sábado, 31 de março de 2012

Seguindo os passos de oração com Sta. Teresa


 Introdução






 Introdução


Respondendo ao convite lançado pelo I Definidor da nossa Ordem, diria que os alicerces edificados pela santa madre Teresa, estão prontos para edificarmos as moradas as quais ela quis fazermos habitar.
Para mim, o livro das Fundações é o II livro da Vida é um convite para mim, para que também eu cante as misericórdias e a providência que Deus operou em Teresa e no princípio da reforma. Graças as Fundações sabemos como o Espírito Santo foi actuando em Teresa; e graças as Fundações Temos em primeira mão o testemunho ocular (Teresa) daquilo que foi, a difícil tarefa da reforma da Ordem, e sobre tudo o convento de Duruelo que eu pessoalmente muito estimo e claro, como em todas as suas obras, deixa-nos transparecer sempre a sua determinada determinação, apoiada sempre sobre as alavancas da obediência, da fraternidade, da gratuidade e do amor de umas para com aos outras. É como que o livro dos actos dos apóstolos, mas, na versão de Teresa.

Se para Teresa a vida religiosa é uma opção profunda de fé configurada com Cristo na cruz (F 28, 43), então exige de mim uma entrega sem reservas, buscando sempre a perfeição cristã dando provas do amor de Deus como ela mesma diz em (F 5, 15). Por isso, sinto-me omprometido com as missões, a recomeçar com Teresa aquelas aventuras de Medina del Campo (F 3); Malagón (F 9); Valladolid (F 10); Duruelo (F 13-14); Toledo (F 15); Prestrana (F17); Salamanca (F 18); Alba de Tormes (F 20); Segovia (F21); Beas (F 22); Sevilha (F 23); Villanueva de la Jara (F 28); Palencia (F29) e de Soria (F 30). Ela ensina-me com as Fundações, a percorrer caminhos cujo fim é a liberdade em Deus!



Parece-me que a missão da Igreja e portanto do Carmelo é de sair ao encontro das necessidades e angústias espirituais dos homens deste tempo e deste contexto cultural. Assim sendo, julgo que santa Teresa hoje e mais do que nunca dá resposta a essas necessidades ao pedir-nos que fixe-mos os olhos em Cristo. De facto, Cristo é caminho seguro! Se ontem Teresa percorreu com meios rudimentares aqueles lugares, com muito maior razão poço hoje percorre uma distância ainda maior e alcançar um número de povos sem fim. Mas desta vez seria por Angola. De Norte a Sul, do mar ao Leste. Sem temer dificuldades, sem esperar comodidades, tenho fé que o mesmo espírito que animou Santa Teresa é o mesmo que me anima a mim também. Então não há razão para temer. Antes pelo contrário. Em comunhão com este mesmo espírito, quero convosco dar graças a Deus, pela minha consagração nesta família fundada por Santa Teresa; pelo ministério que me foi confiado; por Deus me ter escolhido no número dos seus ministros. Continuai a rezar comigo a Deus, por Teresa.


Seguindo os passos de oração com Sta. Teresa I


Quando Santa Teresa entrou para o convento da Incarnação de Ávila (1536), pouco tempo depois, isto é, após dezoito meses no convento, sobreveio-lhe uma grave crise de padecimentos físicos que a obrigaram a voltar para casa do pai. Regressou ao convento em 1538, e durante dezassete anos levou a vida exemplar duma freira de observância mitigada, guardando a sua Regra, frequentando o locutório, onde era frequentemente procurada por causa da sua graça e humorismo.
A oração de Teresa durante mais de dezanove anos como freira foi árida e penosa, e apesar de todas as suas amizades ou talvez, com maior pro¬priedade, por causa delas, a sua vida afigurava-se-lhe vã e sem uma finalidade. Tinha quarenta anos, a idade em que normalmente os melhores anos da mulher já passaram, quando começou a viver a vida para que Deus a criara.

Poucos meses depois de ler a história emocionante da conversão de Santo Agostinho, nas suas «Confissões», que a impressionaram vivamente, sentiu-se impelida a orar diante de Cristo, preso à coluna (). Fora um destes momen¬tos da graça em que o Criador se compraz em agir instan¬taneamente na vontade da criatura e traçar à sua vida novo rumo. Quando Teresa saiu do oratório, um só caminho lhe faltava percorrer: o «Caminho da Per¬feição», que é o caminho do amor e da renúncia.

