quarta-feira, 30 de março de 2016

I CONGRESSO DA JUVENTUDE DO CARMELO DESCALÇO

                                              
Começarei a cantar o que depois deverei repetir por toda a eternidade: “As misericórdia do Senhor”. (Ms A 2r) Santa Teresinha do Menino Jesus
 Queridos irmãos e irmãs em Cristo e no Carmelo Descalço, paz e alegria!
 É com muita alegria e gratidão a Deus que escrevemos a todos vocês para convidá-los a participar do I Congresso da Juventude do Carmelo Descalço da Província São José. Este congresso é a materialização de um antigo sonho, que há tempo vem sendo planejado e desejado por todos nós.
Visando aprofundar a proposta que o Santo Padre, o papa Francisco, fez a toda Igreja neste ano santo consagrado à Misericórdia, o congresso terá como tema a frase: “CONECTADOS COM A MISERICÓRDIA”, e lema: “Bem aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia” (Mt 5, 7).
O nosso congresso se realizará de 29 a 31 de julho, no Centro Teresiano de Espiritualidade, em São Roque – SP. Visando proporcionar uma grande participação dos jovens de nossa província, conseguimos reduzir o valor da taxa de inscrição, que é de apenas R$ 150,00. As inscrições serão on-line, por meio do link abaixo:
Para facilitar a organização do evento, as inscrições somente serão confirmadas após o envio do comprovante de pagamento para o e-mail:
 carmelojovemprovinciasaojose@gmail.com
Como as vagas são limitadas, as inscrições para os jovens da OCDS e para os vocacionados da OCD, estarão abertas até o dia 02 de maio. Após esta data, as inscrições estarão abertas aos membros da OCDS e aos amigos do Carmelo.
Para maiores informações, vocês podem entrar em contato com Esther Pires, pelo telefone: (15) 99728 2767.
Na certeza de que somos irmãos, cantemos eternamente as misericórdias do Senhor!
Forte e fraterno abraço,


Comissão de Jovens da OCDS

segunda-feira, 28 de março de 2016

CARTA DO PADRE GERAL DA ORDEM, FREI SAVÉRIO CANNISTRÀ (especialmente dirigida aos seculares) - 27 de março de 2016.






Roma, 27 de março de 2016


Aos queridos irmãos da Ordem Secular, provinciais OCD, delegados provinciais e assistentes da OCDS:

A paz e a alegria de Cristo Ressuscitado esteja com todos vocês! 

Dirijo-me a vós com afeto fraterno neste dia de Páscoa, dia da vitória do amor de Deus Pai, o qual, “em sua grande misericórdia nos regenerou mediante a ressurreição de Jesus Cristo de entre os mortos, para uma esperança viva” (I Pedro 1, 3).
No mês de maio do ano passado, como sabeis, teve lugar em Ávila nosso Capítulo Geral, no qual a OCDS participou com alguns representantes e com alguns representantes e com vossas respostas ao questionário enviado pela Secretaria Geral da OCDS em setembro de 2014. Quero, antes de mais nada, dar-vos graças por vossas expressões de gratidão e vossas orações, bem como também pelas sugestões dirigidas aos capitulares.
Com esta carta queria aprofundar algumas questões postas de manifesto em vossas respostas e apresentar algumas sugestões, dado que durante o Capítulo não tivemos o tempo necessário para discuti-las e dar-lhes uma contestação.

1.         Em primeiro lugar, a respeito da criação de um “Conselho Internacional da OCDS”, temos recebido uma variedade de respostas: tanto aquelas que manifestavam entusiasmo pela ideia quanto aquelas que a ela se opunham. Certamente não houve um consenso claro e majoritário, que aconselhasse instituir rapidamente o Conselho. As muitas dúvidas a cerca da utilidade ou oportunidade de tal conselho, seu funcionamento, assim como as dificuldades de comunicação por causa das diversas línguas e os custos econômicos que traria consigo, nos convidam a realizar uma reflexão mais profunda. Diante dessa situação, pensamos que é melhor fortalecer o papel dos Conselhos Provinciais nas diversas circunscrições. Segundo as Constituições OCDS (nº 57-58) e os estatutos de cada Província, toca a eles o dever de organizar cursos de formação, iniciativas de animação da vida e de promoção do apostolado das Comunidades, em diálogo e colaboração com os religiosos. Nesse sentido, os animo a prosseguir neste caminho, superando, inclusive, os confins da própria circunscrição para abri-los a uma colaboração interprovincial e nacional.

