigos e Leigas

Desde 1991, o CNL comemora o Dia Nacional dos Leigos e Leigas na Festade Cristo Rei, com o intuito de recuperar e valorizar a memória da Ação Católica. Neste ano de 2008, no dia 23 de novembro, comemoraremos a Festa de Cristo Rei, e, na mesma festa, o Dia do Leigo e da Leiga. E para nos prepararmos para essa festa, o Conselho Nacional do Laicato do Brasil - CNLB - preparou este material, que contém três encontros e uma proposta para a celebração litúrgica do Dia do Leigo e da Leiga.




Oração:



Senhor Jesus Cristo,
Tu, que caminhastes no chão deste mundo,
testemunhando o Projeto de Deus para a
humanidade, ensinando homens e mulheres
a viverem a radicalidade dos valores do Reino
de Deus, chamando todos à decisão do
seguimento e a assumirem as exigências da
Missão,
Faze com que nós, cristãos leigos e leigas,
respondamos com a vida ao Teu chamado, na
nossa vida pessoal, na família, na comunidade,
no trabalho, na ação política e na sociedade.
Que hoje se revigorem em nós as motivações
e a graça dos Sacramentos do Batismo e da
Crisma, doados pelo amor da Trindade Santa,
tornando-nos “protagonistas da evangelização”,
testemunhando presença na construção
de uma sociedade justa e solidária.
Que nossa disposição de conversão nos leve
a amar os excluídos e a superar a exclusão -
particularmente a exclusão dos empobrecidos,
dos menores abandonados, dos doentes, da
mulher, do negro, dos povos indígenas, dos
alcoólatras, dos encarcerados, dos drogados,
dos desempregados, dos idosos e dos
moradores de rua - para assumir com
responsabilidade e discernimento a exigência
de novos ministérios, respondendo criativamente
aos desafios de nosso tempo, no novo
milênio.
Amém.
-
Fonte: CNBB
(http://www.cnbb.org.br/ns/modules/extcal/event.php?event=17 )


.

sábado, 22 de novembro de 2008

COMUNIDADE DE PASSOS-MG É RECONHECIDA CANONICAMENTE


A Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus, da Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares da cidade de Passos, em Minas Gerais, celebra hoje uma missa em ação de graças pelo seu Reconhecimento Jurídico Canônico por parte do Superior Geral da Ordem dos Carmelitas Descalços.
Parabéns à OCDS de Passos, por este importante "passo" na caminhada, sinal de que a Ordem reconhece a seriedade e o amadurecimento da Comunidade, mas que implica também em muito mais responsabilidade e comprometimento.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Oração para o Ano Catequético

Senhor,
como os discípulos de Emaús, somos peregrinos.
Vem caminhar conosco!
Dá-nos teu Espírito, para que façamos da catequese
caminho para o discipulado.
Transforma nossa Igreja em comunidades orantes e acolhedoras,
testemunhas de fé, de esperança e caridade.
Abre nossos olhos para reconhecer-te
nas situações em que a vida está ameaçada.
Aquece nosso coração, para que sintamos sempre a tua presença.
Abre nossos ouvidos para escutar a tua Palavra,
fonte de vida e missão.
Ensina-nos a partilhar e comungar do Pão,
alimento para a caminhada.

Conselho Plenário da Província


Recordamos o Conselho Plenário da Província, realizando-se desde 17 até 21 de novembro, no Centro Teresiano de Espiritualidade de São Roque. No Conselho, momento de reflexão e partilha da provincia , celebra-se também o envio dos frades Fr. João Bonten, Fr. João de Deus e Fr. Luciano Henrique à fundação que a Província fará na Holanda, além de celebrar os 50 anos de vida religiosa de Fr. Osman e Fr. Rafael.
Com Nossas Orações a todos!!
-