O Amor apoderou-se dela e nada mais ansiava agora que submergir-se neste amor e aproximar-se cada vez mais do Amante divino. Assim começa também o amor humano: um olhar, uma palavra, e o fogo logo se ateia e o amante quer estar só com a amada. Mas uma vez que o matrimónio foi consumado, os amantes não querem ficar sós por muito tempo, pois todo o amor tem por fim ser frutífero. Passada a lua-de-mel, uma árdua tarefa surge: a família aumenta e os primeiros arroubos esquecem-se. Contudo, o amor lança suas raízes cada vez mais profundas na alma e, purificada pelas dores e provações sofridas em comum, faz com que a união se robusteça e se revele por vezes até na assimilação dos traços físicos do marido e da esposa. O mesmo se passa com o amor divino; normalmente desenvolve-se pouco a pouso, crescendo em intensidade e firmeza, e no que respeita a estes estados sucessivos e conducentes à vida mística, Santa Teresa não teve ainda quem a ultrapassasse na lúcida descrição deles. Cava os alicerces muito fundos, construindo o alto edifício do Castelo Interior na rocha da humildade e do desprendimento das criaturas, um desprendimento que «não se adquire removendo o corpo, mas pela resolução da alma de abraçar o bom Jesus, de buscar tudo n'Ele e de esquecer tudo o mais».

A verdadeira humildade é o requisito da contem¬plação, que, por sua vez, aumenta na medida do progresso na mesma contemplação.

Entretanto, a mesma humildade é uma virtude que pode correr o risco de ser fingida e falsa. No tempo de Teresa, a oração contemplativa era tida em suspeita, afigurando-se um favor extraordinário, que era não só perigoso receber e muito mais desejar. A humildade exigia (assim se pensava) que um tal dom devia ser rejeitado. A própria Santa sofreu gravemente da parte de directores que, reputando-a uma doente da imaginação, ordenaram-lhe que renunciasse à sua maneira de fazer oração e de se manter distante do Senhor, que não deseja senão ser amado das Suas criaturas.

Foi assim que o Senhor a ensinou a tratar com Ele, desde que a visão do mesmo Senhor, preso à coluna, açoutado e vertendo sangue, lhe inflamou a alma de amor. Esta a razão também por que passa, rapidamente, pelas primeiras três «moradas» do Castelo Interior, entretida com a meditação e a oração de quietude e, como que impaciente por chegar ao primeiro estado da vida mística, por ser ele a vida de amor puro.


 Seguindo os passos de oração com Sta. Teresa II


Antes de Santa Teresa descrever a ascensão da alma até Deus, nenhum escritor espiritual se ocupara propo¬sitadamente dos estados intermediários da via mística, a que chama a oração de quietude e a oração unitiva. Entre a oração (meditação) praticada pela maioria das pessoas devotas e os êxtases dos santos, havia uma região a que ninguém se dera ainda ao incómodo de investigar.
Mas, na ordem normal da vida interior, apesar de haver, claro está, excepções, a alma é erguida ao estado extático, somente após um período prolongado nos graus inferiores da contemplação.

Mal Santa Teresa se consagrou totalmente a uma vida de perfeição, Deus concedeu-lhe, de novo, a oração de quietude e de união unitiva, que lhe haviam sido conferidas no primeiro período de fervor e, seguida¬mente, retiradas durante dezoito anos de penosa aridez e de distracções.

Recordemos a célebre transverberação do seu coração com um dardo incandescente, cravado por um serafim; os transportes violentos e frequentes levitações e, como remate deste estado extático, o famoso êxtase de Sala¬manca, depois do qual volveu a si com as palavras tão frequentemente citadas: «Morro porque não morro».

Tudo isto é muito difícil de compreender se não tivermos constantemente presente que todos os fenó¬menos exteriores dos estados místicos mais sublimes são pura e simplesmente acidentais, que a única e grande realidade consiste em os místicos viverem pelos dons do Espírito Santo e, designadamente, pelo dom da Sapiência.