2.         Outro tema que considero fundamental é o da formação. Desejo, antes de tudo, exortar a nossos religiosos a dedicarem-se com sempre maior esforço à formação de nossos leigos, para que cresçam na própria identidade laical e possam testemunhar a espiritualidade da Ordem em sua vida cotidiana. Esta tarefa, no tocante ao acompanhamento dos indivíduos e das comunidades, pode ser cumprida também aproveitando as possibilidades oferecidas pelos novos meios de comunicação.

Um segundo aspecto da formação, a mim me parecer o mais importante, é o que compromete diretamente a cada uma das Comunidades e, em particular, ao Conselho da Comunidade. Sua tarefa principal é promover a “formação e o amadurecimento cristão dos membros da Comunidade”, preparando a pessoa a “viver o carisma e a espiritualidade do Carmelo, no seguimento de Cristo, a serviço da missão” (Const. OCDS 46.32). Quanto a este aspecto, os programas formativos de cada Província devem atualizar-se constantemente segundo uma pedagogia adaptada aos nossos tempos e aos jovens, que facilite a compreensão do carisma segundo a mentalidade de hoje e clarifique a identidade do membro da Ordem Secular. Ademais, a promoção das vocações, seu discernimento, sua acolhida e acompanhamento são cruciais para a sobrevivência da mesma Comunidade. Todas estas atividades serão eficazes somente se vão unidas ao bom testemunho de vida fraterna nas Comunidades, segundo o estilo teresiano. Esta é a terra fecunda que permite viver e contagiar aos outros a vida que provém de serem ramos unidos à única Vida que é Cristo. Somente assim, será possível vencer as tentações de divisão e afrontar aos muitos desafios que o mundo apresenta.
Finalmente, um terceiro pensamento (ou aspecto) sobre a formação tem que tudo a ver com a dimensão missionária: cada vocação na Igreja é chamada à missão. Por isso, hoje, mais do que nunca, temos necessidade de uma formação sólida. Dar testemunho dos valores do Evangelho em meio a um mundo pluralista, às vezes até hostil e em tantos lugares anticristãos, exige o valor (a coragem) do martírio e a fortaleza que nos vem somente do Espírito prometido por Jesus (cf. Lucas 12, 11-12), como também de uma vida de oração e amizade com Ele. Essa adesão vital a Cristo é fundamental para levar a mensagem de salvação do Evangelho precisamente ao lugar de vossa santificação e, assim, responder às diversas necessidades da sociedade e da Igreja em cada país, segundo nosso carisma. Temos recebido um tesouro e devemos compartilhá-lo indo ao encontro das pessoas para dizer-lhes que Deus quer empreender um caminho de amizade na oração com cada ser humano, amado por Ele infinitamente. Partindo deste núcleo central de nosso carisma, somos chamados a colaborar ativamente com a missão da Ordem.
Por outro lado, a Igreja mesma nos oferece indicações atuais e seguras sobre a evangelização em seus documentos , em particular em um dos mais recentes: “Evangelii Gaudium”. A evangelização encontra raízes na amizade com o Senhor Jesus, em contemplá-lo amorosamente a partir do Evangelho (cf. EG 264). Graças a esta relação de amizade, podemos descobri-lo presente no contexto de nossa vida cotidiana, assim como também nas pessoas que encontramos. Modelo desta atitude é a Virgem Maria, que meditava em seu coração os acontecimentos da história.
Certamente, para sermos bons discípulos-missionários, temos necessidade de uma boa formação doutrinal e carmelitana. A este respeito, quero agradecer às Províncias e Comunidades que ajudam a outras com o envio de livros ou materiais de formação.
De outra parte, recordo algumas interessantes iniciativas da parte de algumas Províncias que envolvem a leigos, religiosos e especialistas em cursos oferecidos periodicamente com este objetivo. Como sabeis, a Ordem tem centros de formação internacional em Roma e em Ávila e pensamos continuar organizando também neste sextênio cursos de formação bíblico-carmelitana na Terra Santa em distintas línguas. São âmbitos abertos a todos e, ainda que suponham um esforço desde o ponto de vista da disponibilidade de tempo e de meios econômicos, são certamente muito importantes.