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Santa Teresinha no espaço


Curia OCD
Roma (2008-11-15).-

Do centro da Ordem (www.carmelitasdescazos.org.br




No dia 17 de agosto as Carmelitas Descalças de New Caney (USA) receberam uma visita prometida e por longo tempo esperada do amigo astronauta da comunidade, o coronel Ron Garan. Ron era membro da tripulação na mais recente viagem da nave espacial Discovery, que aconteceu entre os dias 31 de maio a 14 de junho passado com o objetivo de alcançar o módulo de laboratório japonês Kibo (esperança) na Estação Espacial Internacional. A missão de Ron consistia em andar no espaço, preso unicamente por uma corda nos pés, sobre um braço robótico guiado a partir do interior da estação por um outro membro da expedição, para colocar o módulo japonês na posição correta e segura, e para operar alguns reparos externos na estação espacial. A NASA tinha preparado um breve vídeo da missão, que permitia de escutar e ver algo do que acontecia dentro da nave e da estação. Tratou-se de uma apaixonante e luminosa tarde para a comunidade carmelitana. Com razão as monjas foram muito agradecidas ao comandante Ron por ter ele compartilhado desta aventura com elas. Na primavera passada o comandante telefonou para o Mosteiro a fim de pedir às monjas que orassem pelo sucesso da viagem, e se ofereceu para levar ao espaço uma pequena coisa sagrada que as monjas lhe dessem. O que poderia ser? A comunidade recordou-se das palavras de Santa Teresinha: “Sinto a vocação do apóstolo. Queria percorrer a terra, pregar o teu nome, e plantar sobre o solo infiel a tua cruz gloriosa. Porém, meu Amado, uma só missão não me bastaria. Desejo anunciar ao mesmo tempo o Evangelho nas cinco partes do mundo, e até as ilhas mais distantes”. Com esta evocação as Carmelitas confiaram ao astronauta de levar no espaço uma relíquia de Santa Teresinha. Em 14 dias esta recordação teresiana percorreu 9.177.030 km ao redor da terra a 27.297 km por hora! Durante este tempo, com uma oração intensa, a comunidade pediu a Santa Teresa de deixar cair a sua chuva de rosas do espaço sobre o mundo. A sua vocação universal chegou até os confins do espaço.
-

Poesia - Chama Viva de Amor - (São João da Cruz)



“Oh! Chama de amor viva

que ternamente feres

De minha alma no mais profundo centro!

Pois não és mais esquiva,

Acaba já, se queres,

Ah! Rompe a tela deste doce encontro.

Oh! Cautério suave!

Oh! Regalada chaga!

Oh! Branda mão! Oh! Toque delicado

Que a vida eterna sabe,

E paga toda dívida!

Matando, a morte em vida me hás trocado.

Oh! Lâmpadas de fogo

Em cujos resplendores

As profundas cavernas do sentido,

que estava escuro e cego,

Com estranhos primores

Calor e luz dão junto a seu Querido!

Oh! Quão manso e amoroso

Despertas em meu seio

Onde tu só secretamente moras:

Nesse aspirar gostoso,

De bens e glória cheio,

Quão delicadamente me enamoras!”


(São João da Cruz, Chama Viva de amor)

sábado, 15 de novembro de 2008

PENSAMENTOS - SANTA TERESA


15 de novembro - COMEMORAÇÃO DE TODOS OS DEFUNTOS DE NOSSA ORDEM


Reunidos por um mesmo amor a Cristo e dedicação à Virgem Maria Mãe de Deus, os membros da família do Carmelo continuam a amar-se fraternalmente, quer estejam empenhados na luta por Cristo nesta terra, quer terminada sua peregrinação terrestre, esperem a visão gloriosa do senhor. Por isso, toda a Ordem, unida em oração, implora a misericórdia de Deus aos irmãos e irmãs falecidos, a fim de que, pela intercessão da Virgem Maria, sinal de esperança e de consolação, sejam acolhidos nos gloriosos coros dos santos, no céu.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Todos os Santos Carmelitas



Festa
Os Santos do Carmelo são uma imensa multidão de nossos irmãos que consagraram a própria vida a Deus, seguindo os ensinamentos do divino Mestre e imitando sua vida. E se entregaram ao serviço da Virgem Maria na oração, na abnegação evangélica e no zelo pelas almas, zelo selado, às vezes, com o próprio sangue. Eremitas do Carmelo; mendicantes da Idade Média; doutores e pregadores missionários; mártires; monjas que dilataram o povo de Deus com a misteriosa fecundidade de sua vida contemplativa; religiosas que descobriram o rosto de Cristo aos irmãos com o apostolado caritativo ou do ensino, sobretudo em terras de missão; seculares que souberam, no meio do mundo, encarnar o espírito da Ordem. Toda a família do Carmelo da Pátria celeste com Maria – sua Mãe – à frente, constitui neste dia o motivo de nossa alegria e de nosso louvor ao Pai. Lembramos os nossos irmãos que ontem se dedicavam à assídua oração na terra, e hoje participam na liturgia do céu, e nos unimos à glória enquanto peregrinamos pelos caminhos que eles trilharam, cheios de coragem, ao ver em obséquio de Jesus Cristo e imitando Maria.