E isto torna-se ainda mais patente no último estado da vida contemplativa, quando os fenómenos físicos cessam quase por completo, em virtude de o corpo se ter habituado às visitas divinas. A alma entra agora na estabilidade do Casamento Místico, a estado máximo que pode ser atingido aqui na terra, antes de a cari¬dade, substância da contemplação, ser consumada na visão beatífica.

A nota dominante deste estado, a «Sétima Morada», é a paz, uma paz que nem a dor nem as vicissitudes são capazes de perturbar. A alma «não sente observa a Mística nem aridez, nem qualquer perturbação inte¬rior, como nas moradas anteriores, mas um recolhimento constante e suave de Nosso Senhor, porque, aqui, Ele e a alma gozam-se mutuamente, em profundo silêncio».

Eis o estado da alma quando o maior dos mistérios cristãos, a vida divina da Santíssima Trindade, lhe é revelada de modo especialíssimo.

Os efeitos da união transformante são ainda mais maravilhosos do que os das outras Moradas, pelo facto de produzirem «um esquecimento tão completo de nós mesmos, que a alma parece realmente não existir e só deseja ser tida na conta de nada». Ao mesmo tempo, a sua sede de sofrimento aumenta, embora seja menos violenta, e «sente grande alegria interior quando perseguida».

Os dons do Espírito Santo completaram a sua obra; a árvore podada e inoculada pelo divino jardineiro pro¬duz frutos cem por cento.


fonte de pesquisa >: 








quarta-feira, 28 de março de 2012

CELEBREMOS O NASCIMENTO DE SANTA TERESA


NOSSA SANTA MADRE  TERESA DE JESUS ,NASCEU EM 28 DE MARÇO DE 1515. 
HOJE COMEMORAMOS  497 ANOS DE SEU NASCIMENTO  EM  ÁVILA, NA ESPANHA.


TODO CARMELO ESTÁ SE  PREPARANDO PARA FESTEJAR EM 2015,QUINHENTOS ANOS DE SEU NASCIMENTO.SERÁ UMA GRANDE FESTA!!!!



AGRADECEMOS A DEUS POR TER DADO PARA IGREJA E PARA O CARMELO ESTE PRESENTE DE SUA VIDA !!!!
PARA CADA UM DE NÓS CARMELITAS É UMA GRAÇA TÊ-LA COMO MÃE E MESTRA!!!!

MAIS NOS APROXIMAMOS DE SEUS ESCRITOS MAS NOS APAIXONAMOS PELO SENHOR  QUE ELA NOS ENSINA A AMAR E A  SEGUIR SEUS ENSINAMENTOS.


SUA ALEGRIA TRANSMITE ATÉ HOJE PARA NÓS A PRESENÇA DO DEUS VIVO !!!


QUE ELA NOS AJUDE A IMITÁ-LA NESTE AMOR A DEUS , A IGREJA E AO CARMELO!!!
SANTA TERESA DE JESUS ,INTERCEDA POR NÓS!!!


UM FELIZ DIA PARA VOCÊ MEU IRMÃO E IRMÃ!!!


MARIA EDUARDA 

DO OFICIO DAS LEITURAS, DE HOJE



Segunda leitura
Do Tratado sobre o Evangelho de São João, de Santo Agostinho, bispo
(Tract. 84,1-2:CCL36,536-538)
(Séc.V)
A plenitude do amor 
Irmãos caríssimos, o Senhor definiu a plenitude do amor com que devemos amar-nos uns aos outros, quando disse:Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos (Jo 15,13). Daqui se conclui o que o mesmo evangelista João diz em sua epístola: Jesus deu a sua vida por nós. Portanto, também nós devemos dar a vida pelos irmãos (1Jo 3,16), amando-nos verdadeiramente uns aos outros, como ele nos amou até dar a sua vida por nós.