3.          Haveis manifestado também o desejo de uma maior comunicação entre os frades, monjas e leigos. A este propósito, uma das iniciativas empreendidas pelo centro da Ordem são as cartas do Definitório, que depois de cada sessão são enviadas aos Padres Provinciais, para que as transmitam também às monjas e aos leigos. Vos informamos que está em precesso de reestruturação a página oficial da Ordem na internet (http://www.carmelitasdescalzos.com). Temos também perfis no Facebook com o nome da Curia Generalizia Carmelitani Scalzi (https://www.facebook.com/Curia-Generalizia-Carmelitani-Scalzi-658766940887784/?ref=aymt_homepage_panel) e no Twitter: @ocdcuria, para a comunicação cotidiana, todos eles oficiais da Casa Geral OCD em Roma.
Para uma maior colaboração nas formações, vos pedimos que envieis vossas notícias de caráter provincial (congressos, encontros, etc) ao correio eletrônico do Secretário para a informação: ocdinform@gmail.com. No que se refere às Províncias e aos Mosteiros das monjas, a comunicação se deve realizar de acordo com as possibilidades e meios disponíveis. É um serviço importante e frutífero que requer a colaboração de todos na Província.


4.         Antes de terminar, quero dar-vos graças e fazer uma chamada aos Capítulos Provinciais dos Frades que se celebrarão no primeiro semestre do ano de 2017. Dar-vos graças por tantos e bonitos testemunhos de apostolado e solidariedade que nos haveis dado; agradeço também a ajuda econômica que muitos de vós dais às nossas monjas e aos frades e à Casa Geral da Ordem.
A chamada que dirijo aos Conselhos Provinciais das Províncias OCD é a de convidar aos representantes da OCDS aos Capítulos Provinciais, com o fim de poder avaliar com eles o caminho realizado e projetar iniciativas pastorais comuns para o futuro. Deste diálogo e colaboração surgirão sem dúvida bons frutos.
Ao mesmo tempo, dirijo uma palavra de agradecimento aos Provinciais, aos Delegados provinciais para a OCDS e aos Assistentes das Comunidades: vosso ministério é importante enquanto ajuda, ao reconhecer a dignidade dos leigos da Ordem, chamados a viver a mesma vocação à santidade segundo o carisma do Carmelo Teresiano em meio ao mundo.  

Que a Virgem do Carmo e São José seu Esposo intercedam por cada um de vós, por vossas famílias e pelas Comunidades. O Senhor vos abençoe em vossa missão neste Ano Santo da Misericórdia, para que sejais sinais da Presença do Reino.

Fraternalmente

Frei Saverio Cannistrà, OCD.

Prepósito Geral

28 de março de 2016: Parabéns a nossa mãe, Santa Teresa de Jesus! Mil vivas a "la Santa"!




Dom Alonso Sánchez de Cepeda assim escreveu em seu diário, ao narrar orgulhoso o nascimento de sua querida filha, para ele Teresa de Ahumada e Cepeda; para a Igreja e o mundo, Teresa de Jesus: "Aos vinte e oito dias do mês de março do ano de mil quinhentos e quinze, uma quarta-feira, nasceu Teresa, minha filha, às cinco horas da manhã, meia hora mais, meia hora menos, aos primeiros alvores do dia. O ângelus da aurora começou a soar na Igreja de São Domingos. Depois, repicaram todos os sinos de Ávila". Não conhecia ele os planos divinos que a tornariam a grande Teresa, doutora da Igreja, conhecida mundialmente, muito venerada e amada, mesmo depois de decorridos 501 anos.
Mas, como, após cinco séculos, sua mensagem permanece atual? É como nos escreve Frei Patrício Sciadini, OCD, na abertura do livro Teresa de Ávila: é tempo de caminhar utilizando-se de sua maneira espirituosa de escrever: "Santa Teresa é como aquele vinho bom, de qualidade, que com o passar do tempo fica com sabor mais refinado, a fragrância e a espessura melhores”. "Mandou bem”, Abuna Batrick (como é chamado no Egito)! Então, um brinde a nossa querida mãe do Carmelo Descalço! Com sua personalidade magnética, conseguiu um feito extraordinário: após 501 anos de existência, continuar sendo amada por todos e, em pleno 2016, inflamar as almas com sua doutrina!  
Pedimos, Santa Madre, que continue amando e protegendo seus filhos carmelitas descalços, para que não se afastem dos vossos ensinamentos. Protege, nesses tempos de ódio e perseguição ao cristianismo, os carmelitas que estão enfrentando terríveis tribulações movidas pela intolerância religiosa e não aceitação da Fé. Quantos não devem sofrer privações e constantes sobressaltos. Que nunca duvidem do Amor e misericórdia divinos.
E, para nós carmelitas descalços seculares da Província São José, que sempre após as “noites escuras” reencontremos no nosso “castelo interior” a beleza de Deus, que é mistério, porém, que se deixa atingir pelo homem e mulher orantes.