FESTAS DE TODOS OS SANTOS CARMELITAS


CLIQUE OU COLE AQUI PARA ASSISTIR AO SLIDE DE TODOS OS SANTOS CARMELITAS:




Boas festas com as bençãos do céu!!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

A Regra do Carmo


A Regra do Carmo
é um dos caminhos
que nos leva a Jesus,
nosso Salvador.

Nessa caminhada
seguimos Elias
e Nossa Senhora,
exemplos de Amor.

Buscamos o alvo
pela meditação,
silêncio, trabalho
e fraternidade.

Somos carmelitas,
vivemos a Regra,
subimos o Monte
em comunidade.

Luciano Dídimo

____________________________________________________
Inspirado no tema do Retiro da Comunidade Rainha do Carmelo: “Princípios que guiam a vida carmelitana”, realizado de 07 a 09/11/2008 em Guaramiranga-CE e conduzido pelo Frei Wilson Gomes, OCD.
-

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Aniversário do Frei Alzinir





Parabéns pra você, nessa data querida... Muitas felicidadeees, muitos anos de vida!!!
Felicidades 1000!!!!





Família OCDS







Mensagem de aniversário - para Frei Alzinir


Frei Alzinir ,

No dia em que você nasceu, os Anjos tristes por sua partida entoaram hinos harmoniosos e Angelicais, era uma despedida entre irmãos. Anjos de asas transparentes, Anjos sorridentes, que juntos brincavam no céu. A separação doía, não queriam ficar longe de você, Anjo Travesso e Feliz.... Foi então que tiveram uma idéia, em cada Ano de vida terrestre, um desceria e ficaria ao seu lado, aproveitando assim para matar a saudade. A idéia foi aceita e festejada por todos, daquele dia em diante, você nunca mais ficou só.A cada novo aniversário um Anjo desce e fica ao seu lado. Sua proteção sempre foi muito grande, porque nada é igual a pureza dos Anjos Hoje é seu Aniversário, dia da Troca da Guarda, e eu gostaria muito de ser um deles para ficar com você, espalhando luz e amor ao seu redor. Como não posso, envio-lhe o meu abraço, o meu carinho, e a minha prece .Para que seu Anjo da Guarda, seja tão iluminado quanto você.
-
Parabéns, Feliz Aniversário!!!
-
São os votos de seus irmãos OCDS.
-

sábado, 8 de novembro de 2008

A ESPIRITUALIDADE NAS CARTAS DE ELIZABETE DA TRINDADE

DESDE QUANDO ESCREVIA?
• Desde criança;
• Como leiga enquanto esperava a permissão para a vida religiosa e depois no Carmelo.

COMO SE COMUNICAVA E SE COMUNICA AINDA CONOSCO?
• Através de cartas, bilhetes, poesias, escritos deixados de seus retiros.

PARA QUEM ESCREVIA ?
• Amigos;
• Parentes;
• Padres;
• Seminaristas;
• Para as irmãs da comunidade;
• Religiosos(as).

Elizabete possuía um coração atraente, generoso e sem rodeios!
Os santos vivem uma tradição na Igreja, mas eles também participam mais profundamente num Mistério, do qual nos falam em seguida, de um modo necessariamente limitado. A atitude que Elisabete da Trindade assumiu no sofrimento humano contém um aspecto evangélico e profético, traduzido na linguagem de sua época. Se a árvore é reconhecida por seus frutos, como não discernir a presença do Espírito na alegria intensa que resplandece a cada página da obra desta jovem santa?