É certamente a mesma coisa que se lê nos Provérbios de Salomão: Quando te sentares à mesa de um poderoso, olha com atenção o que te é oferecido; e estende a tua mão, sabendo que também deves preparar coisas semelhantes(cf. Pr 23,1-2 Vulg.).
Ora, a mesa do poderoso é a mesa em que se recebe o corpo e o sangue daquele que deu a sua vida por nós. Sentar-se à mesa significa aproximar-se com humildade. Olhar com atenção o que é oferecido, é tomar consciência da grandeza desta graça. E estender a mão sabendo que também se devem preparar coisas semelhantes, significa o que já disse antes: assim como Cristo deu a sua vida por nós, também devemos dar a nossa vida pelos irmãos. É o que diz o apóstolo Pedro: Cristo sofreu por nós, deixando-nos um exemplo, a fim de que sigamos os seus passos (cf. 1Pd 2,21). Isto significa preparar coisas semelhantes. Foi o que fizeram, com ardente amor, os santos mártires. Se não quisermos celebrar inutilmente as suas memórias e nos sentarmos sem proveito à mesa do Senhor, no banquete onde eles se saciaram, é preciso que, como eles, preparemos coisas semelhantes.
Por isso, quando nos aproximamos da mesa do Senhor, não recordamos os mártires do mesmo modo como aos outros que dormem o sono da paz, ou seja, não rezamos por eles, mas antes pedimos para que rezem por nós, a fim de seguirmos os seus passos. Pois já alcançaram a plenitude daquele amor acima do qual não pode haver outro maior, conforme disse o Senhor. Eles apresentaram a seus irmãos o mesmo que por sua vez receberam da mesa do Senhor.
Não queremos dizer com isso que possamos nos igualar a Cristo Senhor, mesmo que, por sua causa, soframos o martírio até o derramamento de sangue. Ele teve o poder de dar a sua vida e depois retomá-la; nós, pelo contrário, não vivemos quanto queremos, e morremos mesmo contra a nossa vontade. Ele, morrendo, matou em si a morte; nós, por sua morte, somos libertados da morte. A sua carne não sofreu a corrupção; a nossa, só depois de passar pelacorrupção, será por ele revestida de incorruptibilidade, no fim do mundo. Ele não precisou de nós para nos salvar; entretanto, sem ele nós não podemos fazer nada. Ele se apresentou a nós como a videira para os ramos; nós não podemos ter a vida se nos separarmos dele.
Finalmente, ainda que os irmãos morram pelos irmãos, nenhum mártir derramou o seu sangue pela remissão dos pecados de seus irmãos, como ele fez por nós. Isto, porém, não para que o imitássemos, mas como um motivo para agradecermos. Portanto, na medida em que os mártires derramaram seu sangue pelos irmãos, prepararam o mesmo que tinham recebido da mesa do Senhor. Amemo-nos também a nós uns aos outros, como Cristo nos amou e se entregou por nós.

segunda-feira, 26 de março de 2012

ANUNCIAÇÃO DO SENHOR


NESTE DIA ,A  IGREJA  SOLENEMENTE FESTEJA O ANÚNCIO DA ENCARNAÇÃO DO FILHO DE DEUS.
O TEMA CENTRAL DESTA GRANDE FESTA É O VERBO DIVINO QUE ASSUME NOSSA NATUREZA HUMANA ,SUJEITANDO-SE AO TEMPO E ESPAÇO.


HOJE É O DIA EM QUE A ETERNIDADE ENTRA NO TEMPO OU, COMO AFIRMOU O PAPA SÃO LEÃO MAGNO :"A HUMILDADE FOI ASSUMIDA PELA MAJESTADE ;A FRAQUEZA PELA FORÇA;A MORTALIDADE PELA IMORTALIDADE"
SENDO ASSIM HOJE É DIA DE PROCLAMARMOS :

"E O VERBO SE FEZ CARNE E HABITOU ENTRE NÓS"(JO 1,14-A)


A VIRGEM MARIA É A FLOR QUE NASCEU DA RAIZ DE JESSÉ,VEIO A SER MÃE DE DEUS PELO ESPÍRITO SANTO
INTERCEDA POR NÓS A SANTA MÃE DE DEUS!!!!

COM CARINHO 

FELIZ DIA!!!