Danielle Meirelles Cabral Mendes, OCDS.
Presidente da Comunidade Flor do Carmelo de Santa Teresinha e
Membro da Comissão Jovem da Província São José

segunda-feira, 21 de março de 2016

Comunidades da OCDS - Província São José partilham suas atividades nas redes sociais

Frei Geraldo Afonso, ocd, preside as cerimônias de Admissão e Promessas na Comunidade Sta Teresinha, em Sete Lagoas-MG, com a presença do Presidente Provincial Luciano Dídimo

Grupo São José, de Sete Lagoas -MG recebe curso do Estatuto da OCDS do Presidente Provincial Luciano Dídimo

Representação do Carmelo Jovem na Jornada Arquidiocesana da Juventude, na Catedral Metropolitana de Fortaleza-CE


Dia de Lazer das Comunidades Rainha do Carmelo e Flor do Carmelo de Santa Teresinha, em Fortaleza-CE

Retiro da Comunidade Santa Teresinha, de Mococa-SP, com Pe. Donato.

Novos integrantes do Grupo São José, de Petrópolis-MG

Segunda reunião do Grupo Santa Teresa, em Taguatinga-DF

Os membros da OCDS que desejarem entrar nos grupos de WhatsApp, podem enviar suas solicitações para Luciano Dídimo: (85) 88955966

Grupos de WhatsApp da OCDS da Província São José:
  • OCDS PROVÍNCIA SÃO JOSÉ
  • OCDS PROVÍNCIA SÃO JOSÉ II
  • PRESIDENTES OCDS
  • ENCARREGADOS DE FORMAÇÃO
  • CARMELO JOVEM
  • CASAIS OCDS

Visite a página da OCDS - PROVÍNCIA SÃO JOSÉ no Facebook:  https://www.facebook.com/ocdsprovsaojose/