A ESPIRITUALIDADE PASSADA NAS CARTAS:
Vejamos nas cartas, nas poesias e nos tratados desta época os suportes espirituais de seu rápido vôo:
1. -seu desejo do Céu;
2. - a presença dos “Três” que, depois da festa da Ascensão (24 de maio), se intensificou ainda mais;
3. -a certeza de ser amada pelo Deus todo Amor;
4. -a presença de Maria, rainha dos mártires e porta do Céu;
5. -o desejo da união com Deus sobre a terra como no Céu, desejo ainda mais avivado pela leitura de Ruysbroec durante o verão;
6. -em outros termos, o desejo de viver num profundo recolhimento em Deus mediante o silêncio interior e o desapego de tudo;
7. -o desejo de ser através de tudo um “louvor de glória” que canta “somente a glória do Eterno”;
8. -antes de tudo, a sede de conformidade ao Cristo Crucificado, ideal proposto por São Paulo e, em setembro e outubro, desenvolvido por Ângela de Foligno: “No Homem das dores ela se encerrou”;
9. -a consciência crescente de ter uma “missão” a cumprir no Céu;
10. Nos últimos meses se aprofundava também nela uma espiritualidade sacrificial e eucarística. Sua Priora é revestida de uma mediação quase sacerdotal. O dom de si, com o Cristo e pela Igreja, constitui sua felicidade conquistada na agonia.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

08/11 - BEATA ELIZABETE DA TRINDADE, Virgem da nossa Ordem (memória obrigatória)

" O homem não é uma casa desabitada e sem dono; Deus habita em nós, vive dentro de nós. É um perfeito louvor de glória ao Senhor. Encontrou o seu paraíso aqui na terra porque o paraíso é Deus e Ele habita dentro de nós. E a vontade de Deus deve ser o alimento, o pão de cada dia; cada incidente, cada acontecimento, cada sofrimento, cada prazer é um sacramento que Deus nos dá."

08/11 - BEATA ELIZABETE DA TRINDADE, Virgem da nossa Ordem (memória obrigatória)

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

06/11 - Beata Josefa Naval Girbés


Acesse o link de nosso blog e conheça a vida dessa beata carmelita secular:
http://ocdsprovinciasaojose.blogspot.com/2008/05/beata-josefa-naval-girbs.html

06/11 - Beato Nuno Álvares Pereira


Condestável do Reino de Portugal, venceu brilhantemente os castelhanos nas batalhas de Atoleiros, Aljubarrota e Valverde, assegurando assim à nação lusa a independência e a fidelidade ao verdadeiro Papa. Rico e poderoso, tinha o senhorio de aproximadamente um terço do território português, mas a tudo renunciou por amor de Deus, ingressando como irmão leigo no Mosteiro do Carmo de Lisboa, que ele mesmo edificara, e adotando o nome religioso de Frei Nuno de Santa Maria. Sua espada sempre invicta, que tinha gravada na lâmina o santo nome de Maria, foi depositada no altar, nas mãos do Profeta Elias, fundador da Ordem carmelita. Uma filha do Santo Condestável casou com D. Afonso, filho do rei D. João I de Portugal. Desse casal procede a Sereníssima Casa de Bragança, que reinou em Portugal até 1889 e no Brasil até 1889.
-
Fonte: Canal Rio Claro
-
Leia mais sobre o Beato Nuno Álvares Pereira em http://pt.wikipedia.org/wiki/Nuno_Álvares_Pereira
-

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

VÍDEOS - COMEMORAÇÃO DOS 25 ANOS DO CONGRESSO PROVINCIAL OCDS

As comemorações pelo Jubileu de Prata dos congressos da OCDS - Província São José se deram de maneira alegre e festiva, durante a realização do XXV Congresso Provincial em São Roque-SP, nos dias 16 a 19/10/2008.


No dia 18/10, inicialmente, foi reunido o grupo lá presente para a "foto oficial", onde todos vestiram a camisa comemorativa dos 25 anos.


Depois houve a celebração eucarística em ação de graças pelo Jubileu de Prata.


Contagem "progressiva" para estourar os champanhes!


Em seguida, a galera caiu na dança!


Foi uma festa muitíssimo animada!

domingo, 2 de novembro de 2008

FAMÍLIA SECULAR: torna-te aquilo que és...

Frei Antonio Júnior Gualberto,OCD
-

(Palestra proferida no XXV Congresso Provincial da OCDS, em São Roque-SP, no dia 17/10/2008)

Frei Júnior, entre Paulo e Ana Maria Scarabelli

I – A coragem de SER

Para essa reflexão tomaremos o conceito de coragem para nos ajudar a entender o processo do ser humano como nômade de Deus, ser a procura de..., aberto às realidades que o rodeia e que lhe espreita como MISTÉRIO.