MARIA EDUARDA



domingo, 25 de março de 2012

Homens e Mulheres de Fé

Da Clausura ao mundo

Reflexões sobre Madre Tereza do Coração de Maria

Por Irmã Maria Elisabeth da Trindade

BRASILIA, sábado, 24 de Março de 2012 (ZENIT.org) -

Dada a abertura do Processo de Canonização de Madre Tereza do Coração de Jesus, "Nossa Mãe", do Carmelo de Três Pontas, Minas Gerais, a Irmã Maria Elisabeth da Trindade enviou para ZENIT algumas reflexões para que os nossos leitores conheçam cada vez mais a espiritualidade dessa nossa candidata aos altares da Igreja no Brasil.
***
Nossa Mãe, Madre Tereza do Coração de Maria, Carmelita Descalça, viveu sua vida contemplativa numa intensa comunhão com Jesus.
O mais belo de sua espiritualidade é que mesmo estando na clausura, vivendo intensamente a vida regular de um Mosteiro, Nossa Mãe conseguiu atingir tantas pessoas, conseguiu fazer o bem e levar tantas almas para Deus, sem sair do Carmelo.
Sua vida foi fecunda. Seu amor era tão intenso e verdadeiro que não se restringiu a quatro paredes, mas extrapolou os muros, expandindo-se cada vez mais.
Seu jeito simples e alegre atraia pessoas de todas as idades. Ela irradiava uma luz, uma bondade e ternura, cuja fonte era o próprio Deus que nela habitava.
Muitas pessoas a procuravam para pedir conselhos, orações, uma palavra de conforto, de consolo, e eram sempre acolhidas com carinho e paciência. Segurava forte na mão da pessoa e dizia que ia rezar e que confiasse em Deus, que é só misericórdia e amor.
Queria e pedia a Jesus, que aqueles que se aproximassem do Carmelo sentissem o quanto o jugo do Senhor é suave e seu fardo leve. Queria que as pessoas encontrassem no Carmelo a paz e o repouso para suas almas. E, graças a Deus, isso sempre aconteceu e acontece.
Sentia compaixão dos pobres, doentes e aflitos que vinham bater à porta do Carmelo, sentia com a família das Irmãs, sentia o sofrimento do mundo, e dizia: “O pecado do mundo é muito grande. O sofrimento de uma carmelita não pode ser em vão.”
Nossa Mãe não vivia para si mesma. Vivia para o próximo, para o irmão, não importava como ele se apresentava: “Tirai-me de mim mesma e lançai-me em Vós. Que Jesus viva em mim e que eu morra Nele”.
Era uma oração viva. Tudo nela resplandecia sua união com Jesus: “Nosso coração é feito para amar. E nosso amor se transforma em oração”.
“Entra-se no Carmelo para subir até Deus”. Ela subiu, subiu tão alto, que agora está junto de Deus intercedendo por seus filhos queridos que tanto ela amou nessa terra.
*
O horário para visitação à Capelinha de Nossa Mãe: todos os dias a partir das 6h:30min até às 17h. Graças alcançadas por intercessão de Nossa Mãe devem ser comunicadas ao Carmelo São José (Rua Amazonas, 40. Bairro Santa Inês. CEP: 37.190-000 Três Pontas/MG – E-mail: carmelo3pontas@tpnet.psi.br ).

sábado, 24 de março de 2012

V DOMINGO DA QUARESMA

"Senhor nosso Deus ,dai-nos por vossa graça caminhar com alegria na mesma caridade que levou o vosso Filho a entregar-se à morte no seu amor pelo mundo"


JESUS É O GRÃO DE TRIGO QUE MORREU PARA GARANTIR-NOS A VIDA EM PLENITUDE.

"CRIA EM MIM UM CORAÇÃO QUE SEJA PURO
DAI-ME DE NOVO UM ESPÍRITO DECIDIDO
Ó SENHOR NÃO ME AFASTEI DE VOSSA FACE
NEM RETIREIS DE MIM O VOSSO SANTO ESPÍRITO!
TENDE PIEDADE ,Ó MEU DEUS 
NA IMENSIDADE DE VOSSO AMOR,PURIFICAI-ME
LAVAI-ME TODO INTEIRO DO PECADO 
E APAGAI COMPLETAMENTE A MINHA CULPA"


AO NOS APROXIMARMOS DA PÁSCOA ,RENOVEMOS NOSSAS PROMESSAS DE OBEDIÊNCIA ,POBREZA E CASTIDADE.
OLHANDO PARA JESUS QUE EMBORA FOSSE O PRÓPRIO FILHO,APRENDEU A OBEDIÊNCIA ATRAVÉS DO SOFRIMENTO,SIGAMOS SEUS PASSOS POIS ELE É NOSSO ESCUDO PROTETOR.
"PARA MIM ,Ó MEU DEUS ,FOSTES SEMPRE UM SOCORRO"
UM BOM DOMINGO 