sexta-feira, 18 de março de 2016

JOSÉ DE NAZARÉ, HOMEM DA FORÇA DA TERNURA



Resumo e tradução:   Fr . Alzinir. Março 2016

“E ao lado de Maria, na sagrada família de Nazaré, destaca-se a figura de São José. Com o seu trabalho e presença generosa, cuidou e defendeu Maria e Jesus e livrou-os da violência dos injustos, levando-os para o Egito. No Evangelho, aparece descrito como um homem justo, trabalhador, forte; mas, da sua figura, emana também uma grande ternura, própria não de quem é fraco mas de quem é verdadeiramente forte, atento à realidade para amar e servir humildemente. Por isso, foi declarado protetor da Igreja universal. Também Ele nos pode ensinar a cuidar, pode motivar-nos a trabalhar com generosidade e ternura para proteger este mundo que Deus nos confiou”. (Francisco, Laudato sii, 242)
Chamou-me atenção a expressão do papa Francisco na Laudato sii que recorda S. José como o que nos ensina o cuidado para com mundo criado que Deus nos confiou, vivido com a ternura, virtude dos fortes. Li estes dias uma outra reflexão bonita sobre s. José, juntamente com uma oração que poderia ter sido de José e que já apareceu há alguns dias neste Blog. Desta reflexão faço uma síntese, partilhando com vocês, nesta festa de S. José. Ao lado de Maria ele interceda pelo nosso país, assim necessitado de paz e de justiça.
José é um homem de fé que percorre a estrada da vida em subida... e  percorre-a atento aos planos de Deus e aos outros que lhe foram confiados. Assim no-lo apresentam os Evangelhos da infância de Jesus em Mateus e em Lucas. Conduz Maria e o Menino Jesus ao Egito e  mais tarde de volta a Nazaré, a Jerusalém.
Em Mt ele é apresentado como um homem justo (Mt 1,19). Trata-se daquela justiça que pediu Jesus a seus discípulos: a justiça do Reino procurado em primeiro lugar; justiça que deve superar a dos escribas e fariseus para poder entrar no Reino dos céus (Mt 5,20). Por isso a justiça de José vai além das normas externas, colhe o espírito delas para aderir aos planos de Deus com liberdade, sem medos. É a justiça da pessoa livre, disposta  apagar o preço da fidelidade a si mesmo, a Deus aos outros, aos seus afetos. É a justiça que vem da fé (Rm 4,13).
Por outro lado, José é um homem de ação, concreto, que age eficazmente. Antes de tudo aceita a fadiga de subir a Jerusalém com Maria, grávida e prestes a Dara à luz, a fim de cumprir com a normativa do recenseamento. Um subir que comporta o cansaço físico, a incerteza do que virá com este gesto inútil imposto pelos poderosos deste mundo. Mas é uma fadiga também pela responsabilidade para com Maria e o Menino; fadiga gerada pela insegurança dos caminhos tortuosos e íngremes; fadiga pelo tempo e o trabalho perdidos, os quais José leva às ultimas consequências, sem resignação, mas com concretude de ação.
José um homem de ação porque também revela prontidão e prudência ao executar as ordens recebidas por meio do anjo: levanta-te, toma a Mãe e o Menino, parte... retorna;  com poucos gestos se põe a caminho ou mesmo espera com paciência no exílio que os tempos melhorem para retornar à pátria. Age com prudência e discernimento quando volta a Israel pois sabe que na Judeia reina Arquelau, irmão de Herodes; advertido em sonho retira-se para a Galileia. É a sua capacidade de discernimento sábio e prudente diante da realidade. Tudo pelo bem dos seres que lhe foram confiados.  Enfim José é homem de ação, mesmo em Nazaré, nas circunstâncias corriqueiras da vida em família. Aqui possibilita a Maria e a Jesus uma vida simples, normal, de crescer, estudar, aprender uma profissão, a de carpinteiro. Vive o trabalho na companhia de Maria e de Jesus.
Mas José é um homem contemplativo. Os evangelhos nos permitem entrever sua atitude de silêncio; ele não diz uma palavra. Seu calar é colocar-se confiadamente nas mãos de Deus e esperar Nele. É incapaz de dizer palavras ofensivas a quem quer que seja, mesmo quando lhe batem a porta na cara nas pousadas de Belém. José nos ensina um silêncio paciente;  podemos supor que ele, diante de tudo abençoe àqueles que o ofendem ... O seu silêncio é um silêncio adorante do Mistério escondido por séculos, mas que ele vê presente em Jesus e custodia no silêncio do coração.
Outro traço da contemplação de José é sua capacidade de sonhar. O sonho, a poesia faz parte da vida dos místicos. E sabemos que o sonho aflora quando dormimos;  na bíblia revela ser uma forma de comunicação com Deus. Deus fala a José em sonhos, como ao patriarca Jacó;  José escuta, está aberto ao divino e faz o que ele lhe pede; confia Naquele que conduz a história e pode tudo. Mas ainda temos uma outra característica do ser contemplativo de José: ele demonstra uma tranquilidade e serenidade fora do comum diante de tudo o que vive. Em seu lugar, quantas noites passaríamos sem dormir... José sabe repousar, dormir e estar atento ao que fazer. Talvez Jesus tenha aprendido dele a dormir em meio às tempestades, mesmo estando em um barco em alto mar...
José é um homem de síntese, do essencial. Ele toma consigo o Menino e sua Mãe. Aqui está toda experiência espiritual de um cristão: tomar Maria e Jesus como companhia. Viajar com eles, caminhar com eles, trabalhar para eles; confiar neles e com eles em Deus o Pai bondoso que é fiel e em tudo é presente.
Mas para José, o que conta é estar com Jesus, mesmo quando sua presença se torna incômoda e nos faz empreender viagens imprevistas, mudanças de vida imprevisíveis. A doçura da Mãe ao seu lado torna  a vida menos amarga, doa ternura, conforto, consolação, paz. A vida assim vivida sintetiza toda experiência cristã, até mesmo os momentos finais do caminho. Não por acaso José é na tradição da igreja patrono dos moribundos: nos momentos finais de sua vida foi assistido por Jesus e Maria e partiu de seus braços aos braços misericordiosos do Pai.
S. José não disse palavra nenhuma nos Evangelhos. Mas podemos imaginar que ele rezava assim:
Chegará uma outra noite, ó meu Deus
e talvez um outro sonho ou visão.
Pedir-me-ás de ir para longe,
Ou para voltar para casa
Ou ainda, para permanecer onde estou,
Porque assim tu queres.

Levantar-me-ei cedo como sempre
E farei como dizes, Tu o sabes.
O doce peso da Mãe e do Menino
Carregarei no meu coração enamorado
E será de novo como tu queres.
Amanhã, e um outro dia ainda;
Ou mesmo um ano depois de outro...

Até a última curva de estrada.
Dir-te-ei sim,
sem palavra,
apenas com um olhar.
E cantarei feliz, sem voz
Com o coração que explode de alegria”.

(P. Davide Caldirola, Tempo di partire; itinerário spirituale col Vangelo di Matteo. Ancora. Milano 2016. ­).



quinta-feira, 17 de março de 2016

Oração Ano Santo da Misericórdia 2016

No último domingo, dia 13/03/2016 as comunidades da OCDS de Fortaleza se reuniram para assistir a celebração eucarística na Catedral, passar na porta santa, e fazer as devidas orações para o recebimento da Indulgência pelo Ano Jubilar da Misericórdia. Nosso irmão Giovani  Carvalho preparou uma bela oração para esse momento tão especial, que compartilho com toda a OCDS para que, querendo, possam também passar pela porta santa em suas cidades como comunidade carmelita.
Luciano Dídimo

ANO SANTO DA MISERICÓRDIA – 2016
PEREGRINAÇÃO DA OCDS DE FORTALEZA À SÉ CATEDRAL
                               (Misericordes sicut Pater!)