Coragem é uma realidade ética, mas se encaixa em toda a extensão da existência humana e basicamente na estrutura do próprio ser. A coragem de ser é o ato ético no qual o ser humano afirma seu próprio ser a despeito daqueles elementos de sua existência que entram em conflito com a sua auto-afirmação essencial. O homem corajoso age em prol do que é nobre, salutar e o impulsiona ao BEM maior.

Coragem também é a afirmação da natureza essencial de uma pessoa. Inclui também o sacrifício possível e, em certos casos, inevitável, de elementos que também pertencem a nosso ser, mas que, se não sacrificados, impedir-nos-iam de atingir nossa realização. No ato de coragem a parte mais essencial do nosso ser prevalece sobre a menos essencial.

Na vida a suprema prova de coragem é o estar pronto para fazer o supremo sacrifício, o sacrifício da própria vida, em favor dos outros, uma atitude de profunda doação de si. Daí a etimologia da palavra CORAGEM vir do latim COR, CORDIS=coração, ela brota do profundo do ser humano, e é um ato de decidir-se em ser aquilo para o qual foi criado. Tomás de Aquino afirma que coragem é força de ânimo, capaz de dominar o que quer que ameace a obtenção do mais elevado bem: ser de Deus e estar para Ele. A coragem perfeita é dom de Deus, que nos capacita atos heróicos de virtudes.

A coragem dá consolação, paciência e experiência, torna-se indistinguível da fé e da esperança. Segundo Sêneca, a coragem de ser é a coragem de afirmar a nossa própria natureza por sobre o que é acidental em nós. Os desejos incontroláveis e medos (medo da vida e da morte) conflitam com a coragem. Causam em nós ansiedade que coloca máscaras assustadoras sobre todos os homens e coisas, fazendo-nos viver numa realidade fictícia e doentia. Tempos que aprender a despir-nos de nossas máscaras, mostrar o que é real, nossa fisionomia, nossa verdade.

A afirmação do ser essencial de alguém, a despeito de desejos e ansiedades, cria a alegria (aprender a ser alegre), é a felicidade de uma alma que é elevada acima de todas as circunstâncias. A alegria é expressão emocional do corajoso SIM ao verdadeiro ser próprio de uma pessoa. A maior parte das pessoas estão em conflito com seus desejos incontroláveis e medos e, portanto, incapazes de afirmar seu ser essencial corajosamente.

Spinoza descrevendo sobre a virtude diz que a virtude é o poder de agir, exclusivamente de acordo com nossa verdadeira natureza. E o grau de virtude é o grau em que alguém está se empenhando e é capaz de afirmar seu próprio ser. Uma vez que a virtude e a auto-afirmação são idênticas, e uma vez que generosidade é o ato de sair de si mesmo para os outros num afeto benevolente, não se pode pensar em conflito entre auto-afirmação e amor (oposto do egoísmo).

A auto-afirmação (o mais alto bem – ser) é o oposto ontológico da “redução do ser” pelo fato que esta afeta e contradiz a natureza essencial de uma pessoa. Na sua reflexão Spinosa nos diz que se a alma reconhece a si própria, reconhece seu ser em Deus. E Este conhecimento de Deus e de seu ser em Deus é a causa da beatitude perfeita (amor perfeito), amor espiritual porque é eterno e, portanto, um afeto não sujeito às paixões. Ele é a participação no amor espiritual infinito com o qual Deus contempla ama a si mesmo, e ama também o que pertence a ele, os seres humanos, você.

Erich Fromm expressou que a idéia de que o auto-amor correto e o amor correto pelos outros são independentes, e que o egoísmo e o abuso dos outros também são independentes.

II – Realização pessoal

A consagração na OCDS deve oferecer a todos a chance de poderem realizar-se humana e espiritualmente (inseparáveis).

Uma religião mal entendida e mal vivida é fator de desumanização, infantilismo, ingenuidade e servilismo.

O que significa REALIZAÇÃO PESSOAL? Ela está intrinsecamente voltada para a busca de nossa identidade.