MEUS ABRAÇOS FRATERNOS

MARIA EDUARDA



segunda-feira, 19 de março de 2012

Sagração Episcopal e Posse de Dom Frei Rubens Sevilha-OCD



                      Pertransivit benefaciendo
             
       “Ele passou fazendo o bem” (At.10,38)


 A ordem dos Carmelitas Descalços, oferece à Igreja seu filho Frei Rubens Sevilha para bispo auxiliar de Vitória-ES.
A cerimonia aconteceu neste domingo dia 18-03-12, na Catedral de Vitória, onde nós caratinguenses estivemos presente ao momento de benção e fraternidade.
Frei Rubens já morou aqui em Caratinga iniciando sua missão como como mestre de postulantes e orientador espiritual de muitos de nós. Suas pregações sempre foram de fato uma verdadeira reflexão de fé e vida.  Através de retiros e formações o tempo que aqui esteve incentivou o povo a experiência e vivencia espiritual.
Na catedral de Vitória foi sagrado bispo por D. Aluisio Mancilha e Consagrantes D. Gil Antonio, D. Tarcisio Scaramussa, numa celebração com outros bispos, padres, familiares e amigos de lugares diversos.
Sua palavra final foi de imensa gratidão à suas famílias:
À família de sangue que o apontou caminhos da fé
À família do Carmelo no qual ele fez a experiência do céu na terra
Á família Igreja-povo de Deus que dia a dia caminha com ele para dar graças a Deus.
Como seus irmãos na ordem do Carmelo e amigos na estrada de Jesus Cristo e da Virgem Mâe e Rainha do Carmelo, bendizemos ao Deus da vida por ter chamado um dos nossos.
Nosso abraço, orações ao novo Bispo Dom Frei Rubens Sevilha-OCD
Caratinga, sempre será também sua casa.

José Paulo Scarabelli e Ana Maria Eymard Pereira Scarabelli- OCDS        



 
Dom Sevilha, Ana  Maria e Jose Paulo 


 
Dom Sevilha e Frei Jorge- amigos, companheiros  e irmãos de ordem 

 
Dom Sevilha e equipe do ECC que atuou na recepção 

 
Dom Sevilha e sua família(  mãe-Sra Judite, e os irmãos Robson, Raniere e Ramiro) 


 
Dom Sevilha, Freis Pierino, Marcos Juchen e Roque Visca- amigos, irmãos , superiores de ordem 


domingo, 18 de março de 2012

DESPEDIDA- Fr. Camilo Maccise 1937-2012

Watch live streaming video from ocdmx at livestream.com

Vive numa cela onde mora o Espírito

(Jerônimo Gracián, Esposizione spirituale e mística

della Regola Carmelitiana, s.l., 1595, cap.3)

Podes morar em três celas. A primeira é o seio da Santíssima Virgem Maria no qual entram os castos e puros para adorar o Cristo no recesso do coração virginal.

A segunda é a chaga do peito de Cristo, onde se abrigam os fervorosos que fogem dos tumultos do mundo, como a rola e o pássaro procuram seus ninhos, para gozar o calor do sangue ardente.

A terceira, porém é o teu coração, no qual se encontra a gruta de Elias, o divino silêncio que ensina as trevas luminosíssimas (= escuridão luminosa) que transformam, e a coluna de fogo que ilumina o mundo, indo ao mais íntimo do coração, e manifestando os inefáveis segredos da oração.

Fica retirado e recolhido na cela em que sintas melhor, meditando dia e noite e, quando necessitas ocupar-te com outros afazeres, carrega a cela contigo, como faz o caracol.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Frei Camilo Maccise, ex Nosso Padre Geral, falece no México



 
Assim no céu como na terra

No dia de hoje, 16 de março, às 00:23 h, consumou-se o encontro do Senhor com Fr. Camilo Maccise em um abraço cheio de confiança n'Aquele que nos ama eternamente. Este Amor o transformou de tal maneira que leva impresso o sinal da missão que lhe encomendou nesta terra.
As exéquias serão celebradas no Santuário de Nossa Senhora do Carmo "La Sabatina".

Uma vez cremado o corpo do Padre Camilo, a urna com suas cinzas serão depositadas na igreja de Nossa Senhora do Carmo de Toluca. A Eucaristia será às 9:00 h.