Oração:
Pai Eterno, rico em Misericórdia e Amor, aqui estamos em Nome de Vosso benditíssimo Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, para implorar o perdão de todos os nossos pecados e que nos concedais vossa graça, vossa benção e a Indulgência que vosso servo, o Papa Francisco, concedeu para este Ano Jubilar da Misericórdia.
Senhor, somos conscientes de nossa miséria e de nossa fraqueza. À semelhança do filho “pródigo”, fomos ingratos e pecamos, afastando-nos repetidas vezes de vossa graça. Humildemente desejamos retornar à vossa Casa, ó Pai, pois reconhecemos o quanto nos amais e que somente somos felizes quando conservamos o trato de amizade convosco.   
Já que infelizmente somos tíbios e inconstantes, precisamos continuamente de vossa Graça. Em Nome de Jesus, enviai o vosso Santo Espírito. Somente Ele poderá nos dar força, ânimo e coragem para renunciar a nós mesmos, pegar a nossa cruz e seguir vosso Filho Jesus Cristo.
Pedimos que a Bem-Aventurada Sempre Virgem Maria, Mãe de Vosso Filho, Mãe e Rainha da Misericórdia, venha em socorro de nossa miséria e indignidade, sendo nossa Advogada e Intercessora. Ela é a Mãe dos pecadores e sempre tem piedade e compaixão de seus pobres filhos e filhas.  
Pedimos também o patrocínio e intercessão do glorioso São José, nosso pai, que tanto vos amou, serviu e imitou neste mundo e constantemente intercede por todos nós.
Como fiéis leigos carmelitas, pedimos também a intercessão de Santa Madre Teresa de Jesus e de Santo Padre João da Cruz, esses vossos gloriosos servos e filhos, que tão bem compreenderam a grandeza de vossa bondade e misericórdia, bem como a riqueza de vossa presença em cada alma.
Senhor, desejamos – à semelhança de nossos Santos e Santas do Carmelo – ser agradáveis a vossos olhos e fiéis ao vosso amor. Desejamos também ser fiéis filhos e filhas de vossa Santa Igreja, amando-a de todo coração e servindo-a com o nosso carisma carmelitano-teresiano-sanjuanista.
Obrigado, Senhor, por vossa infinita Misericórdia!
Ajudai-nos também a sermos misericordiosos para com o nosso próximo e a praticarmos as obras de misericórdia, tanto corporais, quanto espirituais.
Agora, passaremos pela Porta Santa desta Sé Catedral, conscientes de que ela é o símbolo da Porta da Misericórdia que é o vosso Coração amorosíssimo de Pai.
Perdoai-nos, ó Pai! Perdoai-nos, ó Pai! Perdoai-nos, ó Pai! Amém.

Obs.:

Atravessar em silêncio pela Porta Santa.
Ajoelhar-se e rezar: 01 Credo, 01 Pai Nosso e 01 Ave Maria.
Rezar 01 Pai Nosso e 01 Ave Maria pelas intenções pessoais do Santo Padre o Papa Francisco.

Fazer uma ação de graças particular agradecendo o dom da Indulgência Plenária jubilar. 

quarta-feira, 16 de março de 2016

Oração de São José




(Tradução do italiano  por  frei Pierino)

São José – como todos sabemos – em todos os Evangelhos não diz uma palavra sequer. Podemos, porém, imaginar sua oração e, com um pouco de fantasia, interpretar seu diálogo com Deus. Talvez José rezava assim:

“Chegará outra noite, ó Deus,
e talvez outro sonho, ou uma visão,
 e tu me pedirás de fugir longe,
ou de voltar para casa,
ou de permanecer ali onde estou,
porque assim te apraz.

Despertarei ao raiar da  aurora, como sempre,
e farei como me dizes, tu o sabes.
O doce peso da Mãe e do Menino
carregarei sobre meu coração enamorado,
e será novamente como tu queres,
amanhã e depois de amanhã,
e um ano atrás de outro
até à última curva da estrada.

Dir-te-ei ainda sim, sem palavras,
dir-te-ei sim com um olhar.
E cantarei feliz, sem voz,
com o coração que explode de alegria”.

(Davide Caldirola)




domingo, 13 de março de 2016

CONVITES - COMUNIDADES DE SETE LAGOAS-MG e BRASÍLIA-DF




Comunidades da OCDS partilham suas atividades deste final de semana (12 e 13/03) nas redes sociais


As Comunidades da OCDS da Província São José partilharam nas redes sociais suas atividades neste final de semana (12 e 13/03/2016).