A tarefa da existência é desenvolver o que Deus semeou na vida de cada um (Mt 25,14-30 - talentos). Cobrado em dobro seremos daquilo que nos foi dado. Cada um deve realizar as potencialidades que foram depositadas no mistério da existência humana. Aqui, não podemos nos mover pelo caminho da representação do rendimento que transforma o ser humano e máquina.

Cada um é e se faz imagem e semelhança de Deus, na medida em que realiza na sua caminhada pessoal a sua humanidade. Dentro do meu cotidiano como realizo a meu ser religioso? Na profissão, em casa, na vocação, etc. Qual o espírito e as motivações minhas? O meu ser religioso aparece? Até que ponto a minha pertença a essa religião, a OCDS me ajuda a humanizar-me?

Que sentido tem as negatividades (fracassos, desapontamentos, decepções, etc.), a dimensão de cruz, em minha caminhada?

O Espírito e a liberdade podem operar transformando as negatividades também em caminho de realização e de acesso a mais profunda humanidade.

Leonardo Boff assim reflete: “as negatividades podem significar o húmus rico na qual medra a humanidade e corre a seiva generosa. A liberdade pode tudo transformar e o espírito tudo vivificar. O mal é oportunidade para eu acolher o diferente de mim, o outro, e transformá-lo em próximo. É ocasião de perdão. A pedra no caminho não precisa ser obstáculo, mas pode servir de fundamento para a construção de minha casa”.

O que você busca na OCDS? Você sabe o que está buscando?

O caminho para a realização pessoal é o que estamos fazendo agora, num processo de caminho e caminhada (fazendo e percorrendo o Caminho). Nesse caminho está tudo e nos confrontamos com tudo. Caminhar é batalha, tomar a cruz do dia a dia e seguir-Lo.

O caminho da auto-realização está em sabermos acolher todos os desafios que a vida se encarrega de apresentar. A indiferença, a mediocridade, a ausência de paixão na busca é que nos distanciam do centro de todos, e assim, nos isolamos uns dos outros. Ninguém entra no Carmelo de Deus para não sofrer. Que sentido eu dou às crises?

III – Cruzes da vida e auto-realização

A realização pessoal nos remete à qualidade com que realizamos aquilo que somos e como fazemos bem aquilo que a vida situada nos apronta. É ser todo em tudo o que se faz. Qual a qualidade de minha vida espiritual? Qual importância eu dou à OCDS?

Quais são as minhas fugas de mim mesmo? Fuga de afrontar e se medir consigo mesmo, com seus desejos, com suas limitações, com seus problemas, positividades e negatividades. Nessa fuga aparece o afã de EU FAZER, EU SABER, EU PROMOVER, eu sou o importante, a minha realização pessoal é que se torna imprescindível.

Estamos no mundo como nômades de Deus, num eterno ‘ir para...’, lugares e horizontes são convites para ser mais. A vida e sempre uma despedida, estamos nos despedindo a cada momento, pois nosso destino último é Deus. As crises e negatividades pelas quais passamos possuem esta lição, nos despojar e preparar para o total convívio com Deus.


Bibliografia

TILLICH, Paul. Coragem de Ser. Tradução Eglê Malheiros. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967, pp.1-22.

BOFF, Leonardo. CRISE: oportunidade de crescimento. Campinas: Verus, 2002, pp. 134-153.

_____________________________________

TESTEMUNHO
Aos cinco minutos de palestra do Frei Júnior (Família Secular, torna-te aquilo que és), quase arrumo meus trecos e vou embora. Ao meio de gargalhadas e tapas na cara, ficou-me: “Você está aqui porque quer. Todo carmelita tem que ter coragem e ser louco. Coragem e louco para dar uma resposta concreta ao mundo de hoje. Tudo a partir do oferecimento de minha humanidade a Deus”.

Venho do meu trabalho árduo, sou diretora geral de um presídio em Fortaleza que custodia 600 vidas. Fora, é claro, da condução de minha casa e minha família (cinco filhos) em amor com meu esposo.

O desejo imediato é de fugir, mas quando penso em Teresa, fujo da covardia para me entregar a Deus, buscando ser aquilo que Ele tem preparado para mim.


Ruth Leite Vieira

Comunidade Rainha do Carmelo – Fortaleza-CE

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...