__________________________________
O céu do Padre Camilo agora está povoado de tantos rostos entranháveis como estrelas há no firmamento. O P. Camilo nos alcançará as graças do Senhor que cada um de nós necessita.

Agradecemos a todos os que, com sua oração e presença, acompanharam as famílias Maccise e nossa comunidade da casa provincial.
No Carmelo de Teresa de Jesus e João da Cruz,

Fr. Enrique Castro, OCD
Provincial do México


Todos os Terceiros Domingos do mês, às 15:00h, na altura do Posto 3, na praia de Copacabana, um grupo de católicos rezará o Santo Terço, com a intenção de que o pecado do aborto não se torne lei em nosso pais. Pedimos a todos os católicos que reúnam grupos em suas cidades e façam o mesmo. É preciso que nos mobilizemos o quanto antes.

Jornal Monte Carmelo - jan/fev/2012



terça-feira, 13 de março de 2012

Revista Mensageiro de Santa Teresinha do Menino Jesus

Acabou de ser lançado mais um número da Revista Mensageiro de Santa Teresinha do Menino Jesus, referente aos meses de janeiro-feveiro-março/2012 - ANO 88. A revista é uma publicação da Província São José - Ordem dos Carmelitas Descalços e tem como diretor de redação Fr. César Cardoso, ocd e diretor de administração Fr. Pierino Orlandini, ocd, com a distribuição por Fr. Geraldo Mariano Júnior, ocd e redatores Fr. José Gregório, ocd e Frei. Fabiano de Santa Maria, ocd.
Faça seu pedido ou assinatura pelo e-mail: mensageirodeteresinha@gmail.com

segunda-feira, 12 de março de 2012

Acordar da anestesia espiritual



Reflexão de Frei Patrício Sciadini sobre a mensagem do Papa para esta Quaresma

ROMA, segunda-feira, 12 de março de 2012(ZENIT.org) – Apresentamos a reflexão de Frei Patricio Scaidini enviada à ZENIT para “nos acordar do nosso sono letárgico espiritual”, conforme a mensagem do Papa para esta Quaresma.
Não tenho receio em definir a mensagem  para esta quaresma 2012 do Santo Padre o Papa Bento XVI, uma das mais belas de todas as quaresmas, desde que o Papa  começou a enviar uma mensagem especial. Simples na linguagem, direta, que nos obriga não a uma leitura rápida,  mas sim a uma leitura demorada, meditativa, contemplativa, a voltar mais vezes ao texto para perceber  como atrás de cada palavra o Papa quer nos acordar do nosso sono letárgico espiritual, que ele chama “anestesia espiritual”. O coração da mensagem é  tirado da Carta aos Hebreus 10,24: “Olhemos uns pelos outros para estimularmos a caridade e as boas obras.”
Devo reconhecer que eu nem sabia  deste texto e nem conhecia. A palavra de Deus é de uma riqueza que não se esgota numa só leitura. Cada um a lê segundo o momento particular que vive, pessoal ou comunitariamente,  ou eclesial ou  mundialmente. O olhar do Papa que conhece a realidade do mundo e o momento de “crise” que passa,   vê que  o ser humano está como “anestesiado” diante do outro. O outro  não interessa, e um número que nos passa  perto, uma fantasma  e não uma pessoa  amada,  parte de nós mesmos.   Atenção ao outro exige que se  deseje para o outro todo o bem.
A pessoa não pode ser feliz  a pedaços, como pedras de mosaico, separadas umas das outras, mas no seu conjunto: a felicidade,  o bem e a globalidade da pessoa  que se realiza no seu todo. Não há felicidade quando falta o pão na mesa, o trabalho, os meios para curar-se das doenças, o   alimento cultural  que gera desenvolvimento. É preciso uma  revolução a partir de dentro de nós mesmos,  que nos coloque diante do outro como nosso irmão e deseja para o outro o que nós desejamos para nós.
A Sagrada Escritura adverte contra o perigo de ter o coração endurecido por uma espécie de «anestesia espiritual», que nos torna cegos aos sofrimentos alheios. (n. 1)
Na verdade os sacerdotes  levitas não maltratam quem tinha caído nas mãos dos ladrões e estava meio morto à beira da estrada, nem o ofenderam, nem tampouco  cuspiram nele. Mas passaram e viraram o olhar ao outro lado. É o pecado da indiferença  que  está se tornando a cultura dominante  do mundo.  Não dar importância  ao outro. A quaresma  é o momento em que  devemos nos acordar da anestesia, sentir dor  não só pelas nossas feridas, mas também as dos outros. A vida cristã não é uma  filosofia  e um discutir sobre os problemas,  mas sim ver, julgar e agir… Sem ação  direta não haverá  mudanças de estruturas  e de estilo de vida, nem compromisso   social que leve o ser humano a uma vida mais digna.
* Frei Patrício Sciadini, ocd, religioso, Carmelita Descalço, escreveu mais de 60 livros, publicados no Brasil e no exterior, atualmente é o delegado geral no Egito.