A Comunidade Santa Teresinha, de Camaragibe-PE fez retiro com o Delegado Provincial da OCDS, frei André Severo
Na ocasião houve admissão de Mozeiner Maciel e promessas temporária de Fred Jorge


A Comunidade Santa Teresa, de Campinho, Rio de Janeiro-RJ esteve presente na celebração dos 90 anos do
Carmelo São José em Jacarepaguá, com a presença do Arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Dom Orani Tempesta

A Comunidade Santa Teresa e Santa Myriam, de Franca-SP realizou seu III Encontro Carmelitano

As três comunidades de Fortaleza (São José de Santa Teresa, Rainha do Carmelo e Flor do Carmelo de Santa Teresinha
se reuniram para assistir à celebração eucarística na Catedral, passar pela porta santa e fazer as orações para o
recebimento das indulgências pelo Ano Jubilar da Misericórdia

A Comunidade Nossa Senhora do Carmo e Santa Teresa de Jesus, de Higienópolis realizou suas eleições para o
 novo conselho da Comunidade com a presença do frei Fabiano Alcides, sendo eleitos:
Joacil Berto Vieira (Presidente); Haide, Marisa e Christianne (conselheiras); Francisco Renaldo Costa (formador);
Vera Aparecida (secretária); e Haide (tesoureira)

Comunidade Alegria da Sagrada Face, de Itapetininga-SP, faz retiro espiritual com Frei Wilson Gomes, ocd,
e Admissão à Comunidade de 04 jovens: Alessandra, Bruna, Tais e Vanessa. 

Reunião da Comunidade São João da Cruz, de Belo Horizonte-MG
Paulo e Ana Scarabelli, da Comunidade de Caratinga, e Micheline, da Comunidade de Divinópolis,
visitam Rosália em Itaúna-MG

Reunião de Grupo São José, de Sete Lagoas-MG

Os membros da OCDS que desejarem entrar nos grupos de WhatsApp, podem enviar suas solicitações para Luciano Dídimo: (85) 88955966

Grupos de WhatsApp da OCDS da Província São José:
  • OCDS PROVÍNCIA SÃO JOSÉ
  • OCDS PROVÍNCIA SÃO JOSÉ II
  • PRESIDENTES OCDS
  • ENCARREGADOS DE FORMAÇÃO
  • CARMELO JOVEM
  • CASAIS OCDS

Visite a página da OCDS - PROVÍNCIA SÃO JOSÉ no Facebook:  https://www.facebook.com/ocdsprovsaojose/

sábado, 12 de março de 2016

Retiro de Espiritualidade Carmelitana


RETIRO DE ESPIRITUALIDADE CARMELITANA – OCDS

Data: 20 a 22 de maio de 2016

Oração Teresiana: A Misericórdia de Deus.

LEMA: Com a Igreja e com Teresa, cantemos as misericórdias do Senhor!...

Queridos irmãos e irmãs em Cristo, a Santa Madre Teresa, canta as Misericórdias do Senhor com a própria vida e nos exorta a caminharmos com ela, a fixarmos os olhos em Jesus, pois, devemos “ser perfeitos como Vosso Pai celeste é perfeito” ( Mt 5,48). Junto à Igreja, contemplemos a misericórdia divina que ultrapassa qualquer limite humano – diz o Papa Francisco. É o tempo favorável!

E a Santa Madre, caminha unida à Igreja, com alegria, perseverança e sabedoria... é aquela que cuida do Senhor e nos ensina o mesmo com sua poesia, escritos preciosos, e, com seu amor incondicional.

Venha orar conosco, conhecer o pensamento teresiano, conhecer o querer estar perto de Quem sabemos que nos ama, comungando o silêncio do deserto interior.

Bendito(a) seja você que transforma o mundo com a própria vida, especialmente hoje: sendo misericordioso, e assim fazendo misericordiosos!

Bendito(a) seja!

                                                                                       Comissão de Intercessão da OCDS


Valor: R$250,00
Depósito em conta bancária em nome da:
Associação das Comunidades da Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares no 
Brasil da Província São José - CNPJ: 08.242.445/0001-90
Conta bancária: Banco Itaú S A - Agência: 0156  Conta corrente: 06234-1 

Enviar comprovante de depósito para: LIZ LELIS ROCHA – lizlelis@hotmail.com 
Telefones de contato:  fixo 31 – 33093269 (à noite) e celular 31 - 91376874

No pagamento está incluído: hospedagem com roupa de banho e cama, e alimentação completa.