FELICIDADES DOM FREI RUBENS SEVILHA OCD

RECEBA TODO NOSSO CARINHO NESTE MOMENTO DE SUA VIDA!!!!!
SEUS IRMÃOS E IRMÃS CARMELITAS SECULARES SE UNEM PARA PEDIR AS BENÇÃOS DE DEUS NESTA SUA NOVA MISSÃO !!!
SABEMOS QUE  QUE TODA NOSSA ORDEM CARMELITANA ESTARÁ SEMPRE NO SEU CORAÇÃO DE BISPO!!!
NÓS DA OCDS TAMBÉM TRAREMOS  SUA VIDA EM NOSSAS ORAÇÕES!!!
ESTAMOS ORGULHOSOS DE SUA ORDENAÇÃO EPISCOPAL !!!
NOSSO AMIGO LEVARÁ O CARMELO EM MUITOS LUGARES ONDE AINDA NÃO É TÃO CONHECIDO!!!
OBRIGADA PELO QUE FEZ POR NÓS QUANDO DE SUA MISSÃO DE PROVINCIAL OCD!!!


QUE TODOS OS SANTOS CARMELITAS INTERCEDEM POR SEUS TRABALHOS!!!

PODE CONTAR COM SEUS IRMÃOS E IRMÃS SECULARES PARA O QUE PRECISAR!!!!!
UM FORTE ABRAÇO E PEDIMOS SUA BENÇÃO !

MARIA EDUARDA

domingo, 11 de março de 2012

BEATIFICAÇÃO DE NOSSA MÃE





Abertura do processo de beatificação de
Madre Teresa Margarida do coração de Maria
Três Pontas – MG em 4 de março de 2012
            Nossa cidade é privilegiada, dois candidatos aos altares: Padre Francisco de Paula Victor e Nossa Mãe como é chamada também pelo povo trespontano. O Carmelo São José de Três Pontas está em festa. No dia 04 de março de 2012  foi realizada a Missa de abertura do processo de beatificação de Nossa Mãe celebrada por nosso Bispo D. Frei Diamantino Prata de Carvalho com a presença do Postulador Dr. Paolo Villota. Também estava presente Padre Paolo Lombardo,
As suas relíquias colocadas em uma urna de acrílico ficaram expostas ao público desde as 14 horas, na Matriz Nossa Senhora d´Ajuda. Terminada todos os procedimentos de abertura do processo foram levadas em procissão até a capelinha construída ao lado do Carmelo para esse fim e ali foram depositadas. Foi um momento forte de reflexão principalmente pelo tempo que estamos vivenciando: a Quaresma
Queremos agradecer ao nosso Deus por tantos presentes e parabenizar as irmãs carmelitas de nossa cidade por um evento tão lindo, parabenizar também a nossa Diocese que atualmente está com três candidatos a santo: Venerável Nhá Chica (Baependi); Servo de Deus Padre Victor (Três Pontas) e Madre Tereza Margarida do Coração de Maria – Nossa Mãe (Três Pontas).
Se fizeram presentes, nessa  celebração, vários padres da Diocese da Campanha ; frades, inclusive o Provincial Frei Geraldo Afonso; também o nosso querido Frei Pierino, religiosas, membros das Comunidades do Carmelo Secular de Três Pontas, Varginha, Tremembé.
Foi uma bela festa! Aproveitamos também para convidar a todos para visitar Três Pontas – terra de Padre Victor e Nossa Mãe.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...