Obs: Fazer a gentileza de efetuar o pagamento e enviar comprovante de depósito para Liz Lelis Rocha até a data de 10/05/2016.

sexta-feira, 11 de março de 2016

SANTA ELISABETE DA TRINDADE E BEATO FREI MARIA EUGÊNIO DO MENINO JESUS

Praça São Pedro durante canonizações - L'Osservatore Romano

Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Francisco recebeu em audiência na tarde desta quinta-feira(03/03), no Vaticano, o Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato, ao qual autorizou a promulgação dos decretos relativos Canonização  de mais uma  Santa  Carmelita Descalça e um Beato Carmelita Descalço!  

A nova Santa é:

A grande mística francesa Isabel da Trindade, carmelita descalça, também será proclamada santa. Ela faleceu aos 26 anos no Carmelo de Dijon com a doença de Addison, uma rara enfermidade endocrinológica. Ofereceu todo o seu sofrimento para a salvação das almas, em união com Jesus Crucificado. Viveu a noite escura dos místicos, experimentando o abandono total da parte de Deus. Foi também tentada pelo suicídio. Venceu toda tentação: “Nunca perca a coragem. É mais difícil se libertar do desencorajamento que do pecado. Não se inquiete se não se constatar progressos no estado da própria alma. Muitas vezes Deus permite isso para evitar um sentimento de orgulho. Ele sabe ver os nossos progressos e contar todo nosso esforço”, escreveu a futura santa.

Foi beatificada pelo papa João Paulo II,  no dia 25 de novembro de 1984, festa de Cristo Rei. Sua festa é celebrada no dia 8 de novembro.

Irmã Elisabeth é uma alma que se transformou dia a dia no mistério trinitário.

Enamorada por Jesus Cristo, que é “seu livro preferido”, eleva-se à Trindade, até que “Isabel desaparece, perde-se e se deixa invadir pelos Três”.

“A Trindade: aquí está nossa morada, nosso lugar, a casa paterna de onde jamais devemos sair... Encontrei meu céu na terra, posto que o céu é Deus e Deus está em minha alma. No dia em que compreendi isto, tudo se iluminou para mim".

“Crer que um ser que se chama Amor habita em nós a todo instante do dia e da noite, e nos pede que vivamos em sociedade com Ele, eis aquí, garanto-vos, o que tem feito de minha vida um céu antecipado”.

Amou intensamente sua vocação carmelita e também amou e imitou a “Janua Coeli”, como chamava Nossa Senhora.

Andou a passos largos no caminho da perfeição. Faleceu no dia 9 de novembro de 1906 vítima de úlcera estomacal, murmurando, quase cantando: “Vou à luz, ao amor, à vida”.  




O novo Beato Carmelita Descaço é:


- o carmelita descalço francês Frei Maria-Eugênio do Menino Jesus (1894-1967), fundador do Instituto Secular de Nossa Senhora da Vida, e a religiosa argentina Maria Antônia de São José (1730-1799), fundadora do Beatério dos Exercícios Espirituais de Buenos Aires.  Autor do livor “Quero ver a Deus”.

Dedicou-se plenamente à difusão do espírito e da doutrina do Carmelo, desejando que estes fossem vividos na vida cotidiana, numa harmoniosa união de ação e contemplação.
A transmissão do ensinamento dos mestres do Carmelo – Santa Teresa d’Ávila, São João da Cruz e Santa Teresinha – foi iluminada pela sua própria experiência de contemplativo e apóstolo, e culminou na redação do livro Quero ver a Deus.

Em 1932, com a colaboração de Marie Pila, fundou o Instituto Nossa Senhora da Vida na cidade de Venasque, França, junto a um antigo santuário mariano, do mesmo nome. Este intituto secular, de leigos(as) consagrados e sacerdotes, coloca em prática o ideal do Frei Maria-Eugênio de uma vida onde a ação e a contemplação são bem unidas, de tal modo que a contemplação estimula a ação e a ação estimula a contemplação, para assim dar testemunho do Deus vivo ao mundo.

Como sacerdote e diretor espiritual, ele conduziu incansavelmente no caminho da confiança e do amor, certo de que a misericórdia divina se derrama sempre e abundantemente!

Toda a vida do Frei Maria-Eugênio foi marcada por uma poderosa influência do Espírito Santo e da Virgem Maria. Respondendo à fidelidade do seu amor, a Virgem Maria veio buscá-lo no dia 27 de março de 1967, numa segunda-feira de Páscoa, dia em que ele fazia questão de celebrar a alegria pascal de Maria, Mãe da Vida.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...